sexta-feira, 11 de janeiro de 2013

Sobre as vendagens de Sukitte Ii na yo。 e Tonari no Kaibutsu-kun



Não costumo comentar muito dessas coisas, mas como o @crazyjapannews (ex-Manga News Japon) publicou inclusive a imagem das capas, vou falar das vendagens de Sukitte Ii na yo。 (好きっていいなよ。) e Tonari no Kaibutsu-kun (となりの怪物くん). Enfim, os #10 volumes de Tonari venderam 3 milhões 950 mil exemplares, está na capa do volume #11, mas não temos ainda as vendagens desse volume. Já 9 tomos de Sukitte Ii na yo。vendeu 4 milhões e 400 mil exemplares. Primeira coisa é que mesmo com o anime de Tonari fazendo aparentemente mais sucesso, e isso fez com que vários dos seus volumes ficassem entre os 30 shoujo mais vendidos, Sukitte com menos volumes vendeu mais. Eu acho Sukitte um mangá melhor que Tonari, o anime sem dúvida é, salvo para quem acha engraçado um garoto esmurrar uma menina “sem querer” e a história ficar girando no mesmo lugar. Outra questão a se comentar é que um tomo de One Piece (ワンピース) sozinho vende mais que os 9 tomos de Sukitte. 


 One Piece, claro, está em outro nível de discussão, mas se ficarmos com os shoujo somente, um tomo de Kimi ni Todoke (君に届け) vende em média 1 milhão de exemplares para mais. Foram mais de 4 milhões de exemplares vendidos só no ano passado. Séries da Shounen Jump, que é semanal, lançam muito mais volumes encadernados por ano do que da Betsuma - casa de Kimi ni todoke - que é mensal. Essas duas séries são bem sucedidos, não tenham dúvida, e seriam mesmo entre os shounen, no entanto, estão bem longe da “elite”, por assim dizer, e nesse creme de la creme dos mangás só existe um shoujo no momento, Kimi ni Todoke. Até acredito que outros cheguem perto, mas estar no top 10 de vendagens não é para qualquer série, não.  E antes que alguém confunda, não estou falando de mangás melhores ou piores, mas do que vende mais ou menos no Japão.

GOSTOU?

17 pessoas comentaram:

Bem, só vale comentar que "não existe só Kimi ni Todoke". Aoharaido, por exemplo, em seu volume 6 (sem anime, mangá ou mais nenhum produto auxiliar) conseguiu chegar a quase 350 mil unidades em apenas 2 semanas do seu último lançamento, vendendo mais do que Chihayafuru (que é josei, mas dá pra fazer um comparativo) que já se encontra quase no seu volume 20.
Isso sem falar que antes do anime Kimi ni Todoke também não tinha essa vendagem. Vamos ver se a Betsuma se anima com Aoharaido e um anime venha daqui 1 ano, mais ou menos. Tem potencial e uma história bem mais envolvente e menos enrolada do que Kimi Ni (que eu também adoro, diga-se de passagem).

(Ah, e óbvio que não estou comparando a popularidade de nada do gênero de Kimi ni Todoke. Apenas dizendo que existem séries que devem ser olhadas atentamente. Há potencial. Orange também deve entrar nessa lista em breve.)

Dih, eu não disse que só há Kimi ni Todoke, mas que no topo mesmo, só existe este mangá. Se você seguir um dos links do texto vai cair em um post no qual estão relacionados os mangás mais vendidos do ano no Japão. Kimi ni Todoke caiu de terceiro para quinto. O décimo lugar é ocupado por outro shoujo, Bokura ga Ita.

Não há erro ou contradição naquilo que eu escrevi. Só há Kimi ni Todoke na elite dos mangás hoje vendendo mais de 2 milhões de cópias ano. One Piece vendeu mais de 13 milhões. Vender 350 mil é muito bom para um shoujo ou mesmo um shounen, mas está longe de colocar uma série entre as 20 mais vendidas, entre as dez muito menos.

Não estou desmerecendo os shoujo mangá, até porque o objetivo do blog é o contrário, mas não vou ficar exagerando dados, não. Para se ter uma idéia, os dois volumes de Chihayafuru mais vendidos em 2012 ficaram respectivamente em:

48. Chihayafuru #15 – 359,927
51. Chihayafuru #16 – 355,841

Já os dois mais vendidos de Kimi ni Todoke estão em:

3. Kimi ni Todoke #15 – 1,186,970
7. Kimi ni Todoke #16 – 788,873

Espero ter sido clara. O post está aqui: http://www.shoujo-cafe.com/2012/06/os-100-volumes-de-manga-mais-vendidos.html

Eu comecei a ler Kimi ni Todoke logo quando foi lançado, achei o mangá maravilhoso, mas dropei há algum tempo... acho que se perdeu...

Sobre Sukite, é melhor que Tonari, na minha opinião também, mas é muito drama e como Kimi ni Todoke, tem uma hora que chega, não dá mais para ficar aguentando tanta choradeira, enrolação e diga-se de passagem, apesar de amar shoujo, há um certo limite para suportar as Mary Sues da vida.

Tonari e Sukite, se levantaram por conta do anime, é óbvio, mas dentre eles, eu prefiro Kamisama Hajimemashita, que não aparece nesta lista, mas que é mais leve e gostoso de acompanhar.

Também gosto muito de Pin to Kona, que não sei como anda de vendas e Ao Haru Ride é ótimo, se a protagonista não começar a virar uma chorona também, pois nos últimos capítulos paresse que vai ser esse o caminho, uma pena.

