domingo, 15 de março de 2015

Depois de 30 anos, Mangá de Machiko Satonaka chega ao seu final


Fico feliz e ao mesmo tempo envergonhada quando descubro certas coisas.  Pois bem, eu não conhecia Tenjou no Niji  (天上の虹) , ainda que já tenha visto este mangá em capa de alguma revista... De qualquer forma, trata-se, segundo o Comic Natalie, da obra-prima de Machiko Satonaka.  Não sei se é para tanto, especialmente, se levarmos em conta que Satonaka começou sua carreira em 1964 com 16 anos e é o ponto de partida para a invasão de mulheres mangá-ka que tomou conta das revistas shoujo.  Satonaka produziu muita coisa e seu traço é sempre muito bonito e bem cuidado.


Tenjou no Niji começou a sua publicação em 1983 e foi mudando de revista até se acomodar na revista Kiss.  A série conta a história da 41ª governante do Japão, Jitō, que foi a terceira mulher a se tornar imperatriz-reinante do país (*ao todo foram oito: Suiko,Kōgyoku/Saimei, Jitō, Gemmei, Genshō, Kōken/Shōtoku, Meishō, e Go-Sakuramachi*).  Sim, foi a constituição do pós-guerra no Japão, com forte influência dos americanos, que proibiu as mulheres de reinarem e gerou toda essa comoção e pressão em torno do príncipe herdeiro e sua esposa (*que adoeceu e não mais se curou, ao que parece*) para que gerassem um herdeiro homem para o trono, mas vamos voltar para o ponto... Jitō  governou de 697 até 703, primeiro enquanto seu filho era menor; depois, com a morte deste, em nome do neto.


Tenjou no Niji terá seu último volume, o #23, publicado em 13 de março.  Não há scanlations de nenhum de seus capítulos.  Aliás, pouca coisa há traduzida de Machiko Stonaka para o inglês, infelizmente, mas tenho uma de suas obras publicadas na Itália aqui em casa.

GOSTOU?

0 pessoas comentaram:

Related Posts with Thumbnails