segunda-feira, 15 de fevereiro de 2010

No Japão a moda é parecer uma boneca viva



A matéria do Herald Tribune está traduzida no site da UOL. Eu realmente não acompanho esses modismos japoneses e considero muito bizarro desejar parecer algo que é morto, inanimado, enfim, um objeto que não fala, não pensa, não se expressa. Uma das moças chega a dizer que “Gosto quando tudo em mim parece artificial”. Pois bem, me parece, portanto muito saudável quando a mesma moça diz que “O triste em ser uma Ageha é que a maioria dos homens preferem mulheres com aparência mais natural e nós não gostamos nada disso.”. Deveriam parar para refletir sobre a artificialidade, a ditadura da moda e o consumismo, já que sua condição não lhes parece feliz. Mas, como tudo no Japão, a moda das Midori e Ageha, variações das bonecas humanas, deve durar pouco.

Um aspecto cuioso do texto é ressaltar que as japonesas normalmente não buscam a cirurgia plástica, mas a transformação pelos cosméticos, acessórios, enfim, algo que as torne únicas - em uma cultura que tradicionalmente que as pressiona para a conformação - diferentes das demais. Daí, é preciso lembrar que etnicamente o povo japonês é bem mais homogêneo que o de muitos países, então, se diferenciar é tentar fugir dessa sensação de ser igual ao outro. Mas não devemos esquecer das questões de gênero envolvidas, toda essa insatisfação, busca pela beleza artificial, negação da sexualidade, é sintomático de uma condição feminina que se apresenta como incompleta e angustiante. Mas leiam o texto e tirem as conclusões de vocês. Aliás, lembrem-se que nenhum texto representa "a verdade" ou é "neutro" em relação ao seu objeto. Para terminar, sugiro a visita ao site Bella Sugar e a página da grife favorita das moças a Jesus Diamante. É possível ver o que as Midori e Ageha devem usar no Japão.

Jovens japonesas inovam no estilo e estão cada vez mais parecidas com bonecas vivas

Kaori Shoji
Em Tóquio


No Ocidente, um julgamento um tanto quanto condescendente sobre as mulheres japonesas há tempos é o de que elas são muito submissas e parecidas com bonecas. Durante quase uma década, a mídia japonesa incentivou as mulheres a lutarem contra essa imagem, endurecendo e se emancipando.

No ano passado, entretanto, esse tipo de conversa recebeu cada vez menos atenção entre algumas jovens que na verdade querem se parecer com bonecas.

Elas estão divididas em dois gêneros diferentes: as cada vez mais populares “Mori”, ou garotas da floresta, e as “Ageha”, ou garotas-borboleta. As garotas da floresta usam camadas de vestidos finos de algodão, meias grossas e botas, maquiagem despretensiosa e bolsas de tecido, com a intenção de parecer com uma boneca feita a mão de algum cenário romântico da Floresta Negra.

As garotas da floresta surgiram a princípio sem chamar muita atenção na cena cultural pop de Tóquio na última primavera, embora de primeira fosse difícil distingui-las das garotas eco, vestidas de forma parecida. Mas à medida que os meses passaram as diferenças se tornaram claras. As garotas da floresta querem ser discretas e suprimir toda a sexualidade, enquanto as garotas eco são naturais, esportistas, apoiam políticas ambientais consistentes e têm uma dose saudável de sensualidade.

Midori Yokokawa, editora da revista de moda “Forest Girl”, que foi lançada em outubro para acompanhar esse novo fenômeno, diz: “As garotas da floresta são cautelosas em relação a todos os tipos de agressividade ou autoconfiança. Elas são apenas muito frágeis, ou gostariam de ser dessa forma.

“Elas querem viver o suficiente para existir, preferencialmente num nível metafísico.”

As Ageha, ou garotas-borboleta, começaram a aparecer em 2008 e mostram uma desconfiança similar do mundo real. Seu objetivo é parecer o máximo possível com as bonecas infláveis que os homens compram online, mas com uma maquiagem extravagante.

Naoko Kamiyuo, 19, que vive para comprar cosméticos, roupas e acessórios de cabelo, diz: “Não sou muito bonita, mas adoro me montar. Quero mudar a mim mesma, ser irreconhecível. Quem quer passar pela vida sendo apenas ela mesma?”

Os pais dela primeiro imploraram para que ela “voltasse ao normal”, mas agora eles a deixam em paz para seguir seus sonhos de boneca Barbie.

“Fico entediada quando não estou montada”, diz Naoko. Ela acorda às 5 da manhã e passa pelo menos duas horas colocando cílios postiços, extensões de cabelo, camadas de base e outros complicados procedimentos de maquiagem.

Como a maioria das mulheres japonesas, as imitadoras de boneca não recorrem à cirurgia plástica.

De acordo com a jornalista de cosméticos e beleza Yuko Ito: “A mulher japonesa tem um certo medo de entrar na faca. Elas acham que é um pecado contra seus pais. É por isso que elas preferem optar por cosméticos e roupas dramáticas. Esta também é a razão por trás da impressionante variedade de cosméticos disponível neste país”.

Ito tem razão. A gigante dos cosméticos Kanebo lançou um rímel de alta tecnologia que na verdade faz com que os cílios fiquem mais longos (mesmo que apenas por algumas horas), e a Shiseido há muito vende produtos para clarear a pele das japonesas o máximo possível, como marfim.

“A mulher japonesa não está interessada em qualquer produto de maquiagem”, diz Ito. “Elas querem melhorar a sua aparência e ao mesmo tempo tratar e clarear sua pele, alongar os cílios, encher os lábios, etc.”

