Comentando o Primeiro Episódio de Suki-Tte Ii Na Yo。ou “Say I Love You。”

As Personagens Masculinas Tipo dos Shoujo Mangá: (Mais) um Esboço

Quais são os tipos de garotos mais comuns nos shoujo mangá? Que tal fazer uma lista?

Irene Adler é a grande injustiçada nas recentes adaptações de Sherlock Holmes

Irene Adler, a mulher que enganou Sherlock Holmes, ganhou uma nova roupagem no século XXI. Infelizmente, ela parecia muito melhor no séculos XIX...

Comentando “Detona, Ralph!” (Wreck-It, Ralph)

A Disney revisitou os vídeo games dos anos 1980 em um filme muito divertido e bem executado.

As Personagens Femininas Tipo dos Shoujo Mangá: um Esboço

Personagens centrais nos shoujo mangá, assim como na vida real, as meninas não são todas iguais, mas podemos tentar organizá-las em tipos. Vamos tentar?

Histórias em Quadrinhos: um Levantamento Bibliográfico

Uma ajudinha para quem está começando a pesquisar sobre quadrinhos.

segunda-feira, 30 de março de 2015

Quais mangás e animes desconhecidos os japoneses recomendam?


O site japonês Charapedia fez uma pesquisa com dez mil pessoas para saber quais animes e mangás desconhecidos eles e elas recomendariam.  Foram 45,4% de mulheres e 54,6% de homens, 72,9% dos votantes na casa dos 20 anos e 27,1% na casa dos 30.  A coleta de dados foi feita entre 19-25 de março, a divulgação dos resultados foi feita no dia 26.  Bem, essa coisa de desconhecido é sempre muito relativa, mas valos lá, apareceram coisas interessantes no meio da lista.  Comentarei ao lado o que achar que vale a pena.

1. Baccano!
2. Kill Me Baby!
3. Corpse Party
4. Gakuen Utopia Manabi Straight
5. S-cry-ed
6. Fractale
7. Choubakuretsu Ijigen Menko Battle: Gigant Shooter Tsukasa
8. The Daily Lives of High School Boys (Danshi Koukousei no Nichijou)
9. Cute High Earth Defense Club LOVE! -> O primeiro mahou shounen.  Dei uma olhada no episódio 1 e, bem, ri de nervoso, é muito absurdo aquele troço e, ao mesmo tempo, muito corajoso.
10. Kaleido Star -->  O anime passou na TV por assinatura no Brasil.  Era um anime shoujo like, feita direto para a TV, isto é, qualquer pessoa que coloque os olhos em cima vai fazer a associação imediata.  A ação se passava em um circo e muita gente lembra da série com carinho aqui, no Brasil, e percebe-se que, também, no Japão.  Nunca me empolgou, mas não gosto de circo, especialmente os tipo Cirque De Soleil, inspiração óbvia da série, e eu já estava meio velhinha quando foi exibido.


11. Ef: a Tale of Memories
12. Inumarudashi
13. Tanaka-kun wa Itsumo Kedaruge -> Apareceu no Guia Kono Manga ga Sugoi 2015 entre os mangás shoujo e josei.  É publicado em revista on line, começou em uma revista shounen e mudou para uma shoujo.  É uma série muito elogiada e tem scanlations.
14. GA: Geijutsuka Art Design Class
15. Shoujo Kakumei Utena -> Lembraram de Utena!!!!!!  Deve ser o anime.  Não vou mentir que foi o maior motivo para eu publicar esse post. ^_^  Anime pós-moderno e aberto para interpretações.  Diferente do mangá, o final do anime é muito mais libertador, apesar da pergunta "Onde está Utena?".  Um amigo acredita que aquele colégio de Utena é uma espécie de purgatório e que todas as personagens estão mortas... :)  Interpretações ao gosto do freguês.
16. Bokurano
17. Haibane Renmei -> Anime muito curioso este.  Baseado em doujinshi escritos pelo autor de Serial Experiments Lain, conta a história de uma garota que nasce de um ovo e mora em uma cidade de anjas, mas há anjos, também, só que não onde a protagonista nasce.  Suas asas crescem, ela interage, trabalha, mas fica intrigada porque a cidade é isolada por um grande muro e ninguém pode cruzar as fronteiras... Meu marido acha que a cidade é uma especie de purgatório e a coisa é aberta  a muitas interpretações.  Assim, anime cabeça e estranho. :)


