terça-feira, 23 de fevereiro de 2021

Gamer assassina colega jogadora, grava seu crime e distribui a filmagem pela internet

Ontem, aconteceu mais um crime por motivações misóginas.   A vítima foi a jovem Ingrid Oliveira Bueno da Silva de 19 anos. Conhecida como Sol, a garota era jogadora de Call of Duty e integrante da FBI E-Sports.  Ao que parece, Sol conheceu o assassino, Guilherme Alves Costa, 18 anos, um mês atrás e aceitou ir jogar na casa dele em Pirituba.  Lá, a moça foi morta pelo rapaz que, ao ser preso, justificou o crime dizendo que ela teria atravessado seu caminho.  Só que Guilherme gravou a cena do crime e a distribuiu por e-mail junto com um livro com 52 páginas na qual contava as motivações e o planejamento do crime.  Não há dúvida, pelo menos para mim, que ele pertence a algum chan onde deve ter antecipado o que faria e recebido suporte.

Eu não estaria fazendo esse post, porque tive que ir atrás de informações e links (*tropecei, inclusive, em uma matéria que chamava o assassino de "estudante" e a vítima de "mulher", infantilizando e reforçando o caráter adulto da outra, quando eram ambos adolescentes*), se não tivesse visto no site da Lola que o celerado havia enviado um e-mail para ela ontem, além disso, ela, uma famosa militante feminista, recebera três ligações anônimas.  Como não conhecia o sujeito, ignorou o e-mail e nao abriu os arquivos.  Lola está com a mãe internada e tem mais o que pensar. Pois bem, agora à tarde, a Lola descobriu que o sujeito era o assassino.  A morte de Sol já foi um evento tristíssimo, mas veja o nível de perversidade desses sujeitos que odeiam mulheres.  Tentei repassar o link do texto da Lola no Facebook, mas ele está bloqueado no Facebook, assim como o Shoujo Café, aliás.

GOSTOU?

0 pessoas comentaram:

Related Posts with Thumbnails