terça-feira, 8 de janeiro de 2013

Comentando De Pernas pro Ar 2



Quarta-feira passada assisti De Pernas pro Ar 2. Fiz questão de assistir com a mesma amiga que estava comigo quando vi o primeiro filme, porque assim foi mais divertido comparar as duas produções. Foi a primeira resenha que escrevi em 2011. Podem me acusar de mau gosto, mas ri muito, quase tanto quanto no primeiro filme. Isso já sinaliza a minha opinião, o primeiro é melhor, mas o segundo continua muito bom. Mesmo com aqueles vícios da Globo Filmes, excesso de merchandising e algumas piadas problemáticas, foi uma experiência bem satisfatória, a história consegue fluir bem e não se trata de mera repetição do primeiro longa. Mas vamos lá.

Alice (Ingrid Guimarães) conseguiu se tornar uma empresária bem sucedida e está prestes a inaugurar a 100ª loja da SexDelícia no Brasil. Além disso, ela e sua sócia Marcela (Maria Paula) planejam abrir uma loja em Nova York, só que para isso precisam de um produto inédito e que seja sucesso instantâneo. Só que no dia da inauguração da loja no Brasil, Alice passa mal, só que viciada em trabalho, ela não quer parar. Seu marido, João (Bruno Garcia), decide junto com o médico que a esposa precisa parar. Alice é internada em um spa dirigido pela rígida Regina (Alice Borges), e é submetida à terapia com outros “viciados”. Só que Alice não pode ficar internada muito tempo, afinal, ela tem uma loja em Nova York para inaugurar...


De Pernas pro Ar 2 se segura no talento de Ingrid Guimarães, que interpreta com muito humor uma self made woman que realizou seu sonho de criança, enriquecer e ter uma fábrica de brinquedos maravilhosa. Os brinquedos, nesse caso, são para adultos. Legal é ver que mesmo com o viés comédia, trata-se de um filme liderado por uma mulher que construiu sua carreira e subiu na vida graças ao seu esforço e talento. O marido, aliás, continua tentando reprimi-la e controlá-la, com a diferença de agora estar fazendo isso sob a desculpa de zelar pela saúde da esposa. Temos, claro, um casamento que se equilibra na corda bamba e uma cena descaradamente inspirada em O Diário de Bridget Jones. Vocês vão perceber logo de cara.

A melhor parte do filme, e que poderia ser mais longa, é a do spa. Colocaram em cena uma série de personagens bizarras com as mais diferentes vícios: por sexo, por tecnologia, por limpeza, por exposição nas redes sociais, etc. Luiz Miranda está impagável como Mano Love, o jogador de futebol viciado em sexo que que tenta “pegar” qualquer um ou uma que lhe passe pela frente. O sujeito tem o visual inspirado no famoso jogador do Flamengo. Outra figuraça é a terapeuta guarda de campo de concentração interpretada por Alice Borges. Quando a personagem de Ingrid Guimarães chega ao spa sofre até revista pessoal e todos os seus aparelhos da Apple são apreendidos. Até a pilha do vibrador... O que é difícil de engolir nessa parte é a explicação de Eriberto Leão para estar internado... de qualquer forma as cenas do spa são ótimas e a descoberta dos múltiplos usos de um aparelho de massagem culminam com a seqüência surtada ao som de Sonho de Ícaro, de Biafra. Os múltiplos usos simbólicos que uma música brega pode ter...


Nunca foi tão fácil entrar nos Estados Unidos como em De Pernas pro Ar 2! Decidem em uma semana e viajam na outra. O visto do grupo deve ser permanente. Depois de escapar do spa Alice consegue enganar o marido e o filho e seguir para Nova York "de férias". As locações foram cuidadosamente escolhidas para dar aquele ar de grande produção ao filme, com um monte de lugares que são velhos conhecidos. Mas, de novo, o que segura a história é a louca correria de Alice, suas múltiplas armações para atender a família e os compromissos profissionais e seu óbvio fracasso. Maria Paula também está muito bem nas suas cenas como a tarada Marcela que se joga para cima da personagem de Eriberto Leão. O rapaz, outro viciado em trabalho, está de olho em Alice. O casamento da protagonista entra em crise mais uma vez...