18. Mangaka-san to Assistant-san
19. Psychic Detective Yakumo -> O anime do mangá que foi publicado aqui pela Panini, eu imagino.
20. Haven’t You Heard? I’m Sakamoto
21. Ashita no Nadja -> Imagine o seguinte, um anime começa fofinho, com uma história açucarada que se remete e faz homenagem aos mangás/animes de pobres órfãs louras como Candy Candy, Angel, Honey Honey.  Ele estréia na TV por assinatura (*sofrendo censura... vai entender?*) e você vê o início da série.  OK.  Depois, por acaso, liga a TV e vê um capítulo perto do 30 e o anime se tornou dark, hostil, a heroína está na prisão, e apareceu uma adolescente vilã muito, muito, muito malvada.  Sim, Ashita no Nadja é um anime estranho e muito interessante.
22. Star Driver: Kagayaki no Takuto
23. Hybrid Child
24. Dennou Coil
25. Jormungand
26. BPS: Battle Programmer Shirase
27. The Big O
28. Drifters
29. Jinzou Konchuu Kabutoborg VxV
30. The Flowers of Evil

P.S.: Usei o Sankaku Complex (+18-NSFW) como fonte.  A lista estava traduzida lá e judou bastante.

domingo, 29 de março de 2015

Grife japonesa lança coleção inspirada na Rosa de Versalhes


O ANN e o Comic Natalie anuciaram que a grife especializada no público otaku, a Sukiyaki Felissimo, lançou uma coleção inspirada no mangá Rosa de Versalhes (ベルサイユのばら).  Maria Antonieta e Oscar servem de ponto de partida para as criações, a maioria vestidos, e há algumas outras composições que poderiam se dizer inspiradas na protagonista, a de baixo é um exemplo. 


O ANN faz questão de registrar é que “o melhor” é que a coleção tem a aprovação de Riyoko Ikeda.  A mensagem da autora está no site oficial da coleção.  Não é surpresa para mim, só queria saber por qual motivo não conseguem a aprovação de Ikeda para uma nova série animada...


Enfim, o videozinho traz um ensaio com a modelo da coleção.  No CN há boas fotos de todos os vestidos, assim como na página oficial.

sábado, 28 de março de 2015

Revista Ciao está atraindo até os homens adultos. Saiba o motivo


A Ciao, da editora Shogakukan, é a revista shoujo mais vendida do Japão, a ARIA pode ter superado por causa dos gaiden de Shingeki no Kyoujin, mas é coisa de momento.  Pois bem, segundo o Rocket News 24, a revista para meninas de 9-15 anos está fazendo um grande sucesso fora do seu nicho por causa de um brinde, uma mini mesa de luz.  Para quem não desenha, mesas de luz são usada para copiar ou desenhar detalhes em desenhos.  


Normalmente, mesas de luz, como o nome sugere, são grandonas, mas a da Ciao é pequenininha e vem de brinde junto com um kit mangá-ka.  Esse tipo de kit é comum nas revistas para menina menores, como a Ribon, a Nakayoshi e a Ciao.  Eu tenho uma edição com um desses kits aqui em casa.  É uma coisa fofa e muito legal e, mais importante, não altera o preço da revista, neste caso, 570 ienes.


O RN24 trouxe um monte de fotos postadas por japoneses usando de forma criativa o kit de luz.  Coloquei só uma aqui.  Visitem, é muito legal de se ver.  Queria ver as vendagens desta edição.  Será que realmente houve grande impacto?



Coleção de postais de Hagio Moto com a nova edição da Flowers


Li essa notícia do Comic Natalie e comecei a contar os dinheiros... Enfim, a nova edição da revista Flowers, que tem capa de Chiho Saito, só para tornar ainda melhor, traz brinde uma coleção de postais dos trabalhos clássicos de Hagio Moto – Tooma no Shinzou (トーマの心臓), Poe no Ichizoku (ポーの一族), They Were Eleven (11人いる! Jūichinin Iru!), etc. –  mais suas última obra, AWAY.  São reproduções das capas e ainda temos mensagem especial da autora.  A capa tem a seqüência de postais em detalhe.


