quinta-feira, 31 de outubro de 2013

O Caso Michele ou Quais os Limites do "Humor" na TV Aberta


Como mãe que está amamentando, sinto-me obrigada a escrever algumas linhas sobre a crueldade que o “humorista” (*assim, entre aspas, porque não acho que o que este senhor faça seja humor*) Danilo Gentilli fez com a enfermeira Michele Rafaela Maximino.  A mulher, uma das maiores doadoras de leite do Brasil, talvez do mundo, teve sua imagem exposta, foi comparada ao em sua abundância de leite ao ator pornô Kid Bengala, entre outras “gracinhas”.  Enfim, coisinha sem importância, Michele – que passou a ser chamada de “vaca leiteira” e “vaca do Gentilli” na cidadezinha onde mora – e o marido – acusado de ganhar dinheiro vendendo a imagem da esposa – é que não tem senso de humor. 

Segundo várias notícias, Michele está deprimida, sua produção de leite caiu drasticamente, o leite de um dos seus seios secou, e ela está disposta a deixar de doar leite no próximo mês... Nada demais, claro, ninguém vai perder com isso, e Gentilli e sua turma vão continuar debochando de gente indefesa, gente comum, e ganhando dinheiro com isso.  Eu tomei conhecimento de que Michele existia através de uma matéria do G1, que diz o seguinte sobre ela: “Michele Rafaela Maximino, de 31 anos, é mãe de três filhos, pesa 53kg, diz ser saudável e obtém o excedente de 1,5 litro de leite por dia. “Eu pensava que era a produção normal, até que passei a pesquisar sobre aleitamento”, afirma. E o excesso acabou mudando os rumos dela. “Eu era técnica de enfermagem e hoje sou dona de casa. Abandonei a profissão para doar. Agora eu tenho outras famílias”, diz Michele Rafaela.”  


Hoje, pelo post do site da Lola, fiquei sabendo que Michele e o marido fazem uma viagem de 80 km todos os dias até Caruaru, onde fica o hospital Jesus Nazareno para doar o leite que será utilizado na UTI Neonatal.  Michele, antes de ser ridicularizada por Gentilli e seus coleguinhas em um dos seus programas diários era responsável por 70% das doações de leite do hospital.  Michele se tornou doadora depois que teve sua última filha; a menina nasceu prematura e precisou de doações.  

Michele faz DOAÇÕES, ou seja, não ganha nada em troca a não ser a certeza de que algum bebê poderia receber conforto ou ser salvo.  Segundo a diretora-geral do hospital, “(...)  a maternidade registra uma média de 500 partos mensais, sendo 30% prematuros, que dependem do banco de leite em suas primeiras horas de vida. O hospital possui 18 leitos de UTI neonatal, sendo que 17 deles estavam ocupados até o final da manhã desta quinta-feira”.  Mas para humoristas do nível de Gentilli (*e outros*), peitos de mulheres existem para dar prazer sexual aos homens.  Tudo o que escapa disso é motivo de chacota ou vergonha.  Daí, em alguns espaços públicos, como os shoppings de Caxias do Sul, se você quiser amamentar, precisa ir para o banheiro... 


Quem amamenta, e eu estou passando pela experiência faz 13 dias, sabe o quão dependente um bebê, especialmente um recém-nascido, é deste alimento.  Eu tenho leite mais que suficiente para a minha filha, não vou dizer que é uma experiência 100% prazerosa, porque a demanda é grande, as horas de sono são fragmentadas, você fica dolorida (*meus seios não racharam ou sangraram, ainda bem*), e você fica preocupada com a qualidade do que come e o impacto que isso tem sobre o bebê.  Não é fácil, mas, pelo menos no meu caso, ver a cara de alegria da criaturinha quando agarra (*às vezes, ao estilo tubarão... ainda bem que não tem dentes*) meu peito é bem reconfortante.

