domingo, 27 de janeiro de 2013

Algumas palavras sobre a Tragédia de Santa Maria



Não tenho muito a dizer sobre o acontecido em Santa Maria, só sei que estou muito triste pelas vítimas e seus familiares. Continuo temendo, também, que algum ex-aluno ou aluna esteja entre as vítimas. Para quem não entende a preocupação, explico que no Colégio Militar de Brasília temos muitos alunos que são do Rio Grande do Sul e que há um contingente do Exército em Santa Maria, além de um Colégio Militar da mesma rede que a nossa. Mas me dói de qualquer jeito, ver tantos jovens tendo suas vidas ceifadas. Sei que muita gente que quer esquecer isso, mas há coisas que fogem ao nosso controle e sempre há riscos relacionados a lugares cheios e aglomerados humanos, a gente assume por prazer ou dever se colocar em situações assim. Grandes eventos de massa - religiosos, festas, passeatas, jogos de futebol - reúnem as condições para que certas tragédias aconteçam. Mas elas não são freqüentes e, por isso mesmo, quando acontecem, ficamos em choque.

Agora, o que é necessário apurar direitinho é por qual motivo os seguranças não deixaram o povo sair, se realmente os extintores estavam vazios, se havia excesso de lotação, se o alvará estava em dia, e por aí vai. Esses cuidados minimizam as tragédias que, não raro, são inevitáveis mesmo. No mais, meus sentimentos às famílias das vítimas e aos enlutados, minhas orações e desejo que todos os feridos se salvem com o mínimo de sofrimento possível. A imagem aí embaixo veio do Facebook. Acredito que o telefone seja real e tudo mais, já que foi passada por gente idônea e residente em Santa Maria. Então, se você estiver no Rio Grande, principalmente, e puder e quiser ajudar é uma oportunidade.


ATUALIZAÇÃO 28/01: Estava assistindo agora o telejornal matutino da Record e o comandante dos bombeiros em Santa Maria estava dando entrevista.  A parte cruel e desnecessária foi fazer o homem chorar.  Ele tem duas filhas de 18 e 20 anos e não as deixou ir à festa.  Elas poderiam estar entre as vítimas.  Fora isso, ele explicou que, ao contrário do que se tem veiculado, a boate atendia todas as normas de segurança exigidas por lei (*Olhem o tópico "Boate preenchia requisitos de segurança" dessa matéria*).  Nesse aspecto, os donos da Kiss estão limpos. Ele ressaltou que, para o Corpo de Bombeiros, a legislação atual é obsoleta, mas que eles não podem exigir mais do que a lei permite.  Enfim, outras tragédias do gênero podem acontecer.  Atualizar a legislação de segurança é urgente.

GOSTOU?

0 pessoas comentaram:

Related Posts with Thumbnails