Uma outra informação dada pelo CN é que no próximo número da revista teremos um one-shot especial de Yumi Taura (Basara, 7SEEDS) com 120 páginas.  É isso. :D

.

Yun Kouga comemora 30 anos de Carreira com Grande Exposição e evento nas lojas Animate


O Comic Natalie noticiou que para comemorar os 30 anos de carreira da Yun Kouga – autora de Loveless – haverá uma exposição itinerante de sua obra em várias – ou todas, não sei bem – as lojas da Animate (*página do evento aqui*).  No evento, quem comprar mais de 1000 ienes em trabalhos da autora receberá um prêmio especial.  Haverá uma campanha no Twitter com a hashtag #高河ゆん先生おめでとう(#KougaYunSenseiOmedetou).  Quem mandar mensagem para a mangá-ka participará de um sorteio de uma bormide especial autografada.  Serão 10 ao todo.  O evento da Animate vai do dia 1 de maio até o dia 16 da agosto, com a exposição circulando pelas lojas.  Já no stand da Ichijinsha no Comiket Special 6 – OTAKU SUMMIT 2015 haverá também comemoração hoje... quer dizer, já houve, pela hora.  

Lembrando que Loveless está sendo publicado no Brasil pela NewPop.  Trata-se da primeira obra da autora a sair por aqui.  Vi o volume #3 na banca esta semana.

quinta-feira, 26 de março de 2015

Ace Wo Nerae e Attack Nº1 ganham exibição especial no Japão


E Kyojin no Hoshi (巨人の/Star of the Giants)  e Ashita no Joe (あしたのジョー), ou seja, os quatro pilares do gênero. Esta mostra de animação no Tokyo Matsuya, em Ginza, tem como objetivo celebrar os animes de esportes que fundaram o gênero, dois shounen e dois shoujo, e os 50 anos do estúdio TMS Entertainment, responsável pelas produções.  A mostra terá 4 filmes – sei que Ace Wo Nerae! (エースをねらえ!) e Ashita no Joe têm filmes, os outros, eu não sabia – entre os dias 26 de agosto e 7 de setembro.  Para quem não sabe, Attack Nº1 (アタックNo.1) foi o primeiro mangá e anime shoujo de esportes. Apareceu na esteira da vitória da seleção feminina de vôlei na Olimpíada de Tokyo, em 1964. Imagino que o evento tenha alguma mesa redonda, ou algo do gênero.  O Comic Natalie avisa que haverá mostra com acetatos originais e produtos das séries. :D


Quais as músicas de anime que os japoneses estão cansados de ouvir nos karaokês?


O site Nico Nico News fez uma pesquisa com 362 adultos, homens e mulheres, para saber quais as músicas de anime que eles não aguentam mais ouvir nos karaokês da vida no Japão.   O Rocket News 24 publicou o top 5 e indo até o site original consegui ver que não havia somente dois empates em quinto lugar, mas três.  Eis a lista:  

1.  “A Cruel Angel’s Thesis” (Neon Genesis Evangelion) – 40.6%



2.  “Touch” (Touch) – 12.5%



3.  “Uchuu Senkan Yamato” (Uchuu Senkan Yamato) – 9.4%



4.  Gatchaman Song (Gatchaman) – 4.7%



5.  “Cutie Honey” (Cutie Honey) – 3.1%
5.  “Ai wo Torimodose!!” (Hokuto no Ken) – 3.1% 
5. Let it Go! (Frozen) – 3.1% 
Enfim, a abertura de Evangelion arrebatou 40,6% dos votos, um massacre, o povo deve estar cansado mesmo.  Curiosamente, é a música mais recente de todas.  Yamato, Gatchaman, Cutey Honey todos são animes produzidos antes de 1975. :D  Touch e Hokuto no Ken são da primeira metade dos anos 1980.  Todas são músicas espetaculares, Cutey Honey é chiclete, Yamato me dá arrepios, sempre deu, Touch é gracinha... Como o povo do RN24 escreveu, se tem gente quo deia, tem muito mais gente que ama. :D  E, bem, uma lista assim evidencia que os votantes são adultos mesmo. ^_^

E eis que temos Let it Go! no pacote... Gente, qualquer animação, para os japoneses, é anime, o material Disney é amado na Terra do Sol Nascente e os japoneses se apaixonaram a tal ponto por Frozen que foram responsáveis por colocar o filme entre as cinco maiores bilheterias do cinema em todos os tempos.  Sim, é preciso viver com isso.

