segunda-feira, 31 de julho de 2017

Para quem quiser ouvir o Shoujocast


Lá em 2009, eu decidi criar um podcast.  Começou de forma bem precária.  Aí, o amigo Anderson sugeriu um nome "Shoujocast".  Vieram companheiras, a Lina Inverse, depois a Tanko e, por fim, a Tabby e, bem, fizemos 52 programas.  Pouco, eu sei, mas as agendas desencontraram.  Sempre penso em voltar, mas ainda não houve como.  Bem, eu queria disponibilizar os programas, mas descobri que não tinha todos. Perguntei se a Lina tinha.  Ela organizou tudinho e disponibilizou para download (*AQUI*).  Tudinho, não, faltou o programa 52, então, coloquei no Youtube.



Eu parei para escutar um dos meus programas favoritos o duplo sobre Orgulho & Preconceito e foi um prazer muito grande ouvir a voz das amigas queridas e da convidada especial, a Adriana Salles.  Que conversa legal foi aquela.  Enfim, se você quiser relembrar, ou conhecer o Shoujocast, esta é a oportunidade.

quarta-feira, 26 de julho de 2017

Os animes mais engraçados, segundo os japoneses


O Goboiano publicou a lista com 15 animes mais engraçados, segundo uma pesquisa do GooRanking.  Como aparecia na lista Gekka Shoujo Nozaki-kun, cujo mangá original não é propriamente shoujo, vejam bem, mas que gira em torno do universo do shoujo mangá, decidi publicar no blog.  Enfim, muita coisa nova, verdade, Gintama ficou muito a frente dos demais, mas algumas surpresas, como Dr. Slump e Bobobo-bo Bo-bobo.  Sinceramente?  Foi um dos animes mais engraçados e insanos que eu já vi e, bem, não imaginava que ele pudesse aparecer em uma lista dos mais engraçados.  Enfim, como sempre, no caso do GooRanking, não se sabe qual a demografia dos votos, mas, normalmente, são 10 mil votantes.  Basta fazer a soma.  Eu só vou postar os 20 primeiros colocados. 

1. Gintama (銀魂) – 685 votos
2. Hoozuki no Reitetsu (鬼灯の冷徹
) – 298 votos
3. Osomatsu-san (おそ松さん
) – 294 votos
4. High School! Kimengumi (ハイスクール!奇面組) – 190 votos 
5. Saiki Kusuo no Psi Nan (斉木楠雄のΨ難
) – 149 votos 
6. Dr. Slump (Dr.スランプ アラレちゃん
) – 147 votos 
7. Bobobo-bo Bo-bobo ( ボボボーボ・ボーボボ) – 138 votos 
8. Crayon Shin-chan (クレヨンしんちゃん
) – 128 votos 
9. Sexy Commando Gaiden: Sugoi yo!! Masaru-san (セクシーコマンドー外伝 すごいよ!!マサルさん) – 125 votos  
10. Nichijou (日常) – 120 votos 
11. Urayasu Tekkin Kazoku (浦安鉄筋家族
) – 119 votos 
12. Gekkan Shoujo Nozaki-kun (月刊少女野崎くん) – 117 votos 
13. Kochikame (こちら葛飾区亀有公園前派出所) – 115 votos 
14. Gag Manga Biyori (ギャグマンガ日和) – 103 votos
15. Kono Subarashii Sekai ni Shukufuku o! (この素晴らしい世界に祝福を!) – 100 votos 
16. Danshi Koukousei no Nichijou (男子高校生の日常) – 96 votos 
17. Seitokai Yakuindomo (生徒会役員共) – 93 votos 
18. Sakamoto desu ga? (坂本ですが?) – 81 votos 
19. Atashin’chi (あたしンち ) – 80 votos 
20. Jungle King Tar-chan (ジャングルの王者ターちゃん) – 79 votos 

terça-feira, 25 de julho de 2017

E Machado de Assis virou Mangá: Reflexões sobre a releitura em quadrinhos do romance Helena


Mais tarde, hoje, estarei apresentando esse trabalho na ANPUH, lá na UnB.  Como fiz a apresentação em power Point, decidi dividir com vocês.  Falta acrescentar a bibliografia e o texto mesmo do trabalho precisa de ajustes.  Para quem tiver curiosidade, no entanto, os slides explicam a coisa em linhas gerais.  Gosto muito de Helena, o romance, o primeiro livro de Machado de Assis que li por vontade própria, e de Helena - mangá, feito pelas artistas do Studio Seasons.  Aliás, sou grata à Simone Beatriz e Montserrat por responderem minhas perguntas e tudo mais. A resenha que fiz de Helena está aqui.  O quadrinho pode ser adquirido em formato impresso e digital.  

segunda-feira, 24 de julho de 2017

Aoki Kotomi estréia novo mangá na revista Cheese


Niji, Amaet yo。 (虹、甘えてよ。) é a nova série de Aoki Kotomi, uma das principais autoras da revista Cheese.  Ela tirou uma folga depois de encerrar Kanojo wa Uso o Aishisugiteru (カノジョは嘘を愛しすぎてる) e, segundo o Comic Natalie, a autora afirmou que, pela primeira vez em muito tempo, está fazendo uma série mais convencional, um romance colegial.  Não entendi bem o resumo, mas são três amigos, dois garotos e uma garota, só que um triângulo amoroso se estabelece entre eles.  Há uma amostra do primeiro capítulo aqui.  Os três são membros do clube de judo.  


