sábado, 25 de maio de 2019

Anunciado o dorama de Coffee & Vanilla + pequena resenha dos capítulos 1 e 2


Coffee & Vanilla (コーヒー&バニラ) é um sucesso na revista Cheese desde sua estreia em 2015, aparecendo constantemente no ranking da Oricon.  A série está no volume 11 e já vendeu 4.5 milhões de cópias, o que, para um shoujo, é uma vendagem considerável.  Em 2017, foi lançado um dorama CD e havia toda uma expectativa de que o mangá fosse ser adaptado para o cinema, ou TV.

O certificado de casamento serve de verdade.
O anúncio foi da série de TV e a estreia é já em julho.  Como sempre acontece, vamos ter muito sum-zum-zum para promover o dorama e o mangá.  Segundo o Comic Natalie, nesta edição atual há um QR Code que se você usar o celular, consegue baixar um certificado de casamento com as personagens.  Sim, basta levar no órgão adequado e ele é válido para registrar seu casamento.  Já na próxima edição, o gaiden Coffee & Vanilla black, que é publicado na Premiere Cheese, se bem entendi, aparecerá na Cheese padrão.  E, claro, deve ter matéria com o elenco, que ainda não foi divulgado.  Enfim, o que vem a seguir uma pequena resenha dos dois primeiros capítulos.

O anúncio do dorama.
O mangá de Akegami Takara começa da seguinte forma, a mocinha, Risa, veio do interior para fazer faculdade.  Ela estudou em uma escola feminina e sonhava em conseguir um namorado.  Inexperiente no amor e tímida, ela se torna popular entre os homens, mas não sabe como idar com eles, como ler as suas intenções.  Por conta disso, ela é chamada pelos colegas de takane no hana (a flor inalcançável).  A forma como ela extravasa é tomando uma bebida gelada e doce.

Um cavalheiro de terno.
Um dia, ela estava tentando se acalmar e é abordada por um rapaz muito agressivo.  Ele a pega pelo baço e a moça é salva por um homem alto e usando terno que finge ser seu namorado.  O sujeito se apresenta, chama-se Fukami.  Risa fica ainda mais nervosa sob o olhar do sujeito que ela diz ser mais velho, mas no traço de Akegami, ela parece um colegial.  Pois bem, ele a convida para jantar.

Risa nunca estivera em um restaurante tão luxuoso e não sabe o que fazer, quais talheres usar, nem consegue olhar Fukami nos olhos.  Ele lhe oferece vinho, mas pergunta se ela é maior de idade.  A moça confirma que sim e decide beber para se acalmar.  Bebe demais e apaga.  Fukami age como um cavalheiro, quer levá-la para casa, mas não ousa mexer na bolsa dela.  Risa acorda em uma cama estranha e se assusta.  Olha para o sofá e Fukami está lá, dormindo.  Até aí, eu estava considerando certos comentários que li sobre o mangá como exagerados.  

Uma variação do "Eu poderia estuprar você.".
Fukami acorda quando percebe o movimento da moça.  Explica o que houve, oferece café, pergunta se ela quer tomar banho e vai para o chuveiro.  Sai meio molhado, camisa com uns três botões abertos e pergunta se ela viu sua gravata.  A moça, muito nervosa, ajuda o sujeito a procurar, ela encontra, eles ficam muito próximos, ele a derruba na cama e a beija.  Ela se assusta, ele se afasta.  Foi o primeiro beijo da moça, mas ele volta e se atira sobre ela e vai tentando tirar sua roupa.  Ele só para quando ela diz que é virgem.

Ele para, se declara, diz que está apaixonado por ela, se desculpa.  Ela fica vermelha e abaixa a cabeça. Resultado?  Ele diz que se ela fizer aquela carinha de novo, ele não vai conseguir se segurar.  É uma variação do "Eu poderia estuprar você." e, não, não me pareceu fofo, esse Fukami me parece um stalker, isso se não for um psicopata. Ele compra roupas novas para Risa e a leva para a faculdade em seu carro de luxo.  Agora, os rapazes que estudam com Risa sabem que ela tem dono.  A mensagem é essa.

O sujeito me pareceu um sociopata.
Ela fica esperando que ele ligue, ele só o faz tarde da noite.  No outro dia, ela está conversando com uma amiga, que curiosamente não tem rosto, mas a está aconselhando a ter cuidado e que homens como Fukami só querem se aproveitar das moças.  A amiga a estimula a ligar para ele, o rapaz parece ocupado, mas Risa lhe diz onde está.  Quando ela e a amiga estão saindo, ele chega,   por trás dela e a agarra no meio da rua. A amiga fica sem graça e vai embora.  Fukami se declara de novo. Se desculpa por não aparecer antes e no fim do segundo capítulo a chama para sair e dia no ouvido dela que a moça se prepare, pois naquela noite ela se tornaria dele.

Eu fiquei preocupada com a mocinha.
OK.  Eu parei.  Fiquei nervosa, angustiada com a forma como o mangá está sendo conduzido no seu início, porque, para mim, o que se estabeleceu foi uma situação de coerção e quase estupro.  O protagonista, Fukami, seria um tipo que na vida real daria medo, um cara perigoso mesmo.  Talvez, em um traço mais de meu agrado, eu pudesse prosseguir, mas, não, eu não vi atrativos em Coffee & Vanilla, fiquei temendo pela mocinha que já está de quatro por um cara que tem tudo para ser um problema.  De repente, a autora surpreenda no terceiro capítulo, mas esse início me fez lembrar dos mangás smut dos anos 1990-2000 com suas mocinhas reféns.  É isso.  Mais informações sobre o dorama devem aparecer em breve.

GOSTOU?

6 pessoas comentaram:

Eu dropei esse mangá justamente por isso. Eu pensei que pela sinopse iria ser diferente. Pode ser que depois tenha melhorado e que ele não tenha feito nada com ela, mas eu não consegui ler para saber

Não melhora, não... Sempre me admirei quando vi outras fãs de shoujo recomendando esse mangá e a por sua popularidade que não cai. Fica até pior. Soltando um spoiler, aqui: o Fukami admite que já conhecia a Risa de um encontro que tiveram numa cafeteria. É um stalker, mesmo. A Risa continua completamente submissa e insegura até onde eu li. A única coisa que ela faz é corar e ficar grata ao Fukami, sentindo que tem de ser digna dele. Se me lembro bem, até aparece um rival do Fukami e lhe rouba um beijo, fazendo com que ela se sinta culpada. Mesmo que eu esteja me confundindo (afinal, esse cenário é frequente), sei que o mangá não está acima disso.

Que bela porcaria. Tenho pena das meninas que acham romântico esse tipo de história.

Gente não vamos começar a julgar pois no dorama pode ser diferente algumas coisas.

Olha gente, eu li até o ep 18. E sério, eu quis parar no começo pq ele me pareceu um louco e ela uma trouxa!
De primeiro momento me incomodou o fato da Risa ser extremamente desesperada para ter um namorado e por ele ser tão obsessivo.
Ela fica se colocando pra baixo e admite coisas horríveis *eu não vou dar spoiler pq né?* como por exemplo, um ep com a amiga dela e aforma como ela admite a forma como o rival do Sociopata-san se refere sobre ela.
Eu odiei essas coisas e o pior são os comentários das meninas dizendo que precisavam de um boy como o Sociopata-san.
E eu assisti o primeiro ep hoje! Mas nem vou comentar kkkkkk #Socorro-

Related Posts with Thumbnails