Ah, sim! Um detalhe sobre a música de Gatchaman: originalmente, ela não era a abertura, mas o encerramento, só que em um dado momento da primeira temporada houve uma troca.  Meu marido reclama que a animação não bate e odeia essa canção.  Ele é fã de Gatchaman.

quarta-feira, 25 de março de 2015

Free! terá animação para o cinema


Segundo o Rocket News 24, Free!, o anime de natação que mobilizou as fujoshi em 2013, terá uma prequel no cinema estreando em 5 de dezembro.  O RN24 ressalta que Free! é um caso a parte, porque a animação japonesa não tinha experiência em colocar em tela séries sobre natação, que seria um esporte repetitivo em comparação com os queridinhos Baseball e Boxe.  Olha, minha experiência diz que é possível fazer bons animes/mangás de esporte, e para os japoneses balé é esporte, com qualquer coisa, fora que o que mobiliza o fandom de Free! não é bem a natação em si... 

Enfim, High Speed! Free! Starting Days (ハイ☆スビード!Free! Starting Days) vai se passar antes das duas temporadas do anime – Free! Iwatobi Swim Club, de 2013, e Free! Eternal Summer, de 2014 – com os meninos ainda no ginásio.  Os dubladores de Haruka, Makoto, Nagisa, Rei, e Rin serão os mesmos.  E Tatsuhisa Suzuki, que interpreta Makoto, já avisou que eles irão fazer as vozes parecerem bem mais jovens.  As fãs estão encantadas.  Eu não imaginava que esse anime fanservice iria tão longe, mas a Kyoto Animation não dá ponto sem nó.  A página oficial do filme é esta aqui.

terça-feira, 24 de março de 2015

Kakukaku Shikajika vence o 8º Manga Taisho Award


Kakukaku Shikajika (かくかくしかじか),  de Akiko Higashimura, é um mangá um pouco autobiográfico, porque acompanha a vida de uma aluna do terceiro ano colegial que sonha em se tornar mangá-ka.  A série começou em 2011, na primeira edição da revista Cocohana, substituta da revista Chorus, e terminou em janeiro de 2015.  Seu último volume, o quinto, sairá amanhã.  Pois bem, foi exatamente esta série de Higashimura que conseguiu mais votos  e levou o prêmio.  O Manga Taisho premia mangás com menos de 8 volumes e é a primeira vez que Higashimura vence.  Este ano eram 14 indicados.  A notícia estava no ANN.


segunda-feira, 23 de março de 2015

DEZ ANOS DE SHOUJO CAFÉ


Sim, o blog já tem 10 anos.  Quem diria?  Ele foi criado sem muitas pretensões, eram textos rápidos, sem imagens, traduções de notícias oriundas de sites estrangeiros, como o Shoujo Manga Outline.  Para se ter uma idéia, o primeiro post de verdade do blog foi sobre o anime de Paradise Kiss e até a minha gravidez acredito que consegui fazer pelo menos um post por dia.  Era questão de honra, mas, agora, não é mais possível.  Qualquer planejamento em relação ao blog pode ser frustrado por uma doença da Júlia ou algum problema de trabalho.  Eis a realidade da semana passada.

Como o Shoujo Café começou?  Bem, eu tinha um site antigo, acho que desde 2000, 2001, chamado Shoujo House.  Publicava resenhas e outras coisas mais. Participava ativamente de algumas listas de discussão, a maior delas a Anime-BR e, por causa da hostilidade com os fãs de shoujo, criei a Tomodachi no Shoujo (*deveria ser Shoujo no Tomodachi, mas analfabetismo em japonês era maior do que agora*).  Lá um colega (*que disse uma vez que nunca seria publicado Sailor Moon no Brasil e que se eu quisesse ver o mangá aqui tinha que criar minha própria editora e licenciá-lo, porque era velho, mal desenhado e seria um fracasso*) sugeriu que eu abrisse um blog para publicar as notícias que postava para a lista.  Deu preguiça, argumentei que não tinha tempo para fazer traduções, mas terminei abrindo o Shoujo Café e ele foi crescendo...