Bom ver como a arte de Kotomi está bonita, fluída, dinâmica.  Outra coisa importante é que ela vem conseguindo fazer roteiros mais elaborados e menos carregados de sexo como era sua marca no início de carreira.  A edição traz, ainda, uma entrevista com a mangá-ka.

Suki tte Ii Na Yo。 chega ao seu final na revista Dessert


Suki tte Ii Na Yo。 (好きっていいなよ。), de Kanae Hazuki, chegou ao seu final na revista Dessert.  A série que retrata o relacionamento da (*inicialmente*) tímida e sem amigos, Mei, com o garoto mais popular da escola (*e que tem um grande coração*), Yamato, se estendeu por 18 volumes com os protagonistas se formando no colegial e seguindo para a faculdade.  A série, que começou em 2008, teve, também, animação em 2012 e um live action em 2014.  Entre os brindes da edição um memorial book com participação do staff da animação, homenagens e tudo mais.  Como o volume final sai no dia 13 de setembro, a edição da Dessert de 23 do mesmo mês vem com uma caixa para guardar os mangás.


Como a edição da revista é comemorativa dos 20 anos da Dessert, há um CD e ilustrações feitas pelas autoras das revistas como brinde.  Se entendi bem o Comic Natalie, essas ilustrações podem ser pedidas em tamanho maior e com mais qualidade.  Procedimento na revista.

Natsume Yuujinchou terá musical em 2018


O Comic Natalie anunciou que o sucesso Natsume Yuujinchou (夏目友人帳) terá uma peça musical em 2018.  Se entendi bem, será uma única apresentação em Tokyo, no dia 6 de janeiro.  Haverá mais de uma exibição no dia e peças semelhantes foram feitas em 2013 e 2015.  Pré-venda começa em 27 de setembro e, bem, todo mundo sabe que vai ser um sucesso.  Natsume Yuujinchou é publicado na revista LaLa e atingiu a marca de seis temporadas animadas.  Tem um montão de produtos licenciados e tudo mais que os fãs adoram.

domingo, 23 de julho de 2017

Kuragehime já tem data para terminar


O ANN comentou que a série Kuragehime (海月姫), de Akiko Higashimura, irá terminar na edição da revista Kiss de 25 de agosto.  A edição da revista trará um brinde da série, também.  Se entendi bem, a série foi retomada em junho e termina em agosto.  Bem, bem, a autora voltou para acabar, espero, pelo menos, que o encerramento seja à altura de uma série que teve uma animação espetacular (2010), um filme live action (2014) muito simpático e é um mangá muito legal (*li até o volume #6 e deveria ter resenhado...*).  Acredito que a série irá fechar com 17 volumes.


E mais uma das séries importantes da revista Kiss terminará em breve, Gin no Spoon (銀のスプーン), de  Mari Ozawa, irá terminar na edição seguinte a de Kuragehime, 25 de setembro.  Gin no Spoon tem 16 volumes e não sei se irá fechar com 17 ou 18 volumes.  De qualquer forma, a história do mangá começa com o protagonista, Ritsu, um adolescente, tendo que tomar conta de seus dois irmãos menores, cozinhar para eles, depois que sua mãe, que os criava sozinha, é hospitalizada.  Para tornar as coisas mais difíceis para o garoto, ele descobre que foi adotado.  O mangá virou filme live action em 2015.

sábado, 22 de julho de 2017

Alguns comentários sobre Manga-ka to Yakuza


Postando o ranking da Orikon, me deparei com um mangá chamado Manga-ka to Yakuza (漫画家とヤクザ), literalmente, "A Mangá-ka e o Yakuza".  Para quem não sabe, Yakuza é mafioso.  Olhando no Mangaupdates vi que era um mangá josei erótico.  Sem scanlations, mas consegui o raw do primeiro volume.  Enfim, me pareceu interessante, apesar de ser, em linhas gerais, o mesmo tipo de material que Souryo to Majiwaru Shikiyoku no Yoru ni...  (僧侶と交わる色欲の夜に…), que virou anime este ano, mas parece ter um pouco mais de recheio, coisa que me deixa curiosa, mas não consegui ler nada, enfim...  Trata-se de material pornográfico, fantasia erótica feminina heterossexual.  Sim, feminina, não feminista, que fique claro.  Coisa do tipo que você acha nos livros Harlequin, Avon, mais apimentados, mas não é algo no nível de um Eloras Cave, por exemplo.