Mas não são só os cosméticos que produzem a aparência. As roupas também importam.

“Gosto quando tudo em mim parece artificial”, diz Kiyomi, 23, que gosta de comprar suas roupas na Jesus Diamante, uma boutique especializada no visual Ageha.

Kiyomi diz que ela nunca sai de casa a menos que esteja usando tamancos decorados com botões de rosas, seu cabelo tingido de loiro penteado em cachos rococó ao redor do rosto, e os seios aumentados por espessos enchimentos de gel dentro do sutiã.

Apesar de tudo isso, entretanto, Kiyomi não tem um namorado e passa suas noites livres trocando informações de moda com um círculo de amigas Ageha.

“Adoro sair com rapazes, mas raramente tenho uma oportunidade”, suspira. “O triste em ser uma Ageha é que a maioria dos homens preferem mulheres com aparência mais natural e nós não gostamos nada disso.”

Este parece ser o lado ruim das garotas que querem ser bonecas: poucos homens de fato estão dispostos a bater em suas portas. Tanto as Moris quanto as Agehas continuam sendo minoria, “cults” demais para os homens leigos entenderem, e tecnicamente difíceis de acompanhar. Consequentemente, elas têm em torno de si um ar de sociedade secreta.

Na Jesus Diamante, onde a lingerie rendada é exposta sobre uma cama cor-de-rosa, tirar foto de qualquer coisa, incluindo da equipe de vendedoras vestidas de forma extravagante, é um tabu.

“Faz sentido”, diz Kiyomi. “As bonecas não deveriam precisar falar, muito menos explicar qualquer coisa.”

Tradução: Eloise De Vylder

GOSTOU?

8 pessoas comentaram:

Essa reportagem me lembrou da Madoka de Fullmoon wo sagashite que foi expulsa de casa por fazer plástica para ficar mais bonita. Sinceramente, que mais idiota? Se a pessoa quer ficar bonita porque não apoiar?

Eu li recentemente que esses grupos são uma forma de rebeldia. No Japão é tudo tão ordenado que é ordenado até quando as pessoas se rebelam xD. Acho que o problema das japonesas é o exagero, se elas não tivessem problemas com plásticas teriamos alguns exércitos de Michael Jacksons por aquelas bandas xD.

eu li um artigo que na coreia do sul 95 porcento das pessoas querem fazer plástica... lá a prática é comum e bem aceita, quase todos os idols já fizeram... Não sei qual é pior, mas maquiagem pelo menos não é definitivo

Este comentário foi removido pelo autor.

Marcela, há vários textos sobre lolita aqui no blog, parece não ser o caso dessas moças, embora, claro, eu não possa garantir, já que, como pontuei, moda de rua japonesa não é meu forte.

A rigor, não tenho nada contra quem tem o hobby de se vestir assim ou assado, de imitar quem admira, mas se isso parece expressar, como o texto aponta, uma insatisfação consigo mesma, é um problema, e o hobby é sintoma de algo que deveria ser tratado.

De resto, gastar seu dinheiro somente com moda ou pesadamente nisso, ou ser excessivamente consumista é sintoma de alguma coisa. Há quem não queira ver, mas eu não preciso tapar os olhos.

Você é uma ageha ou midori? Se não for, não há porque se ofender. É como o menino que veio reclamar, porque disse que eu não gostaria de ver meninas brasileiras tentando ser gonguros, porque isso lá na frente poderia levar a um câncer de pele.

Se tiver algum texto que discuta de forma critica a moda de rua, as lolitas - que não eram o alvo da matéria, repito - ou mesmo as tais doll pode me mandar que eu publico e coloco aqui com, todos os créditos. Sempre é bom uma opinião mais fundamentada. Mas se for artigo de louvação vazia, não adianta, pois qualquer um pode fazer a louvação sem sentido daquilo que gosta/ama/ou é viciado.

mye, eu li esse artigo, também. É muito interessante ver como o povo de cada país pode expressar as coisas de forma diferente.

Não é por nada não.. Mas me senti super ofendida com esse post :S e com o de lolitas também.
Você entende muito de anime ^^ mas precisa estudar mais sobre os estilos japoneses, antes de sair falando coisas que não entende. Porque sabe, muito mais gente vai ler isso e acreditar, sendo que tem muitos erros gravíssimos ai. prontofalei :*

Acompanho seu blog já faz um bom tempo e adoro. Gosto muito de ler suas críticas sobre anime e mangás.
Mas concordo que você precisa perquisar muito ainda pra falar sobre moda japonesa, em especial, a moda lolita. Sei que esse texto não falava exatamente sobre lolita, mas já li outros textos e você já cometeu várias 'gafes'. :/
Gostaria de pedir que se você não se interessar sobre moda japonesa, que não publique textos mostrando uma opinião baseada em poucas informações, informações incompletas e /ou erradas. :/
Sério, quem gosta da moda Lolita já sofre preconceito o suficiente. E seu blog é um lugar que muitas pessoas lêem, o que só piora o preconceito já existente.

Não precisa nem autorizar esse comentário. Mas lugares realmente bons pra se pesquisar sobre a moda Lolita são:
http://www.orkut.com.br/Main#CommMsgs?cmm=70756229&tid=5387680600764357389
http://victoriasdolls.multiply.com/
http://www.avantgauche.co.uk/
http://lolita-handbook.livejournal.com/

Related Posts with Thumbnails