sábado, 29 de agosto de 2015

Trailer completo de Ore Monogatari!!

Todo mundo já postou, mas o Shoujo Café está andando devagar, devagarinho, faz tempo.  De repente, você não viu ainda o trailer de Ore Monogatari!! (俺物語!!), ou quer ver de novo.  De qualquer forma, achei que ficou muito legal.  O moço que está fazendo o Takeo está se esforçando visivelmente e deve conseguir ganhar o coração da audiência tanto quanto o moço que fez o Yamamoto Yusuke, que fez o Tamaki no dorama de Ouran Host Club (桜蘭高校ホスト部).  O que eu continuo defendendo é que a Yamato deveria ser uma atriz mais baixinha, isso ajudaria a fazer o ator que encarna o Takeo parecer mais alto.  De qualquer forma, julguem o trailer, acho que ele ficou uma gracinha mesmo.  Vi o trailer primeiro no Comic Natalie.  O filme estréia em 31 de outubro.

Akiko Higashimura estréia mais um mangá... Sim, você entendeu direito, mais um!


Eu não sei e onde Akiko Higashimura tira tanta energia e criatividade, esta semana mesmo noticiei a estréia de seu novo mangá seinen e, agora, o Animeland noticia que Bishoku Tantei (美食探偵), um one-shot que ela publicou na Cocohana em junho, vai virar série regular.  Eu tinha feito essa aposta e, bem, está aí. ^_^  A série entra na grade da Cocohana para substituir Kakukaku Shikajika (かくかくしかじか), que terminou este ano.  Sishoku Tantei, o Gourmet Detetive, estréia em 28 de setembro.

Vamos contar quantas série ela tem em publicação?  Himoxile (ヒモザイル), Kuragehime (海月姫), Tokyo Tarareba Musume (東京タラレバ娘), Kuragehime Gaiden ~Barakura~ Bara no Aru Kurashi  (海月姫外伝 BARAKURA~薔薇のある暮らし~) e, por fim, Bishoku Tantei.  Esqueci algum?

Parece que virou moda transformar mangá em musical... Sayonara Sorcier vai para os palcos


Parece que virou mania transformar mangás em musical, ou, pelo menos, esta é a impressão que tenho ao noticiar quase que uma adaptação por mês nos últimos tempos.  Enfim, Sayonara Sorcier (さよならソルシエ), da mangá-ka Hozumi, é uma série sobre Vincent Van Gogh e seu irmão caçula Theo.  Publicada na revista Flowers, ela ganhou maior atenção por ter ficado em primeiro lugar no guia  Kono Manga ga Sugoi! (このマンガがすごい! ) de 2014 na categoria mangá feminino.  

Enfim, segundo o Animeland a série terá versão muical prevista para estrear em Tokyo em março do próximo ano.  O diretor e roteirista será Daisuke Nishida e a música ficará sob a responsabilidade de Shûhei Kamimura.  O site oficial do musical é este aqui.  Mais notícias devem aparecer nas próximas semanas.

sexta-feira, 28 de agosto de 2015

Já temos o elenco do musical de Hana Yori Dango


Semana passada, no dia 20, para ser mais precisa, o Comic Natalie postou o elenco do musical de Hana Yori Dango (花より男子).  Eu estava em São Paulo, perdi a notícia, e fiquei sabendo por um site brasileiro, o Shoujo Lovers.  Enfim, fui atrás do link do Comic Natalie para deixar no arquivo.  

O resultado do concurso que contou com cerca de 3 mil concorrentes foi dado na 18ª edição da revista Margaret.  A jovem Ririka Katou fará o papel da protagonista, Tsukushi Makino.  A moça tem 17 anos e faz parte do grupo de teatro Gekidan Harvest.  O resto do elenco é composto por Yuya Matsushita como Tsukasa Dōmyouji, Ryuuji Kamiyama (*que fez Enjolras no musical Os Miseráveis*) como Akira Mimasaka, Mackenyu (*Arata do filme de Chihayafuru*) como Sōjirou Nishikado e Jin Shirasu como Rui Hanasawa.