Outra grande participação é a de Rodrigo Sant'anna, a Valéria de Zorra Total. O ator faz um engraçado garçom brasileiro que finge ser mineirinho de Valadares... Na verdade, ele não é. E como assisti o filme na Baixada Fluminense o filme, o cinema todo veio abaixo quando a origem do moço é revelada. O talentoso Rodrigo Sant'anna oscila entre piadas mais elaboradas e aquilo que ele faz sempre no programa da Globo. Aliás, um dos pontos fracos do filme está ligado exatamente a isso, piadas rasteiras típicas desses programas de humor para a TV. Cristina Pereira, que faz a empregada e babá da família de Alice, é a responsável pelas piadas mais lamentáveis. Nenhuma delas funciona de verdade, além de beirarem o constrangimento. É por conta disso que De Pernas pro Ar 2 tem uma daquelas piadas horrorosas na qual se reafirma que uma mulher “feia” (*idosa, fora dos padrões de beleza, gordinha, etc.*) deve ficar feliz por ser estuprada, porque, afinal, não está podendo escolher mesmo... Lamentável, sim, no entanto, De Pernas pro Ar 2 não é só isso e os críticos que estão dizendo que o filme é fraco estão se lixando para a piada criminosa que eu acabei de comentar.


De Pernas pro Ar 2 se mostra surpreendentemente conservador – e isso não é um defeito – ao defender que casamento é algo sério e precisa ser preservado. Marion (Denise Weinberg) explica para a filha, Alice, que um casamento pode estar sempre por um fio e ser duradouro e sólido, desde que o fio seja de aço. No fim das contas, a personagem de Eriberto Leão, a de Christine Fernandes e as mentiras e atrapalhadas da protagonista só servem para confirmar o amor entre Alice e o marido.  Bem, eu acredito que quando se ama, a gente deve lutar para restaurar um relacionamento, desde que não tenhamos violência - física e psicológica - envolvidas.  E não era o caso do filme, ainda que o marido de Alice seja um chato boa parte do tempo... 

O filme cumpre a Bechdel Rule, tem uma personagem assertiva, competente, mas não é um filme feminista, tendo uns rasgos machistas em vários momentos. A personagem de Christine Fernandes é colocada na trama como uma super mulher – 5 filhos disciplinados (*parecem saídos de A Noviça Rebelde*), cirurgiã, que não tem nem babá, nem empregada doméstica e que cozinha muito bem, além de ser linda – para que Alice se sinta diminuída e incapaz. Aí, sobram as piadinhas sobre inveja feminina e como uma verdadeira mulher precisa dar conta de uma dupla jornada de trabalho e ainda estar sexy no fim do dia. Só que personagens como a de Christine Fernandes não existem no mundo real. Além disso, perdeu-se a chance de colocarem uma piada ótima que seria mostrar que tudo na casa dela é tão perfeito, porque ela escraviza os filhos e os obriga a fazer os trabalhos domésticos... Outra fonte de piadas sobre rivalidade feminina é o ciúme de Marcela, que acredita que Alice está caidinha pela personagem de Eriberto Leão... A amizade e a parceria das duas quase se rompe, mas a coisa se resolve quando Alice manda um francês de presente, mas isso já é outra história...


Enfim, De Pernas pro Ar 2 está fazendo muito sucesso e deve render muito dinheiro nesse início de ano. É uma comédia divertida que consegue ser melhor do que muita coisa que os americanos despejam em nosso mercado. Seus problemas e vícios não diminuem o excelente trabalho feito pelos atores, especialmente a protagonista e a turma do spa, e a edição e montagem dão muita agilidade ao filme. Não sei se no filme 3 – porque ele deve vir – vai conseguir ser legal ou se tornar uma coleção de piadas, mas, com certeza, quando estrear, eu vou assistir.  Só me ficou uma dúvida, a criancinha que aparece no filme é filha da Maria Paula mesmo?  Ah, sim!  E octopussy não é octopus em inglês... 

GOSTOU?

2 pessoas comentaram:

Não vi nenhum dos dois filmes, mas li suas duas resenhas rsrsrs

Eu ainda não vi De Pernas para o Ar 2, e demorei "um pouco" para ver o primeiro filme (só assisti no mês passado...).

Em geral não gosto de comédia,mas quando assisti o primeiro me arrependi por ter demorado tanto para ver...

Agora fiquei ainda mais curioso para assistir esse...:p

Related Posts with Thumbnails