Dih, sucesso é uma coisa, entrar no grupo seleto das dez séries mais vendidas é outra coisa. Não aposto em ninguém no momento, mas sei que temos shoujo e josei muito bem vendidas e que fazem bonito.

Vanessa, Ao Haru Ride está com boas vendagens e deve continuar assim, se não for encerrado.

Quanto à Tonari e Sukitte, eles não bombaram por causa do anime, eles tiveram anime, porque estavam bombando. Salvo raras exceções, um shoujo/josei mangá precisa estar indo muito bem para ter anime e, não, o contrário.

@Valéria

Sim, sim, entendi sua postagem e obviamente a intenção do blog não é desmerecer um shoujo (tipo, seria muito bizarro alguém cogitar isso).
Só quis mostrar pra galera que existem outras séries com vendagens altas no meio, independentes de anime (assim como acontece nos shounens também). Alguns shoujos vendem mais do que shounens da Jump, mas são meio ~ignorados~ quando comentados.
Como diz uma colega: "parece que só prestam atenção no gênero quando ganham alguma adaptação".

Enfim, obrigado pela atenção. ;)

É, Dih, mas para o grande público, aquele que torce o nariz para shoujo mangá, por ser shoujo mangá, só mesmo quando tem anime. O anime, aliás, serve para isso, universalizar uma obra. em alguns casos, ela precisa ter provado ser muito vendável antes, caso de Nodame Cantabile, por exemplo, mas na média, o anime tira o mangá feminino de seu nicho e o joga para todo mundo... E, bem, fãs aqui do Brasil não enxergam muito além do seu Naruto mesmo...

Acho Tonari um mangá bem melhor que Sukitte.

A Mei é uma personagem muito insegura. Não diz o que pensa ou corre atrás das coisas que quer. Se algum desentendimento acontece entre ela e o Yamato,fica remoendo aquilo até que, um século depois faz alguma coisa.

Sei lá, acho que ficou um pouco chato.

Já viu as vendagens de Kyou, Koi wo Hajimemasu?
15 volumes e tem mais de 9 milhões de cópias vendidas. 8 milhões antes de anunciarem o filme.
Aoharaido tem mais de 2,5 milhões apenas com 5 volumes.

São mangás mais gostosos de se acompanhar, na minha opinião, já que Sukitte fica naquela choradeira e mimi, e Tonari na enrolação.

Bem, Gabby, Mei é insegura, mas humana; Yamato é um rapaz assertivo e de bom caráter. Já Tonari até tem uma protagonista feminina legal, e começa muito bem, só que Haru não evolui e o que temos é uma menina com muito potencial tentando acomodar um stalker na sua vida. Eu prefiro a menina insegura com o cara legal, sabe? Mei evolui também é não é forçada pela mangá-ka a aceitar como parte um sujeito que, na vida real, seria motivo de preocupação real.

Ainda bem que, mesmo por muito pouco, os japoneses concordam.

Dimichan, Kyou Koi é um mangá muito bem sucedido e continuará vendendo por um bom tempo. Mas repito, nunca apareceu, nem aparecerá entre as 10 séries mais vendidas. Entre as 30 mais entrou com tranquilidade e isso para mercado japonês é algo muito importante. Gostei do que li da série, mas a protagonista é nos moldes da Mei, além de ter um protagonista masculino bem perturbado. Fora, claro, o fato da série flertar com o smut, coisa que nem Tonari, nem Sukitte fazem.

Aoharaido precisa continuar vendendo. Acho que logo terá dorama ou filme. A autora está em evidência desde sua série anterior. Mas vender 5 milhões desde o início da série não significou entrada no topo 20 mais vendidos. Esse ano, quem sabe.

Estava pegando o post que era a primeira prévia do ano. O certo é esse: http://www.shoujo-cafe.com/2012/12/series-de-manga-mais-vendidas-de-2012.html

Kimitodo é o sexto mais vendido com 4 milhões e poucas cópias vendidas. Está sozinho no top 10. Depois, o mais próximo é Chihayafuru em 16°. Nem sombra de Aoharaido no top 30, melhor não se empolgarem muito ainda. O mangá tem que vender muito ainda para entrar nessa elite. O dorama ou filme deve ajudar.

pô, coisinha chata ficar comentando vendas viu. :c


bah, Tonari > Say I love you, imo. Aliás, Ao Haru Ride é melhor que ambos e vende menos (falando de preço).


bjs

dwd Dante, se é chato comentar vendagens, há mais de 7 mil posts que podem não chatear. Obviamente, apesar de chato se fazia necessário comentar, sem justificar, que o mangá X é melhor que Y e Z. O objetivo do post não é esse, aqui, aliás, você dificilmente vai encontrar post guerrinha nessa linha. E mais Ao Haru Ride proporcionalmente ao seu número de volumes já vendeu mais que os outros dois. Se mantiver o ritmo deve alcançar marcas bem expressivas.

Interessante seu post Valéria. Eu tinha grande curiosidade em saber como estava as vendagens desses mangás e a influência do anime na venda destes. Eu sempre torço que um anime shoujo tenha um retorno bom. Vou dar uma pesquisada se kami-sama hajimemashita também teve um alavancagem nas vendas.

Eu sei Valéria, afinal os animes em geral hoje em dia são adaptações de mangás, novels e light novels, e mangás também podem ser adaptados de LN... o que quis dizer é, que também existe o caminho inverso, muitas pessoas que antes não conheciam o mangá ou não tinham interesse em lê-los, acabam indo procurar depois de verem o anime. Isso acontece e muito também.

Related Posts with Thumbnails