Não sei se vocês concordam, mas Yuya Matsushita lembra muito o Jun Matsumoto, quer dizer, pelo menos na foto.  Espero que cenas desse musical apareçam por aí para a gente dar uma olhadinha. O musical estará em cartaz em Tokyo de 5 a 24 de janeiro de 2016 no Theater creation de Hibiya. Em fevereiro segue para Osaka, Nagoya e outras regiões do Japão. Os ingressos da apresentação de Tokyo e outros produtos (*devem ser muitos*) serão vendidos a partir de 31 de outubro.  A página do musical é esta aqui.

quinta-feira, 27 de agosto de 2015

Pochamani se muda de revista


Segundo o Comic Natalie, Pochamani  (ぽちゃまに) de Kaname Hirama foi transferido da edição normal da Hana to Yume para a Betsuhana.  A série está lá a partir da edição de outubro que foi publicada ontem.  Pohamani tem como protagonista uma menina gordinha e, até onde li, feliz.  Já está no volume #5.

Mika Yamamori tem dois volumes lançados no Japão simultaneamente


Foram lançados simultaneamente no dia 25 de agosto o volume #1 do novo mangá de Mika Yamamori,  Tsubaki-chou Lonely Planet (椿町ロンリープラネット), e a edição extra de Hirunaka no Ryuusei  (ひるなかの流星). Interessante é ser extra e não um volume numerado.  


De qualquer forma, quem comprar os dois volumes pode concorrer a um calendário exclusivo da Shueisha.  Serão 1000 contemplados e para concorrer, o Comic Natalie diz que é preciso usar os selos que vieram com os volumes.  Enfim, é coisa para os japoneses.  Eu gosto muito do traço desta autora, das capas, tinha que tomar vergonha e começar a ler alguma coisa dela.


quarta-feira, 26 de agosto de 2015

Otona no Shoujo Manga Techou - Parte 4: As Obras Favoritas de Bun Katsuta, Kazumi Yamashita e LunLun Yamamoto


Esta é a parte quatro dos meus posts sobre o livro Otona no Shoujo Manga Techou (*parte  12 e 3*).  Como pontuei antes, dá um trabalhão tentar transliterar os títulos de mangá e nomes de autoras.  Este quarto post foi bem mais complicado aliá, porque não consegui identificar imediatamente as autoras e algumas das obras que elas citam são realmente novidade para mim.  Enfim, neste post temos os títulos favoritos e que mais influenciaram algumas autoras que estrearam nos anos 1980 e 1990, portanto, cresceram lendo mangá no final dos anos 1960 e 1970, quando as mulheres já dominavam o shoujo mangá.  São as três últimas da lista: Bun Katsuta, Kazumi Yamashita e LunLun Yamamoto.



Bun Katsuta estreou em 2000 na revista Melody, passou pela Young You, que não existe mais, e publica na Cocohana.  Especializada em adaptar romances ocidentais para mangá.  Seu mangá atual se chama Mari Mari Mari (マリ マリ マリ) e está em publicação na revista Cocohana.  Os mangás favoritos da autora são:


Mari Mari Mari
1. Watashi wo Tsuki made Tsuretette (私を月まで連れてって! ) de Takemiya Keiko  Não conhecia este mangá, ele é do início dos anos 1980 e é uma série de ficção científica que mostra o relacionamento de um astronauta com uma moça com poderes mentais.  É conhecida, também, como Fly me to the Moon.



2. Shigatsu Kaidan (四月怪談) de Yumiko Ooshima.  Esta obra é uma coletânes de pequenas história.
3. Arabesque (アラベスク) de Ryouko Yamagishi.



Kazumi Yamashita nasceu e 1959, estreou em 1981 com Futari de Ocha wo (ふたりでお茶を).  Yamashita faz principalmente shoujo mangá, mas ganhou projeção com um mangá seinen, The Life of Genius Professor Yanagizawa (天才柳沢教授の生活 Tensai Yanagisawa Kyoju no Seikatsu), vencedor do prêmio geral do  Kodansha Manga Award em 2003.


Tensai Yanagisawa Kyoju no Seikatsu
1. Arabesque (アラベスク) de Ryouko Yamagishi.
2. Shinshi wa Amai no ga Osuki  (紳士は甘いのがお好き) de Sachiko Asuka.


Shinshi wa Amai no ga Osuki
3. Poe no Ichizoku (ポーの一族一) de Hagio Moto.

