segunda-feira, 6 de maio de 2019

Game of Thrones, a Destruição de suas personagens femininas e Theodora de Bizâncio: Algumas Reflexões Feministas


Hoje, abri o Twitter e o topo dos trending topics é GOT: Cersei, Danny, Brienne, Sansa, Daenerys etc.  Todas mulheres.  Conhecendo Game of Thrones, já sabia que não era coisa boa, mas fui checar as fofocas.  Sempre faço isso, assisto até vídeos comentando a série, leio artigos e também quero saber quem é o tal Azor Ahai.    Não vejo a série, nunca consegui gostar dela, mas já me localizei e vi que uma das poucas personagens de cor importantes foi morta. Semana passada tinham massacrado os unsullied e os dothraki, li um texto reclamando das escolhas. Enfim, até o fim do seriado, vão branquear geral.  Matar as personagens não brancas é uma escolha política, por assim dizer, assim como destroçar as personagens femininas importantes da série.  


Gwendoline Christie disse ter ficado frustrada com  a situação.
E, sim, pegaram duas personagens femininas importantes e as colocaram se comportando de forma esquisita.  A atriz que faz Brienne até deu declarações reclamando da forma como esse episódio retratou a personagem, mas faça-se a vontade dos roteiristas homens. Já a outra, umas das personagens femininas mais amadas e odiadas de GOT, foi mostrada alegrando-se por todas as humilhações e abusos (sexuais) que sofreu, porque foram essas coisas que a fizeram forte. Está bom para vocês?  Mas tem mais, há uma terceira, que está enlouquecendo.  E quem Arya vai matar?  Cersei ou Danny?  Ambas tem olhos verdes.  Aguardemos, porque como já eliminaram precocemente o grande vilão, a coisa deve degringolar para embates e destruição de várias personagens femininas.  Realmente, faço bem em focar em outras coisas. 

Mosaico famoso com a imagem de Theodora.
Mas eis que agorinha me apareceu na minha TL do Facebook o seguinte artigo Who needs Game of Thrones when we have Byzantine history? (Quem precisa de Game of thrones quando temos a história bizantina?).  Bem, estou longe de ser especialista em Império Bizantino (395-1453), mas gosto de ler sobre a parte oriental do antigo Império Romano.  É sempre muito interessante.  Barracos religiosos, brigas de família, mutilações de parentes para impedi-los de assumir o trono, ameaças externas e, como o texto, que é fraquinho, destaca bem, mulheres interessantes.  E como é para entrar dando voadora mesmo, citam logo Theodora, uma das minhas mulheres poderosas favoritas.  Traduzi o trechinho:
"Uma das coisas mais agradáveis sobre a civilização bizantina é o papel desempenhado pelas mulheres — e não apenas as da elite. É impossível imaginar na história do que hoje pensamos ser a "Europa Ocidental" algo como a extraordinária carreira da Imperatriz Theodora. Nascida do casamento de um treinador de ursos e uma acrobata e órfã aos 5 anos de idade, ela também se tornou uma espécie de artista. Alguns desses espetáculos soam bastante bizarros, na verdade pornográficos — em uma delas ela se deitava nua enquanto escravos cobriam seu corpo com cevada, que era então devorada por gansos. Depois de alguns anos no exterior, quando jovem, ela retornou a Constantinopla, onde Justiniano I mudou as leis que regiam o casamento de atrizes e casou-se com ela. Como imperatriz, Theodora era conhecida por sua caridade — entre outras coisas, ela tinha um grande interesse em melhorar a vida das prostitutas e outras mulheres de baixa reputação — e sua coragem. Durante uma revolta em 532, o marido estava prestes a fugir do palácio quando ela o abordou. "Todo homem que nasce na luz do dia deve, mais cedo ou mais tarde, morrer; e como um imperador poderia permitir-se ser fugitivo?" ela disse. "Possa eu nunca, voluntariamente, abrir mão de minhas vestes imperiais, nem ver o dia em que não se dirijam a mim por meu título. Se você, meu Senhor, quiser salvar sua pele, não terá dificuldade em fazê-lo. Quanto a mim, eu permaneço pelo antigo ditado: a púrpura é a mais nobre das mortalhas.""
E sempre que leio sobre Theodora, me pergunto por qual motivo não fizeram uma boa minissérie sobre ela, ou filme, ou mangá.  Imaginam essa mulher sendo protagonista de mangá?  E o texto não fala, mas Justiniano, o mais importante dos imperadores bizantinos, era ele mesmo de origem camponesa, só subiu na vida, porque um tio rico o adotou.  Ele deu para Theodora um status que poucas imperatrizes tiveram, ela assinava junto com ele os decretos, seu nome estava nas moedas.  Depois que Theodora morre, o reinado dele perde muito de seu brilho.  Um casal muito interessante, sem dúvida.


Cartaz do filme de 1921.
Mas enquanto construía esse texto, acabei tropeçando dois filmes italianos feitos sobre Theodora.  O primeiro de 1921, chamava-se simplesmente Theodora.  O segundo, de 1954, chama-se Teodora, imperatrice di Bisanzio (Theodora, Imperatriz de Bizâncio), em inglês, o título é Theodora, Slave Empress.  Theodora talvez tenha sido prostituta, mas nunca foi escrava, não que eu tenha lido em algum lugar.  Vi algumas cenas desse filme e, bem, é ruim, com certeza, ainda que possa ser divertido.  Olha o trailer aí embaixo:


É isso, mas um texto meio sem objetivo. Eu sempre penso em fazer uma sequência de posts sobre mulheres importantes da História, mas nunca tenho energia.  Nem o Jornal está saindo mais.  Só que é excesso de trabalho.  De qualquer forma, espero que vocês tenham gostado do texto.

GOSTOU?

2 pessoas comentaram:

Eu nunca assisti à série e nem li os livros (li uma entrevista com o autor em que o mesmo frisa duas violências sexuais contra mulheres como um dos atrativos de um novo volume da série, quando estava acabando ou havia acabado de escrevê-lo, então acho que ele também quer de certa forma agradar os fanboys também), mas percebi esse viés machista desde sempre. Tem meninas que conheço que fazem discurso feminista e se dizem "empoderadas" e cultuam isso aí. Para mim não faz sentido. Agora elas verão as personagens "fortes" sendo massacradas. O que isso pode passar para jovens meninas em formação? Ainda bem que esse negócio está acabando. Suas colocações são sempre muito claras, dando voz à ideias que compartilho, mas não saberia colocar de forma tão cristalina quanto você consegue, Valéria.Obrigada. Ansiosa pelo jornalzinho.XD

Gostei do texto, sempre aprendo algo novo! Muito interessante a história da imperatriz Theodora e sobre GOT bem não acompanho mas saber que isso está acontecendo com as personagens femininas é bem triste.

Related Posts with Thumbnails