segunda-feira, 24 de abril de 2017

Próximo filme de Sofia Copolla dá nova versão à conto sombrio durante a Guerra de Secessão


Lembro de ter assistido a primeira versão de The Beguiled, aqui, no Brasil, O Estranho que Nós Amamos, quando estava no final da adolescência.  Ele passou de madrugada na Globo, eu gravei para ver depois, mas a fita terminou antes do final e eu tive que esperar uma próxima exibição, acho que mais de dois anos depois, para assistir o final.  Não havia internet, era outro mundo.  

Eastwood na primeira versão.
Resumindo o filme, Mississípi, 1863, um soldado do Norte ferido e quase morto é encontrado por uma aluna de um colégio interno para meninas, o Martha Farnsworth Seminary for Young Ladies.  Ele, que se chama John McBurney, é cuidado pelas alunas e professoras e começa a exercer fascínio tanto sobre as adolescentes, quanto sobre as solteironas e a escrava doméstica.   Pensem em um ambiente fechado, marcado pela repressão sexual, e um sujeito jovem convivendo com sete mulheres.  Eventualmente, o soldado se envolve com uma delas, a professora Edwina Dabney, sofre o assédio da diretora, a Martha que dá nome ao colégio, e termina sendo pego em flagrante transando com uma das alunas adolescentes.  Edwina o agride e ele rola a escada quebrando a perna.  Martha, então, alega que é necessário amputá-lo para evitar a gangrena, mas todos suspeitam que se trata de uma vingança... Depois disso, só tragédia...

Diretora e elenco. 
A versão de 1971, era estrelada por Clint Eastwood, já maduro e muito bonito.  O filme tinha umas cenas de sexo não muito leves, para muita gente, hoje, há um cheiro de pedofilia no ar, e o olhar era profundamente machista, quer dizer, o que esperar de um bando de mulheres, donzelas e solteironas, do que se atirarem sobre um sujeito e se lançarem carregadas de inveja e rancor umas contra as outras por causa dele?  Só que o tom do filme flertava com o terror e, bem, o pesadelo misógino não termina bem para o único macho alfa de plantão.  Não termina mesmo... 

Todas em torno de John?
Não li o livro, nem sabia, aliás, que o filme se baseava em um livro, A Painted Devil, de Thomas P. Cullinan.  Não sei se o filme de 1971 é fiel ao livro, mas desconfio que a nova versão será diferente, talvez uma leitura feminina (*quiçá feminista*) do original.  De qualquer forma, estou um pouco curiosa para ver a releitura de Sofia Copolla para uma história que é centrada nas mulheres, que é ditada por elas, por assim dizer.  É uma nova chance de fazer um filme excelente como As Virgens Suicidas.  Desta vez, Colin Farrell é o soldado; Nicole Kidman é Miss Martha, e Kirsten Dunst é Edwina.  Já Elle Fanning é Carol, a aluna adolescente que acaba transando com John McBurney.  O trailer está aí embaixo:


GOSTOU?

1 pessoas comentaram:

Me lembro vagamente desse filme com o Eastwood. Preciso revê-lo um dia.

Related Posts with Thumbnails