quarta-feira, 6 de junho de 2018

50 anos da revista Sho-Comi: Uma Cronologia


O Comic Natalie publicou uma cronologia muito legal dos 50 anos da revista Sho-comi, pontuando as transformações sofridas pela revista e as obras e autoras mais importantes da publicação.  Como ficou ótimo, apesar de ser um trabalho braçal dos diabos, decidi traduzir, não consegui postar ontem.  Vocês entenderão o motivo.  Observem como os mangás de maior relevância da revista eram bem diversificados na sua temática (esporte, ficção científica, shounen-ai, romance escolar, terror, mistério, histórico, fantasia etc.) e, no final dos anos 1990, passaram a ser basicamente romance escolar com um conteúdo sexual bem exagerado.  Por conta disso, a revista empobreceu, ainda que continuasse vendendo bem, e chamou a atenção negativa das autoridades japonesas.  Segue a cronologia com vários comentários: 

O COMEÇO:


- 1968: A capa da primeira edição da Sho-Comi que começa sua jornada como uma revista mensal.



- 1969: A partir de 22 de agosto, a revista se torna quinzenal.



- 1970: A revista se torna semanal a partir da edição de 19 de abril.  E passa a ter "semanal" no nome.


ANOS 1970:



- 1973: Estréia Lolly no Seishun (ロリィの青春), de Kimiko Uehara, a rainha dos olhos gigantes.  A história tem uma protagonista pobre, muito pobre, ela mora com a mãe doente e uma irmã mimada.  Um dia, ela encontra um lindo cavalo perdido, a quem dá o nome de Angel.  Além do cavalo, quem entra na vida de Lolly é um rapaz rico, Carl, que fugiu de casa.  Os dois se apaixonam, mas Lolly fica órfã e é abandonada pela irmã.  Sua vida, no entanto, muda, quando ela é convidada a participar de uma competição equestre... Se não estou enganada, o mangá em destaque na capa é de Chieko Hosokawa de Ouke no Monshou (王家の紋章).  Ela publicava na Sho-Comi da época.



- 1974: Estréia O Coração de Thomas (トーマの心臓), de Hagio Moto, um dos grandes shoujo da década e de todos os tempos.  Além disso, Kazuo Umazu começa a publicar Senrei (洗礼), um mangá de horror que parece bem barra pesada.  Ele tem scanlations.



- 1975: Shotaro Ishinomori, um dos pais fundadores do mangá moderno, publica na Sho-comi. Trata-se de uma das muitas aparições do mangá  Cyborg 009 (サイボーグゼロゼロナイン). A série foi publicada em várias revistas de diferentes demografias.



- 1976: Estréia Kaze to Ki no Uta (風と木の詩), de Keiko Takemiya, outra das obras fundamentais do shoujo mangá, precursora do BL/Yaoi.  Ishinomori termina sua participação na revista.



-  1978: Hagio Moto lança a série de ficção científica Star Red (スター・レッド).  A revista volta a ser quinzenal.



- 1979: Hiatari Ryoukou! (陽あたり良好!),  de Mitsuru Adachi, estréia na revista.  Tem esporte na história, claro!

ANOS 1980:



- 1981: Estréia Rising! (ライジング!) de Saeko Himuro e Kazuko Fujita.  A história se passa em um ambiente inspirado na escola de formação das atrizes do Teatro Takarazuka.  Tenho um volume aqui em casa.



- 1982: Izawa Man e Yumiko Igarashi iniciam a publicação de Georgie (ジョージィ!), que virou anime.  Meninas órfãs louras faziam sucesso na época, mas a série tem uma carga de drama e lida com temas adultos que muita gente não espera ver desenhados com um traço tão bonitinho.  Eu comprei a edição italiana.  Seria um bom mangá clássico para sair no Brasil, mas, provavelmente, nunca virá.



- 1984: Chie Shinohara estreia o seu primeiro grande sucesso, Yami no Purple Eyes (闇のパープル・アイ).  Terror, mistério e gente que se transforma em pantera.  



1985: Fuyumi Souryou estréia Boyfriend (ボーイフレンド), o título original, que fazia referência a Adão e Eva foi vetado pelos editores da revista.



- 1986: Emiko Sugi estréia Adam to Eve no Houteishiki   (♂と♀の方程式).  Acredito que esse título já estivesse decidido, daí o veto ao nome do mangá de Fuyumi Souryou.  A protagonista escreve romances eróticos... Bem moderno para a época, eu acho.



- 1987: Umi no Yami, Tsuki no Kage (海の闇、月の影) de Chie Shinohara estréia.  Outra série de terror com gêmea boa e gêmea má.



- 1988: Fuyumi Souryou estréia 3-Three (3-THREE-), mangá sobre um grupo de rock.  Na mesma edição, começa Anoko ni 1000% (あのこに1000%), de Miyuki Kitagawa.



