terça-feira, 1 de dezembro de 2015

Akiko Higashimura vence o 19º Japan Media Arts Festival



O Japan Media Arts Festival, organizado pela Agência de Assuntos Culturais do Japão e da Associação de CG-Artes, é concedido anualmente desde 1997.  Há várias categorias para todo o tipo de obra: jogos de vídeo, mangá, anime.  Este ano, Kakukaku Shikajika (かくかくしかじか), de Akiko Higashimura ganhou o Grand Prix. A série já tinha ganho o Manga Taisho deste ano em 24 de março deste ano e é uma narrativa de caráter autobiográfico focando no início da carreira de Higashimura, ainda no colegial.  Outros mangás premiados foram: 


Prêmio de Excelência: Kikaijikake no Ai (機械仕掛けの愛) de Yoshiie Goda, Awashima Hyakkei (淡島百景) de Takao Shimura, Otôto no Otto (弟の夫) de Gengorô Tagame e Non-working City do taiwanês Ho,Ting Fung.


Prêmio para Jovens Talentos: Tamashi Ippai (たましい いっぱい) de Yuka Okuyama, Machida-kun no Sekai (町田くんの世界) de Yuki Ando e o doujinshi Esoragoto (エソラゴト) de Daisuki Neruno.

Viu quando eu digo que a Higashimura não precisa esquentar cabeça com o que os homens ofendidos pensam de sua série seinen?  Pega a série e leva para uma revista josei, continue ganhando prêmios e sendo feliz. A notícia estava no Comic Natalie e o Animeland me deu muita ajuda, também.

Dúvida: Otôto no Otto é um mangá bara?

GOSTOU?

2 pessoas comentaram:

Otôto no Otto é basicamente propaganda sobre um casal gay com uma filha adotiva.

"Dúvida: Otôto no Otto é um mangá bara?"

Dei uma procurada pela internet e me parece que não. Parece que trata de questões familiares de casais gays, ou algo assim. A tradução que achei para o título é "O marido do meu irmão".

Related Posts with Thumbnails