O ponto de partida da história é o encontro entre Rui, uma mangá-ka, e um yakuza de nome Azuma.  O bandido - que é moreno, másculo, enfim, bem bonitão - bate na porta dela para cobra uma dívida de 6 milhões de ienes (*mais ou menos uns 190 mil reais*).  Ela não fez o empréstimo, mas alguém usou seu nome e ela está devendo para a máfia.  Quem a enrolou foi um antigo crush do colegial, que só parece ser uma lembrança ruim e um cafajeste.  A reação dela é de indignação, mas o mafioso entra e diz que se ela vai ter que pagar de qualquer jeito.  Se não for com dinheiro, será com sexo.  Só um detalhe que só achei no Mangaupdates: Rui é virgem.



Pronto, daí passamos para o que representa boa parte da história, cenas de sexo muito melhor desenhadas que as de Souryo to Majiwaru Shikiyoku no Yoru ni... , com uma protagonista com um corpo muito esguio e nada voluptuoso e um sujeito muito bonitão (*ela só parece perceber realmente que ele é um yakuza, quando vê a espetacular tatuagem que ele tem*).  No fim das contas, a primeira transa dos dois começa com um tom de estupro, mas, como é uma fantasia erótica, vejam bem, ela vê que está sozinha e tem a chance de tirar umas casquinhas de um cara gostoso, que (*surpresa!*) além de super sexy ainda é gentil e atencioso.  Bonzinho que só, coisa que o tal namorado do colegial parecia não ser.  Ou seja, enquanto ela não se apaixona, e isso já está visível no primeiro volume, vejam que o dispositivo amoroso não poderia faltar, pagar a dívida que ela não fez nem é tão problema assim.



Azuma tem outras amantes, ou outros negócios, sei lá.  No primeiro volume, ele aparece fazendo sexo com outras duas, talvez três, mulheres, todas muito diferentes de Rui.  Mulheres com muitas curvas, ar sedutor, tudo que a mangá-ka não parece ser.  Só que, ao que parece, ele desenvolve um carinho genuíno pela moça.  Ele dorme ao lado dela, parece relaxar, conversar, enfim.  Com as outras, é sexo e tchau.  Lembrei de Anatolia Story (天は赤い河のほとり), quando uma das ex-amantes de Kail assegura à Yuuri que é ela que o príncipe ama, porque ele é capaz de dormir e esquecer a espada quando está com a protagonista.  Voltando ao ponto, estaria, enfim, o yakuza apaixonado?  Há, também, o "secretário" (*acho que é isso que ele é*) de Azuma, um cara que o segue para todo lugar, que já invadiu a casa de Rui quando ela estava transando com o yakuza e que a olha com cara de desprezo.  Qual o problema dele (*que também é bonitão*)?  Ciúmes?  Ele acha que o chefe está se metendo em encrenca?  Negligenciando seus deveres?  Enfim, precisaria ler o mangá.



Queria muito, muito mesmo, ler o texto (*salvo os gemidos, porque isso nem precisa ler*), porque queria saber que tipo de mangá Rui faz.  Ela tem um editor, um sujeito gordinho e de óculos, o típico nerd de mangá, ele lembra o editor de Nozaki em Gekkan Shoujo Nozaki-kun (月刊少女野崎くん), só que com ar bonachão.. Quando conversa com ele, volta e meia, ela imagina estar fazendo sexo com Azuma.  Também, queria saber qual o rolo com o ex-colega de colégio. Algumas vezes, quando está com Azuma, ela pensa no cara e nunca parece ser uma boa lembrança.  Fora que ele aparece, tenta se aproximar dela de uma forma acintosa e, bem, Azuma chega e ele toma umas pancadas.  Há uma outra cena na qual mafiosos feiosos vem atrás de Rui.  Azuma a salva bem em tempo.


A história só funciona, porque Azuma é bonitão e, não, feioso ou asqueroso. Ele é viril e fofo (*a protagonista muitas vezes lembra do seu antigo cachorrinho quando acaricia os cabelos dele*), fosse o mafioso padrão de mangá shounen, ou seinen, provavelmente, a coisa jamais se sustentaria.  Agora, é um tom muito diferente dos mangás smut adolescentes que pulularam nos anos 1990 e 2000, com suas protagonistas reféns, ainda que, bem, o ponto de partida dessa história não seja lá muito abonador.  De qualquer forma, é por tudo isso, repito, que se trata de uma  fantasia erótica para mulheres, poderia ser um desses romances de banca, não é diferente em praticamente nada, salvo as gags de mangá.  E como é quadrinho, cabe elogiar o traço que, na média, é muito bom.  Pergunto-me se a autora não fazia algo antes, como doujinshi.



A autora, Coda, tem conta no Twitter, site, Tumblr, e conta no pixivi, onde é possível ver alguns dos seus rascunhos, inclusive com detalhes que a censura não permite que apareçam na edição final.  Parece que é sua primeira série, ou, pelo menos, não há nada registrado no Mangaupdates.  O mangá sai na revista josei erótica Love Coffre, que foi criada em 2015.  A série está no volume #2, que entrou no top 20 da Oricon.  Além disso, terá drama CD.  Se Souryo to Majiwaru Shikiyoku no Yoru ni... tiver feito sucesso, talvez vire anime.  Com menos sexo, poderia ser um dorama interessante.  E, bem, é material #NSFW.  Comentei sem postar nada explícito, porque, bem, o Shoujo Café é para "toda a família" e qualquer família.