- 1989: Estréia Waltz wa Shiroi Dress de (円舞曲は白いドレスで) de Chiho Saito, um dos meus mangás favoritos.  As continuações saíram uma em 1992 (Lilac Nocturne), na própria Sho-Comi, outra em 1994 (Magnolia Waltz), na Petit Comic.  Na mesma edição começou Shinshunki Miman Okotowari (思春期未満お断り) de Yuu Watase.

ANOS 1990:



- 1990: estréia Makoto Call!  (真コール!) de Kazuko Fujita, uma série premiada sobre voleibol.  Na mesma edição, mas a capa não está no CN, temos Chiho Saito iniciando Mou Hitori no Marionette (もう一人のマリオネット).



- 1991: A revista tira o "Semanal" do nome, afinal, não era semanal fazia muito tempo.  Chie Shinohara começa outro de seus sucessos, Ao no Fuuin (蒼の封印), onde aparece Seiryū.  Curiosamente, é a mesma edição de estréia de Fushigi Yuugi (ふしぎ遊戯), de Yuu Watase.  Outra série que está no mesmo número é  Kuchibiru kara Mahou (くちびるから魔法) de Emiko Sugi. Cabe ressaltar que, pela numeração, a revista é de 1992.  



- 1992: Estréia Princess Army (ぷりんせすARMY) de Miyuki Kitagawa e Battle Girl Ai (バトルガール藍)  de Iisaka Iwukako.  



- 1994: Estreia Manatsu no Koibito (真夏の恋人) de Rie Takada unindo romance e basquetebol.



- 1995: Começa Anatolia Story (天は赤い河のほとり) de Chie Shinohara.  Anunciado o dorama de Yami no Purple Eyes, baseado em mangá da mesma autora.  Estréia Oshaberi na Amadeusu (おしゃべりなアマデウス) de Masami Takeuchi e Hadashi no Aitsu (裸足のアイツ) de Rie Takada.



- 1996: Yuu Watase estréia Ayashi no Ceres (妖しのセレス), que terá anime, assim como fushigi Yuugi.  começa, também, Tokyo Juliet (東京ジュリエット), de Miyuki Kitagawa.



- 1997: Shinju Mayu começa a se destacar com KaikanPhrase   (快感♥フレーズ).  Marque este ano, porque daqui para adiante, o conteúdo sexual dos mangás da revista aumentará e muito.  Basta observar o que o CN está colocando em evidência como os títulos de maior relevância da revista.  Observe o que ocorrerá em 2007.



- 1998: Começa Binetsu Shoujo ( 微熱少女) de Kaho Miyasaka.



- 1999: Aqua Mizuto começa Milk Crown  (ミルク クラウン).  Estréia o anime de KaikanPhrase.



ANOS 2000:



- 2001: Houve alguma mudança editorial aqui... Mas não consegui descobrir o que foi.



- 2002: O CN dá destaque para vários títulos lançados este ano (*no final dele e contando como 2003*) e que são muito famosos: Tennen Hachimitsu Ryou(天然はちみつ寮。), de Aya Oda; Kare First Love (「彼」first love), de Kaho Miyasaka, publicado no Brasil pela Panini; Renai Shijou Shugi  (レンアイ至上主義), de Minami Kanan; Boku wa Imouto ni Koi o Suru  (僕は妹に恋をする), de Aoki Kotomi; Fushigi Yuugi - Genbu Kaiden  (ふしぎ遊戯 玄武開伝), de Yuu Watase, de forma irregular.



- 2003: Estreiam Sonna Koe Dashicha Iya!  (そんな声だしちゃイヤ!) de Iori Shigano; Zettai Kareshi (絶対彼氏。) de Yuu Watase e Get Love!! ~Field no Ouji-sama~  (GET LOVE!! ~フィールドの王子さま~), de Go Ikeyamada.



- 2004: Estreiam Love Celeb (ラブセレブ) de Shinjo Mayu e Mitsu x Mitsu Drops (蜜×蜜ドロップス) de Minami Kanan.



- 2005: Estreiam Moe Kare (萌えカレ!!) de Go Ikeyamada e Boku no Hatsukoi o Kimi ni Sasagu  (僕の初恋をキミに捧ぐ) de Aoki Kotomi.



- 2006: Estréia Uwasa no Midori-kun!! (うわさの翠くん!!) de Go Ikeyamada, um dos piores shoujo que eu li na vida... 



- 2007: O logo da revista começa a mudar.  Estréia do filme de Boku wa Imouto ni Koi o Suru, o CN diz que foi o primeiro sucesso de Jun Matsumoto no cinema.  Estreia de Houkago Orange  (放課後オレンジ) de Kyoko Kumagai e Kyou, Koi o Hajimemasu (今日、恋をはじめます) de Kanan Minami.  A revista é apreendida na prefeitura de Ibaraki por excesso de conteúdo sexual.  No mesmo ano, ela é incluída em um relatório da Associação de Pais e Professores do Japão em uma lista de material não aconselhável para crianças.  A fonte maior para a confusão é a Wikipedia japonesa.