Acredito que o auge do blog foi na época do Shoujocast, nome dado pelo amigo Anderson, que espero sinceramente ver de volta um dia.  Nem n época que escrevia para a Neo Tokyo e o Anime-Pró tinha tanta circulação e boa recepção.  Conheci gente muito legal, a visitação aumentou muito, fora que conversava mais com a Lina, a Tanko e a Tabby.  Também, fez diferença publicar resenhas de seriados, filmes, livros.  Há gente que vem ao Shoujo Café para ler sobre isso e, não, sobre anime e mangá.  Textos de opinião ou feministas atraem muita gente, também.  Queria poder escrever mais, mas faço o que posso dentro das minhas condições de produção.

Talvez seja interessante registrar que o post com maior visitação do blog seja o sobre o filme Oya: Rise of the Orisha (Oya: A Ascensão dos Orixás).  Viralizou de tal forma que cheguei a ter mais de 100 mil visitas em um dia... A média é de 2500, acredito.  O segundo post mais visitado foi minha pequena e ridícula incursão pelo bara mangá com o título ridículo de Mangá para Macho que Gosta de Macho.  Difícil de entender, eu sei... Aliás, os caminhos que trazem as pessoas até aqui são bem misteriosos.


De resto, acredito que momento mais tenso desses anos todos, acredito, foi meu arranca rabo com as lolitas (*1 round aqui*).  Olhando em retrospectiva, acredito que poderia ter lidado melhor com as primeiras críticas e evitado parte do desgaste.  Isso não me faz relevar as agressões e a perseguição – algumas criaturas ficaram na minha sombra por meses – no entanto, um pouco menos de arrogância da minha parteno primeiro contato, poderia ter transformado a crise em possibilidade de aprendizado.

O blog já foi mais animado, considerado (*recebi em primeira mão a notícia de Paradise Kiss pela Conrad e de Fruits Basket pela JBC*) e até trollado  (*Saudades do Murinho da Vergonha!*).  Como os comentários não são abertos, meus trolls foram sumindo.  Acho que parte do ódio tenha vindo do fato de escrever para o Anime- Pró e para a Neo Tokyo, como larguei, eles acabaram arrumando o que fazer.  Quanto às notícias, ainda que considere o meu site o mais importante do seu nicho – shoujo mangá – há grandes portais, há sites com mais visibilidade e melhor conduzidos, enfim, o Shoujo Café é trabalho de uma pessoa só que nem a template do blog conseguiu mudar para o aniversário...


A graça é que em dez anos de Shoujo Café, o mercado de shoujo no Brasil pouco andou e o de anime recuou ainda mais... Sailor Moon, Honey e Clover, Kimi ni Todoke, Sunadokei, Shoujo Kakumei Utena, Fruits Basket, Vitamin são coisas muito boas, mas tivemos Peach Girl e Otomen sendo muito maltratados, temos um preconceito resistente contra os mangás femininos, o medo bobo de usar os rótulos... Ainda há quem venha discutir se Chobits é shoujo, porque tem romance... Enfim, há tanto caminho a percorrer ainda.  E há a crise econômica que coloca nuvens escuras no horizonte... 

Enfim, aprendi muito fazendo o Shoujo Café e continuo aprendendo.  Como já escrevi antes, se um dia acreditar que o site perdeu a sua relevância, eu o fecharei.  Como sei da importância do Shoujo Café, nem que seja por sua ótica feminista, ele fica.  Fora, claro, que me dá muito prazer escrever aqui.  Queria poder ter mais guestposts e colaboradores, queria um visual melhor, queria muita coisa, mas faço o que este dentro das minhas possibilidades.  Obrigada por me visitarem, pararem para um café.  Obrigada pelo carinho.  Sem vocês, fazer o Shoujo Café não teria a mesma graça.

[P.S.: Mais tarde, se for possível, posto mais alguma coisa... Tenho as homenagens recebidas e uns presentinhos para sortear.]