Outra série citada pela autora é Viva! Volleyball (ビバ!バレーボール) de Ide Chikae, a mãe da  mangá-ka Kayono, e autora do segundo shoujo mangá de esportes da história.  Este mangá começou em 1968.  


Marshmallow Times
LunLun Yamamoto, nascida em 1973, estreou em 1998.  Seu mangá atual se chama Hazunde! Papa Mokko (はずんで!パパモッコ).  Sua série infantil Marshmallow Times ou Marshmellow Tsuushin (マシュマロ通信) virou animação em 2004.

1. Blue Jean no Aitsu (ブルージン の あいつ) de Kikukawa Chikako



2. Koikina Yatsura (こいきな奴ら) de Yukari Ichijo



3. Versailles no Bara (ベルサイユのばら) de Riyoko Ikeda


Deimos no Hanayome
LunLun Yamamoto gosta de séries de terror e citou Deimos no Hanayome ou Akuma no Hanayome  (悪魔の花嫁) de Ikeda Itsuko e Ashibe Yuuho, série que demorou muito a ser concluída e teve alguns mangás lançados nos EUA, e Youki Hiden  (妖鬼妃伝) de Suzue Miuchi, um mangá de terror barra pesada que saiu na Nakayoshi no início dos anos 1980.  Suzue Miuchi não ficou publicando somente Glass Mask (ガラスの仮面), acreditem.  Aliás, ninguém citou a série mais conhecida da autora.  Curioso, não?

Não se enganem com a aparência bonitinha de Youki Hiden.
De resto, as duas séries mais citadas foram Poe no Ichizoku e Versailles no Bara.  Uma autora que apareceu com obras diferentes foi Yukari Ichijo.  Algo, aliás, que eu já esperava.  Parece, também, que apesar do sucesso de Ace wo Nerae (エースをねらえ!) , os mangás de vôlei marcaram muito as leitoras.

Mangá de Miki Aihara deve virar dorama


O Animeland noticiou que a revista que o mangá From 9 to 5 ou 5-ji kara 9-ji made (5時から9時まで) de Miki Aihara terá um Drama CD, que será brinde da edição limitada do volume #11, e uma outra adaptação ainda não revelada...  Pelo perfil da série, dificilmente será anime, daí, o site francês aposta em dorama (*há rumores de que a série estreará na Fuji TV no outono japonês*), mas pode ser filme para o cinema, também.  From 5 to 9, que é uma série que vende bem, deve ter um público mais velho, daí a aposta na novela com atores e atrizes de carne e osso.


Para quem não conhece a história – e há scanlations da série – um resumo: Sakuraba Junko está para completar 27 anos e é professora de inglês.  Ela não tem um namorado e está preocupada em se casar, mas não encontra o homem certo, por conta disso, já se conformou em passar o aniversário sozinha.  As coisas começam a mudar quando ela vai a um omiai – um encontro arranjado por terceiros com uma pessoa que você não conhece – e conhece um monge, que é descartado imediatamente.  Só que o moço aparece em roupas civis na escola de línguas onde a protagonista trabalha e contrata aulas particulares...


Miki Aihara é uma mangá-ka com uma sólida carreira e muitos fãs, seu mangá mais conhecido talvez seja Hot Gimmick, que chegou a ser anunciado pela Conrad e nunc apareceu.  Eu li todo Hot Gimmick (ホットギミック) e dei uma olhada em So Bad!  e Sensei no Okiniiri!  (先生のお気に入り!).  Enfim, gosto da arte dela, mas não gosto de suas histórias, e, por isso mesmo, acabei nunca tendo a coragem de olhar.  Aihara é especializada em produzir heroínas submissas, ou colocadas em situações muito constrangedoras (*caso de So Bad!*), que se sujeitam à toda a sorte de humilhações por parte dos parceiros, e situações picantes, com ou sem sexo.   Mesmo quando ela trabalha com harém reverso o objetivo parece ser multiplicar as possibilidades de situações sexuais de opressão e humilhação para a mocinha. Sinceramente?  Não curto isso, não acho romântico.  Talvez, em um dorama a coisa funcione diferente, talvez este último mangá seja melhor, mas eu não vou colocar minha mão no fogo, não.


Voltando ao drama CD, ele cobrirá os capítulos 31, 33 e 52 do mangá.  O elenco de dubladores foi publicado na revista Cheese! e está no post do Animeland.