Voltando ao caso, Michele e o marido estão processando a emissora (*Bandeirantes*) e Danilo Gentilli.  Hoje, uma liminar em favor de Michele foi expedida pela juíza da 2ª Vara Cível de Olinda, Cíntia Daniela Albuquerque, determinando que a emissora retire o vídeo de todos os sites da internet que sejam de sua responsabilidade, bem como impedir que outros mantenham ou disseminem o seu conteúdo.  A multa é baixa, 5 mil reais.  O casal pede 1 milhão por danos morais; no Brasil, indenizações dessa monta raramente são concedidas.  Resultado?  Ofender, humilhar, difamar, sai muito barato e é dinheiro que faz diferença nesses casos.  Querem ver?  Gentilli continua debochando de Michele e da repercussão da sua “brincadeira” de extremo mau gosto, mas em 2011, quando do caso do metrô de Higienópolis, o moço pró liberdade de expressão e contra o politicamente correto se desculpou publicamente depois que twittou “Entendo os velhos de Higienópolis temerem o metrô. A última vez que eles chegaram perto de um vagão foram parar em Auschwitz”.


A comunidade judaica, até por motivos óbvios, é muito organizada e tem poder de pressão.  Pode abrir ou fechar portas.  Uma briga dessas pode resultar em perda de anunciantes.  E, bem, eles estão certos em pressionar, processar, e pedir indenização.  Errado é se calar e não se organizar contra os abusos.  Mas e uma Michele e seu marido? Ah, para os fãs do Gentilli, a mulher é uma aproveitadora, não tem senso de humor.  Sei... Sei... Dificilmente, ele irá se desculpar.  Eu diria que não vai, porque, bem, ele não vai perder anunciantes por causa de Michele, nem seu programa, que é na TV Aberta, concessão pública, portanto, vai ser tirado do ar ou ser suspenso... Então, precisamos confiar (*Cóf!  Cóf!*) na Justiça.  Só que, ainda que Michele receba alguma compensação, o estrago está feito.  E reproduzo a fala da diretora-geral do Hospital Jesus Nazareno, Flora Raquel de Freitas:  
“É uma mente perversa. Não tem conotação sexual alguma e é um desrespeito sem tamanho para com as mulheres que amamentam. Amamentar é alimentar, é salvar vidas. Este humorista, esta pessoa, prestou um enorme desserviço à amamentação em todo o Brasil.   O pior que pode acontecer é fazer com que outras mães fiquem inibidas e não façam a doação do leite materno, prejudicando enormemente um trabalho de muitos anos e colocando em risco a vida de muitos recém-nascidos que contam com os bancos de leite para suprir suas necessidades.”

É isso.  Triste ver a falta de consciência de alguns “humoristas” neste país e de seus fãs.  De como humor politicamente incorreto é sinônimo de debochar dos mais fracos, das minorias historicamente discriminadas: pobres, mulheres, gays, negros, etc.  Quando se mexe com os poderosos, aí, temos afastamentos e pedidos de desculpas.  Vide, também, o caso Rafinha Bastos X Vanessa Camargo (*ou seu marido empresário*) ou Gentilli X judeus de Higienópolis.  Aí, o buraco é muito mais embaixo...  Mas se quiser fazer alguma coisa positiva por Michele, deixe um recado na página dela.  Imagino que isso possa confortá-la m pouco.  Se fosse comigo, com certeza, ajudaria.

P.S.: Se você acha que Gentilli está certo, que se trata de humor e, não, de abuso e crime, nem se dê ao trabalho de comentar.  Eu não publicarei.  Gaste sua energia em um grande portal, no qual as pessoas podem defecar pelos dedos e qualquer coisa é publicada.

GOSTOU?

5 pessoas comentaram:

Olá!!

Desconhecia do fato até ler esse post. E o politicamente corrento já deu o que tinha que dar né?

É bem provável que esse processo seja somente mais um na grande lista de Danilo Gentili.

Confesso dizer que assisto ao programa dele quando tenho oportunidade. Contudo, nem todas as piadas são boas, principalmente as que mechem com pessoas desprovidas de fama, como você citou, Wanessa Camargo.

Ótimo texto.

Boa sorte com sua filhinha.

Valéria, o que você acredita que seja o melhor modo de se lidar com os humoristas politicamente incorretos, vulgo babacas da pior espécie?Por que se os ignoramos parece que é um passe livre para eles continuarem a serem babacas e se protestamos estamos botando eles em evidência.

Eu era super fã do Danilo Gentili até peguei um autógrafo dele no Pátio Brasil(ah que tempos ingênuos de ensino médio em que eu não entrava em atrito com ninguém por conta de racismo, feminismo e etc...) mas depois daquele incidente com a piada do macaco minha idolatria foi por água abaixo. Eu pessoalmente, não achei aquela piada racista, mas ai... ele respondeu a uma ativista do movimento negro com a seguinte pérola: quantas bananas você quer para ficar quieto? A partir da ai a reação dele foi piorando, e ele mostrou o que era: um verdadeiro babaca, apesar dele se gostar de ver como uma espécie de coringa anarquista versão humorista brasileiro.

