terça-feira, 21 de junho de 2016

Artbook de Asaki Yumemishi reeditado no Japão


Como parte das comemorações dos 50 anos de carreira de Waki Yamato, sua obra mais elogiada - a mais amada acredito ser Haikara-sa ga Tooru (はいからさんが通る) - teve seu artbook de 1993 reeditado.  Segundo entendi do Comic Natalie, são dois volumes, que devem ser uma lindeza.  O nome do artbook é Asaki Yumemishi Shi Emaki (あさきゆめみし絵巻).  


Para quem não sabe, Asaki Yumemishi  (あさきゆめみし) é baseado no clássico da literatura japonesa, e mundial, Genji Monogatari, que conta a história de um príncipe da Era Heian.  O livro, que foi escrito por uma mulher, Lady Murasaki, completou 1000 anos em 2008.  Neste ano, havia um anime planejado para se basear em Asaki Yumemishi, PORÉM o genial (*e machista*) Osamu Dezaki foi chamado para dirigir a animação e abortou a dupla homenagem.  Tenho muita esperança de que, agora, role algum anime baseado em Waki Yamato, fora o filme de Haikara-san e, bem, Asaki Yumemishi seria um dos fortes candidatos.

GOSTOU?

3 pessoas comentaram:

Valéria, tenho uma curiosidade em relação a Asaki Yumemishi: quais são as diferenças entre o livro da Murasaki Shikibu e o mangá? Gostaria de ler os dois para comparar, mas o mangá não tem scans e o livro não foi publicado no Brasil, então eu não tenho como fazer isso.

A única referência que eu tenho de Genji Monogatari é justamente o anime do Osamu Dezaki. Assisti com alguma dificuldade, pq o fansub brasileiro não terminou e tive que assistir ois últimos episódios com legenda em espanhol. Apesar de ser visualmente bem-animado e ter uma trilha sonora muuuuito bonita, não foi um anime mto marcante. O anime ficou totalmente focado nos romances do Genji, e como eu não sou fã de personagens mulherengos, o anime caiu facilmente no esquecimento. Imagino que no livro e no mangá isso seja narrado de uma forma melhor, pq sinceramente não consegui sentir nenhuma simpatia pelo Genji do anime do Dezaki.

Veja só, nunca consegui ler o Asaki Yumemishi, scanlations, se existem, não cobrem todo o mangá. Agora, a história de Genji é centrada nos romances do sujeito, na vida íntima, por assim dizer, porque era o que as mulheres podiam ver e, não, ouvir dizer, já que a vida dessas damas era relativamente reclusa.

O maior problema do anime do Dezaki é que ele parece frio, sem paixão. O traço do Akio Sugino - o character dsigner que sempre trabalhou com o Dezaki - é duro, quadrdo, sem a poesia e a leveza que a obra original pedia e que o Asaki Yumemishi tem. Visual, paixão, poesia, melancolia fariam toda a diferença. Esse era o planejamento, mas Dezaki rompeu com isso. Ele podia, ele tinha currículo, mas foi um olhar masculino, mais ainda, um olhar de alguém no inverno da vida, sobre uma obra feminina e lírica. Não funcionou muito bem.

Eu tbm tive a mesma impressão dps q eu terminei de assistir o anime. Não chegou a ser um desastre completo, mas foi bem aquém do que eu esperava. Eu achei que o roteiro foi desenvolvido de uma forma mto dura, sem leveza, tanto é que o final me pareceu bastante abrupto. Eu me lembro que fiquei pensando naquela época: será que a história continua no livro? Pq tudo terminou de uma forma tão brusca que eu imaginei que deveria ter mto mais coisa além daquele final frustrante. É realmente uma pena! Acho que o Dezaki não estava mto "no clima" pra fazer esse anime. Quem sabe com um diretor diferente a coisa não teria engrenado? Mas enfim, vou continuar na torcida para que façam um anime de Asakiyumemishi, de preferência bem fiel ao mangá. Adoraria mto ver como foi que a Waki Yamato adaptou a história aos quadrinhos.

E de fato, o traço do Akio Sugino não colabora em nada! Eu nunca gostei do traço dele, pra te falar a verdade! Fiquei horrorizado com a mudança que o traço da Oscar sofreu dps da entrada dele em Rosa de Versalhes. Parece que ele só sabe desenhar homens grandalhões. As mulheres que ele desenha sempre ficam meio esquisitas. As tomboys então, nem se fala! Um desastre total!

Related Posts with Thumbnails