- 2008: É aberto um blog em comemoração aos 40 anos da revista, ela promove uma grande campanha de arrecadações de fundos para a UNICEF entre as leitoras..  A revista passa a ter Sho-Comi no logo, as transformação no logo termina.  Começam a ser lançados os primeiros mangás em formato digital.  Dorama de Zettai Kareshi.  Estreiam Nijigen Ouji Oota-kun (二次元王子オオタくん) de Mami Shimizu, Suki Desu Suzuki-kun!!  (好きです鈴木くん!!) de Go Ikeyamada e Sensei to Watashi(センセイと私。) de Ai Minase.


- 2009: Boku no Hatsukoi o Kimi ni Sasagu  ganha adaptação para o cinema.  Estreia Namida Usagi ~Seifuku no Kataomoi ~  (なみだうさぎ~制服の片想い~) de Ai Minase.



ANOS 2010:


- 2010: Estréia Hana ni Kedamono  (花にけだもの) de Miwako Sugiyama.  A revista termina sua transição editorial.  Os mangás com o conteúdo sexual "exagerado" dos anos anteriores praticamente desapareceram da revista.



- 2011: Estréia de Ayakashi Hisen  (あやかし緋扇) de Kyoko Kumagai.



- 2012: Estréia o filme de Kyou, Koi o Hajimemasu. Começam a ser publicados Hachimitsu ni Hatsukoi  (ハチミツにはつこい) de Ai Minase; Kobayashi ga Kawai Sugite Tsurai!!  (小林が可愛すぎてツライっ!!) de Go Ikeyamada; e Miseinen dakedo Kodomo ja Nai (未成年だけどコドモじゃない) de Kanan Minami.



- 2013: Estréia de Ano Ko no, Toriko。(あのコの、トリコ。) de Yuki Shiraishi.



- 2014: Estréia de Henyoku no Labyrinth  (片翼のラビリンス) de Kyoko Kumagai, Seifuku de Vanilla Kiss  (制服でヴァニラ・キス) de Rina Yagami; e Ore Yome。~Ore no Yome ni Nare yo (オレ嫁。~オレの嫁になれよ~) de Airi Sano.



- 2015: Estréia de 4-gatsu no Kimi, Spica。(4月の君、スピカ。) de Miwako Sugiyama; Uirabu。ー Uiuishii Love no Ohanashi   (ういらぶ。ー初々しい恋のおはなしー) de Yukimo Hoshimori; Ani ni Ai Saresugite Komattemasu (兄に愛されすぎて困ってます) de Rina Yagami; e  Koi Furu Colorful Zenbu Kimi to Hajimete  (恋降るカラフル~ぜんぶキミとはじめて~) de Ai Minase.



- 2016: Estréia de Sekai wa Nakajima ni Koi o Suru!! (世界は中島に恋をする!!) de Go Ikeyamada;  Awa-koi (泡恋) de Kanan Minami; Sanrio Danshi Oretachi, Koi, Hajimemashita。~ (サンリオ男子 ~俺たち、恋、はじめました。~) de Mai Andou; e Chocolate Vampire  (チョコレート・ヴァンパイア) de Kyoko Kumagai.



- 2017: Ani ni Ai Saresugite Komattemasu  e Miseinen dakedo Kodomo ja Nai  são transformados em filmes para o cinema.  Começa a publicação das colaborações com o autor de Detetive Conan.  Estréias de Kitto Ai dakara, Iranai  (きっと愛だから、いらない) de ai Minase; Osananajimi to, Kiss shitakunakunai。 (幼なじみと、キスしたくなくない。) de Airi Sano; Honey come honey   (はにかむハニー) de Yuki Shiraishi; e Koisiri Lazy (恋するレイジー) de Yukimo Hoshimori.



- 2018: Ano Ko no, Toriko。e  Uirabu。~Uiuishii Love no Ohanashi~  serão adaptados para o cinema.   Estreiam Doukyuusei!! ~Zutto Kimi ga Suki datta~   (同・級・生!! ~ずっとキミがスキだった~) de Go Ikegayama; dos gaiden de Anatolia Story e Tokyo Juliet.

GOSTOU?

1 pessoas comentaram:

Que excelente post Valéria, muito interessante ver a evolução da revista.
Achei engraçado que aquele mangá Lolly no seishun o que salva a menina é o cavalo e ela entrar em um concurso de equitação.
Também me dei conta de que as autoras que publicavam mangas com conteúdo sexual mais pesado e até mesmo violento tiveram que se adequar aos novos padrões da revista, Miseinen dakedo Kodomo ja Nai, da Minami Kanan é super casto perto do que ela publicava como Renai shijo shuji ou Honey x Honey drops, aquele Kyou, Koi o Hajimemasu, foi meio que uma transição da autora.

Related Posts with Thumbnails