Perco a fé na humanidade quando vejo a elite brasileira se curvando as peripécias do Danilo como se fossem coisas geniais e inovadoras e não como babaquices preconceituosas manjadíssimas descaradamente copiadas de comediantes estadunidenses...

Como eu tenho um lado sadomasoquista eu passei pelo blog dele e li um long post sobre como ele é uma vítima do politicamente correto, o ápice do classemediasofre dele foi a frase: "Eu realmente gostaria que no Brasil os alvos das piadas não se considerassem tão frágeis, o público não fosse tão limitado e os comediantes não fossem tão covardes e acomodados"

Nesse incidente foi a Michele que entrou em depressão, virou motivo de chacota da cidade, teve perda na produção de leite deixando de ajudar vários bebês mas provavelmente o Sr.Gentili se considera um perseguido por uma ditadura politicamente correta inexistente, praticamente um gênio incompreendido.

Ps: Orgulho de nunca mais ter visto o programa dele, desejo que acabe em breve!

Na verdade, Gentili conseguiu o que queria, que é ter os holofotes de volta.
Pode esperar. Daqui há alguns meses, quando a poeira desse caso baixar, ele inventa outra "polêmica".
Infelizmente, nada de novo na terra de ninguém. Quem faz algo para ajudar acaba humilhado e os "esclarecidos e vitimados" gritam: "Censura! Não estamos mais na ditadura!". E por aí vai.
Pena. Mas espero que haja reação. Que a amamentação e os direitos das mulheres também ganhem foco igual (difícil, eu sei).

Não gosto desse tipo de "humor".

É apelativo,não tem graça,geralmente é irritante e quase sempre alguém que não merece é ofendido.

Entendo o "trabalho" de pessoas como o Gentilli como a profissionalização e aceitação pública do Bullying (onfesso que só gosto quando a "vítima" é algum político que ridiculariza e desrespeita os cidadãos todos os dias. Ainda assim, apelativa e no fim das contas, inútil).

E isso ocorre por que o significado do termo Humor Inteligente é usado para definir o que esses caras fazem...um desses exemplos de como o bom senso está cada vez mais frágil, suscetível, e maleável. Bem raso, na verdade:

Se algo for eleito "politicamente incorreto" por uma maioria que ninguém sabe, ninguém viu,rapidamente gera protestos ou recebe o apoio da maioria,sem questionamento, sem discernimento, e sem qualquer sensibilidade além do melodrama óbvio (fotos de pessoas doentes, ensaguentadas em manifestações, ou bichinhos para doação...etc etc...).

É o tempo do "TEM QUE TER UMA OPINIÃO, QUALQUER QUE SEJA".

O caso dessa mulher, que deveria ser aplaudida, admirada e copiada,ao invés de servir de pivô para uma polêmica iniciada com uma pretensa "piada",é uma prova do sinal dos tempos: afinal, o que são os tais "VALORES" justamente no tempo do "POLITICAMENTE CORRETO" institucionalizado, no qual "negro" ou "preto" deve ser substituído por "afro-descendente" ?

O "Gigante" não acordou.Na verdade ele nunca esteve tão dopado...lamentável.

O Sr. Gentilli merece SIM um processo. E que sirva de exemplo - não sem discernimento - para que o próximo "comediante" (...) pense duas vezes sobre quem ou o quê fazer a piada.

Na época da piada com a Wanessa via essa irracionalidade nas pessoas, não de que humor tem que ser levado a sério, mas a pretensão das pessoas em taxar o direito que o alvo da piada tem de se sentir ofendida. “É um piada, deixa pra lá”. O caso dessa senhora funciona da mesma forma, é mais um “grupo” tentando roubar a individualidade de alguém. Infelizmente grupos para roubar a individualidade é o que não falta no Brasil, vide a palavra “negro” sempre em contexto de vitima[sendo negro odeio isto]. Pela hi(e)stória de vida que o Danilo tem, que a mãe trabalhava em um orfanato que foi fechado por intromissão do PT, deveria ter um mínimo de consciência no diz.

Related Posts with Thumbnails