terça-feira, 21 de novembro de 2017

Algumas palavrinhas sobre Nobuhiro Watsuki, não, não é somente sobre ele


Gente, não vou discutir nenhum caso individual. Nenhum.  É um post de auto-ajuda.  Acho que o primeiro do Shoujo Café. O fato é que estamos tendo uma onda de casos de denúncias, revelações e admissões de culpa (*em muitos casos crimes*) relacionados á questões sexuais.  Daí, vejo os comentários "Fulano, não!"  Fulano, também!"  "Meu ídolo morreu!"  "Preciso repensar meus ídolos!".  É muita angústia circulando na internet esses dias.

Assim, eu sou uma velha, tenho 41 anos.  Eu nunca tive ídolos, minha única grande frustração com uma pessoa foi quando descobri que minha mãe, até minha mãe, a pessoa perfeita, mentia.  Eu devia ter uns dez anos.  O que eu quero dizer é que se a gente parar de olhar para as pessoas como ídolos, ou santos, modelos de perfeição, e olhar pessoas e admirá-las por suas qualidades, parte desse sentimento de frustração desaparece.  O ódio, que é um sentimento muito daninho, que consome tanta energia, não criará raízes dentro da gente.

Não estou dizendo para perdoar.  Não estou dizendo muito menos que A, B ou C não precisem ser punidos, estou aconselhando a ver todos esses seres humanos - ainda que brilhantes e admiráveis em determinadas áreas - como o que são, humanos, isto é, passíveis de várias falhas como você, como eu.  Falhas diferentes, que podem, ou não, causar danos a outros, que podem, ou não, ser crime, mas que são expressão da nossa humanidade.  

O mundo está cheio de ódio nesse momento, há gente que ganha dinheiro com isso, inclusive, veja bem se você quer embarcar nessa canoa furada.  Precisamos discutir questões estruturais, o machismo, o racismo, as extremas desigualdades sócio-econômicas que permitem que certas violências se perpetuem.  É isso, ou ficar alternando os agentes e descobrindo que a rede é muito maior e que há tantos cúmplices, como culpados.

GOSTOU?

2 pessoas comentaram:

1 questão... deveríamos cuspir na imagem dos Irmãos Lumière (pais do cinema) ?
Descobri que eles eram fãs de Mussolini e Pétain na 2ª guerra.
Eiji Tsubaraya , (pai do tokusatsu) , fez filmes pra propaganda militarista japonesa na 2ª guerra...

Pessoalmente eu sempre fui contra hall da fama, chamar de gênio, ídolo e coisas do gênero, porque não saberemos a vida dessas pessoas. Também não podemos confundir a obra com o seu autor, a obra não faz mal pra ninguém, não abusa, não estupra, não faz pedofilia, não rouba e não mata, se você gosta da obra continue gostando independente do seu autor.
Ódio é um sentimento que não devemos ter, mas devemos ter o sentimento de decepção com as pessoas e principalmente com a indústria que não pune, que sempre acoberta os crimes de seus integrantes e defende estupradores de crianças, abusadores, agressores e etc.

Related Posts with Thumbnails