quinta-feira, 25 de março de 2021

Comentando Shojo Kon ~Kohinata Fuufu wa Shite Mitai~ : Um casal inocente descobre os prazeres do sexo (+18/NSFW)

 Hoje, o Pro Shoujo Spain  postou imagens do mangá Shojo Kon ~Kohinata Fuufu wa Shite Mitai~  (ショジョ婚 ~小日向夫婦はシてみたい~) de Aoi Chizu e Kojima Kiichi.  Trata-se de um mangá josei TL, que significa Teen Love, apesar da maioria dos protagonistas, como os desse mangá que estou apresentando, serem adultos.  Não considero uma nova demografia, mas a quantidade de revista TL é enorme, a maioria delas, digitais, só os mangás saem encadernados mesmo.  

Ah, não expliquei o essencial, esse tipo de mangá está ali no limite entre o erótico e o pornográfico, na maioria das vezes, pelo menos do que eu li, a história acaba sendo sacrificada em favor das cenas de sexo, que parecem ser algo obrigatório, uma por capítulo.  Há exceções, sim, mas acredito que dependa da revista e da fama da autora.  É raro, mas há mangás desse gênero que são longuíssimo.  Exemplo? Joushi no Asoko wa XL Size!? Futoi Sakippo... Haitteru...! (上司のアソコはXLサイズ! ?~太い先っぽ…入ってる…!), que teve anime, e 38°C no Kiss - Manatsu no Gogo, Cooler ga Kowareta Heya de... (38℃のキス~真夏の午後、クーラーが壊れた部屋で…), que irei resenhar um dia.  Pois bem, falemos de Shojo Kon.

A série tem como protagonista um casal, Kurumi e Keichirou, que está casado faz quase um ano e nunca fez sexo, na verdade, os dois são virgens e com zero experiência anterior.  Ambos estão apaixonados, mas não sabem como fazer com que o parceiro tome a iniciativa.  O rapaz acredita que deve respeitar o tempo da esposa, que passou por uma experiência de quase estupro.  Já ela, bem, não sabe como comunicar para o marido que está pronta para consumar o casamento.

O casal se conheceu graças a iniciativa de seus pais, que consideraram os dois jovens tímidos e estudiosos compatíveis.  Ele, um professor universitário de Zoologia, se sentia muito mais seguro com os animais e os livros do que com as mulheres.  Ele acreditava que sua conversa, que sempre girava em torno do seu trabalho e paixão, era desestimulante para ela.  Já Kurumi, uma botânica, não sei se trabalha, ou não, foi criada pelo pai em uma redoma, ou estufa, estudando até a universidade em escolas femininas.  Ao chegar na universidade, a moça foi atacada por um grupo de alunos veteranos, salvando-se por pouco, e se retraiu ainda mais.  

Enfim, o omiai  (お見合い) dá certo, Kurumi conta a sua experiência desagradável para Keichirou quando ele lhe pede em casamento e o rapaz lhe propõe que se casem, se conheçam melhor e, mais tarde, decidam se querem, ou não, fazer sexo, ficar juntos, enfim.  Um arranjo ideal para os dois, especialmente para ele, que deveria estar sob pressão da família para se casar.  Mas é bom dizer que nesses três capítulos disponíveis até agora, sabemos quase nada da família do rapaz.

Enfim, assim como outro mangá que tinha olhado anteontem, e que vou esperar mais capítulos para resenhar, o primeiro capítulo não sem sexo, mas abre com uma página bem bombástica, quase gráfica, para ingressar em um flashback. "Kurumi-sa, abra mais as suas pernas".  A moça parece encabulada e ouve do marido "Esta é a minha PRIMEIRA VEZ em que vejo uma genitália feminina de verdade. Quero ter uma visão clara." Acredito que seja um recurso narrativo desse gênero com o objetivo de sinalizar para a leitora que é um mangá TL e que, logo, logo, os protagonistas estarão fazendo sexo.

Eu acredito que seja obrigatório na maioria das revistas do gênero que as autoras coloquem pelo menos uma cena de sexo por capítulo, em especial, no início da série e em material curto.  Há muitos mangás desse grupo que só tem um volume e acabou.  Shojo Kon tem tudo para se estender mais que isso, mas mesmo mangás que poderiam se estender, costumam fechar com dois volumes no máximo.  No caso de Shojo Kon, sexo não aconteceu até o capítulo #3.  Ou, pelo menos, não aconteceu nas páginas que estão liberadas para leitura gratuita (*imagem acima e abaixo*).

Primeira coisa, a série é muito bem desenhada.  O traço é bonito e os protagonistas são lindos e parecem mais jovens do que são.  Isso não é tão comum nesses mangás TL que são, repito, normalmente protagonizados por adultos que parecem adultos, ainda que lindos.  Segunda coisa, é muito fácil ter simpatia pelos protagonistas, mesmo que a história seja bem ridícula.  Eles são sinceros, gentis, o nervosismo de ambos é bem palpável.  Terceiro, como é comum nesses mangás, camisinhas de vênus são mostradas como imprescindíveis em uma relação sexual.  Eles são didáticos nesse aspecto e proteção é tudo.  E, por fim, Keichiro pontua alto no quesito bom comportamento.  Ele respeita Kurumi, entende suas razões e a relação dos dois é baseada em consentimento.  Bom marcar isso, porque certos mocinhos dessas histórias são deploráveis.

Li os capítulos disponíveis em inglês e a tradução é muito boa com várias notas para explicar que Keichiro é muito formal, eles estão casados e se tratando por "san", vejam só, e usa muitos termos científicos, ou pouco usuais. É isso, não há muito mais a dizer e eu recomendo muito, lembrando que é material para adultos e com conteúdo sexual explícito, então, estão avisados.  Se você quiser dar uma olhada no terceiro capítulo raw, ela está aqui.  Para ler as scanlations em inglês, basta clicar.

0 pessoas comentaram:

Related Posts with Thumbnails