sábado, 6 de outubro de 2018

Branqueamento da "Raça" e Beleza: Não dá para não comentar


Desculpem, mais um post político, mas não dá.  Não dá mesmo.  Hoje, ao desembarcar em Brasília, o General Mourão disse o seguinte ao lado do filho e do neto "Meu neto é um cara bonito, viu ali. Branqueamento da raça".  e deu uma gargalhada na certeza de estar parecendo simpático diante das câmeras.  Não vou postar a foto do menino, porque ele, por princípio, não tem culpa do que o avô fala, mas está na página do UOL.  Coloquei para ilustrar o post a pintura A Redenção de Cam, executada por Modesto Brocos, em 1895, porque ela é a síntese do pensamento expresso pelo General.  O próprio candidato do PSL, em uma entrevista antiga, tinha pontuado que seus filhos não corriam o risco de namorarem com uma mulher negra, porque tinham sido bem educados.

Agora, umas palavrinhas: Você que não é negro, mas é uma pessoa socialmente responsável, não vê problema nisso?  Você, que é negro, não vê problema nisso? Você, que é casado/a com um homem, ou uma mulher negra, não vê problema nisso? Você que olha para seus filhos e filhas negros, não vê problema nisso? Quer que eles cresçam sob um governo que os vê como inferiores e feios? Marginais por excelência.  É isso que você quer para o futuro. Ganhará o que em troca?

Ângulos faciais de Petrus Camper.
Esse tipo de pensamento expresso na fala  "Meu neto é um cara bonito, viu ali. Branqueamento da raça" tem nome, chama-se eugenia. Até o fim da Segunda Guerra Mundial, teve status de ciência, faz muito tempo que não tem.  Ele podia se manifestar de várias maneiras, desde a proibição de casamentos inter-raciais  ou na na esterilização de setores da população, como foi amplamente feito nos EUA e na Alemanha nazista, ou no extermínio de segmentos inteiros da sociedade, como no caso do Holocausto. Pode se materializar, também, em políticas racistas, como o Apartheid na África do Sul.

Você tem o poder de votar contra esse tipo de pensamento arcaico e hediondo.  E não estou sugerindo um candidato para você, estou marcando posição sobre quem não votar para o bem de nosso país. A questão é a preservação dos princípios básicos da civilização contra aqueles que nos querem arrastar para 100 ou mais anos atrás.  E só uma coisa, e parafraseando Madeleine Albright, deve haver um lugar especial no inferno para esse tipo de eleitor de Bolsopai. Mas terá uma antessala na Terra mesmo, pode esperar.

GOSTOU?

2 pessoas comentaram:

Valéria, me lembrei de um mangá que saiu aqui no Brasil que fala sobre como isso aconteceu no Japão, é o Yuki - Vingança na neve, publicado pela Conrad. Nele explica que durante o fim do século XIX e início do XX, essas teorias malucas levaram muitos japoneses, principalmente os ricos, a fazer de tudo para que suas filhas fizessem sexo com brancos estrangeiros. A alienação era tão grande que QUALQUER SAÍDA servia para embranquecer a raça, e fico aqui pensando se situação parecida num acontece/acontecerá aqui no Brasil. Isso é pra nós vermos como os conteúdos do Shoujo Café são relevantes, enquanto cultura do mangá no Brasil, mesmo que não quando não fica muito evidente.

Pelas leis racistas dos EUA , Alemanha nazi e África do Sul (antigamente os 3..claro)
Mourão seria tratado como raça inferior e bastardo degenerado... por ser mestiço.

Related Posts with Thumbnails