sábado, 16 de novembro de 2013

Prefeitura de Osaka suspende a proibição de que homens fizessem crossplaying


Primeiro, explicando o “crossplaying” para quem não sabe o que é.  Crossplaying é quando alguém se veste como uma personagem que não compartilha do seu sexo biológico.  A coisa mais comum em eventos no Japão e em outros países, aqui no Brasil, inclusive, é ver garotas vestidas como personagens masculinos.  Alguém diria que é fácil, já que muitos personagens de anime, mangá e games são andróginos.  Eu concordo, mas fazer isso bem e com qualidade demanda muita aplicação.  É mais raro que eu veja um rapaz fazendo o mesmo de forma igualmente convincente.  Falo na encarnação da personagem e em conseguir passar por alguém (*estereotipadamente*) do sexo oposto.  Agora, saindo do preciosismo, quem quer se divertir e fazer closplay ou crossplaying tem todo o direito e ninguém tem nada a ver com isso.  Só que não era assim que as autoridades de Osaka estavam pensando, até que o bom senso (*ou o medo de processo*) bateu.


Segundo o ANN, a prefeitura de Osaka tinha banido o crossplaying para os homens – e somente para eles – em eventos da cidade. A desculpa – e o pedido partiu dos responsáveis pelo Sakishima Building, o local do evento – é que anos atrás um crossplayer causou comoção ao usar o banheiro masculino.  A notícia não estabelece que tipo de comoção.  Será que alguém tentou agarrar o rapaz? De qualquer forma, estava proibido que homens, e somente eles, fizessem crossplayer e que pessoas do sexo masculino se vestissem de qualquer forma que pudesse gerar confusão sobre seu sexo biológico (????).  Assim, a coisa era discriminatória e aloprante mesmo.  O que é parecer alguém do sexo feminino? 


Moradores da cidade, que vai receber  gente de todo o país para o Cosumel in Cosmo Tower, no dia 24 de novembro, argumentaram que tal medida era contra a Constituição japonesa, contra a igualdade de gênero e que poderia estimular a discriminação contra pessoas trans. O perigo de um escândalo, fez  com que essa regra absurda fosse suspensa.  A prefeitura de Osaka se desculpou dizendo que era uma medida bem intencionada, pois visava impedir a desordem (???), mas que não seria possível (*e eu acrescentaria razoável*) barrar os homens fazendo crossplaying.  Enfim, tudo é tão absurdo que suspender a medida é o mínimo que se esperava se ainda houvesse alguém são dentro da prefeitura de Osaka... 

P.S.: A imagem do rapaz vestido de Utena veio daqui.  Parece que ele é especializado em crossplaying.

GOSTOU?

1 pessoas comentaram:

Acho assim...FASNTÁSTICO essa gente que "importante" que tem tantas coisas úteis para pensar se ocupando em ficar incomodada com um rapaz literalmente se fantasiando de personagem de quadrinhos "do sexo oposto". Prova cabal de que tudo o quê é considerado "tabu" ou "polêmico" ao longo da história, nada mais é do que a opinião infeliz de quem tem o poder de influenciar a massa sobrepujando o bom senso da mesma.Ver essas regras retrógradas caindo sob o próprio peso é sempre motivador...na verdade, esse tipo de proibição me faz lembrar daquele episódio de Chapolin no qual o Rei da "Tontolândia" decreta que "não pode chover às quartas, por que gosto de cavalgar nesse dia". No Brasil, espero que não chegue o dia em que um certo grupo de indivíduos "respeitáveis" tentem proibir os homens de se vestirem de Baianas no carnaval...gente desse tipo está por toda parte...do Japão ao Brasil.

Related Posts with Thumbnails