segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013

Alguns Comentários sobre 85ª Edição do Oscar



Ontem acompanhei o que pude do Oscar.  Como não tenho TV por assinatura, tive que acompanhar pelo Twitter e pela Globo, quando, finalmente, eles decidiram exibir o programa.  Resultado, a Globo só começou a exibir o Oscar perto da meia noite e hoje eu correrei atrás de um torrent para dar uma olhada em tudo.  Quero ver a participação do William Shatner como Capitão Kirk, por exemplo. 

Eu gosto de assistir ao Oscar, é hábito antigo.  Queria muito que alguém comprasse o programa, pois o SBT tratava muito melhor a exibição.  Não reclamo dos apresentadores – José Wilker e Maria Beltrão – pois gosto de ambos, acho muito mais agradável vê-los e ouvi-los do que aturar, por exemplo, o detestável do Ewald Filho na TNT, mas a Globo só compra a cerimônia do Oscar para que outra TV não exiba.  Por isso mesmo, não lamento a Record ter comprado exclusividade de eventos esportivos.  Eles têm problemas, claro, mas nunca a Globo iria parar sua programação normal(*novelas, BBB, telejornais*)  para exibir algo que não fosse futebol ou finais de algum esporte “de massa” e, provavelmente, só se o Brasil estivesse jogando.


Enfim, não tenho muito a falar do apresentador – Seth MacFarlane – precisava ter acompanhado tudo.  Acredito que perdi suas  piadas mais infames, no entanto, ele não me empolgou em nada.      pelos comentários hoje em vários sites, perdi o pior.  Algumas pessoas na minha TL do Twitter estavam reclamando horrores, os fãs do cara, claro, estavam amando.  Minha dupla de apresentadores dos sonhos seria Hugh Jackman e Anne Hathaway.  Seria o máximo.  No entanto, como a audiência do Oscar foi a melhor dos últimos três anos, periga MacFarlane voltar.

Gostei de algumas participações, como a de Christopher Plummer, absolutamente encantador, e Barbra Streisand, muito inspirada.  Adele estava linda no seu vestido preto, muito diferente do modelito horroroso do  Grammy 2013, e cantou maravilhosamente, claro.  Mas daquilo que vi, o que mais me encantou foi a música cantada por todo o elenco de Os Miseráveis.  Achei a cerimônia bem longa, também, mais que nos últimos anos, acredito.  E foi surpresa saber que foram 500 mortos ano passado (*Ouvi errado?*).  Deve ter sido difícil selecionar os homenageados.


Das categorias em que apostei, 24 ao todo, errei bastante, 11 bolas fora.  Curiosamente, se tivesse mantido meu impulso primeiro, aquela opção conservadora, teria acertado Atriz (Jennifer Lawrence), Ator Coadjuvante (Christoph Waltz) e Figurino (Anna Karenina).  O resto, ou foi chute, caso do diretor, que não tinha entre os participantes nenhum dos meus favoritos (Ben Affleck, Robert Zemeckis e Tom Hooper) e categorias como documentário e curta-metragem... essas coisas.   Votei em maquiagem para Os Miseráveis, mas continuo sustentando que Valjean não foi envelhecido o suficiente.  Simplesmente, não tinha como dar outra coisa. 

De qualquer forma, acredito que a única grande injustiça entre os premiados foi Jennifer Lawrence, não pela competência da atriz, mas porque O Lado Bom da Vida é um filme medíocre e ela não fez nesta película nem a metade do que fez em Inverno na Alma, sua primeira indicação.  Não premiarem Emmanuelle Riva não foi o mesmo escândalo do ano (1999) em que Fernanda Montenegro perdeu o Oscar de Melhor Atriz para Gwyneth Paltrow.  Lawrence é uma atriz muito superior, mas ela tem tempo e ganhou o Oscar por um filme clichê, enquanto Riva teve um desempenho espetacular em Amor.  É isso.  Segue a lista dos prêmios que errei: 


1. Diretor: Ang Lee  
2. Atriz: Jennifer Lawrence  
3. Ator Coadjuvante: Christoph Waltz  
4. Roteiro Original: Django Livre 
5. Documentário em longa-metragem: Searching for Sugar Man 
6. Documentário em curta-metragem: Inocente 
7. Trilha sonora original: As Aventuras de Pi 
8. Edição de som: A Hora Mais Escura e 007 - Operação Skyfall 
9. Melhor curta-metragem: Curfew 
10. Figurino: Anna Karenina 
11. Design de produção: Lincoln 


E foi ótimo ver Argo ganhar e o Ben Affleck subir para pegar sua estatueta.  Foi muito, mas muito injusto mesmo não o terem indicado para Melhor Diretor.  Acredito que, pelo menos no caso dele, o erro não vai se repetir.  E só mais uma coisinha: quem tenta reduzir Argo a uma "patriotada" não viu o prólogo do filme no qual se fala de toda a política podre dos EUA, inclusive derrubar um líder democraticamente eleito, bancar uma ditadura atroz e explorar economicamente o Irã.  Agora, é óbvio que o filme vai nos fazer ter empatia pelos sujeitos que precisam ser resgatados e pelos envolvidos na ação de resgate.  Simpatia por eles, não pela política americana.  Mas parece que muita gente só consegue ver o mundo em preto e branco.

GOSTOU?

2 pessoas comentaram:

Cenas emocionantes do Oscar: Jennifer Hudson cantado "and I am telling you", os atores de Os Miseráveis, e a Jennifer Garner emocionada pelo marido Ben Affleck.

Essa cerimônia foi bem melhor do que a do ano passado, só que ainda acho que o Hugh Jackman é um dos melhores apresentadores que o Oscar já teve e ele deveria voltar.

Eu acho que você deveria ver As Aventuras de Pi, Valéria. Achei o filme bem interessante

Related Posts with Thumbnails