quarta-feira, 19 de agosto de 2015

Feliz Dia do/a Historiador/a, depois de uma manhã com a Trina Robbins!


Estou aqui retornando de  uma palestra espetacular com a Trina Robbins, uma historiadora que abraçou a tarefa de lançar luz e quebrar os silêncios em relação às mulheres quadrinistas  e consumidoras de quadrinhos nos EUA.  Sim, ouvi-la falar de sua história de vida como militante feminista e cartunista, as dificuldades e suas escolhas tornou meu dia muito mais feliz.  E ela é tão fofa que ainda coloca em seu cartão que ela é "herstorian".  

Você não entendeu?  Herstory é um termo cunhado nos EUA e que significa que você vai fazer História com uma ótica feminista, isto é, sem omitir, invisibilizar, ignorar as mulheres.  A primeira vez que ouvi o termo foi da boca da Margaret Rago, outra herstorian de muito peso.  Enfim, é isso que eu tento fazer, porque como bem escreveu minha orientadora de doutorado, Tânia Navarro Swain,  "O que a História não diz, não existiu.".  A Trina Robbins falou algo semelhante hoje.  Está tudo gravado, quem sabe, consigo postar alguma coisa quando voltar para casa.

É isso, daqui a pouco estarei lá na USP - no Dia do/a Historiador/a - fazendo a minha pequena parte e falando das mulheres mangá-kas e de shoujo mangá, enfim.  Espero que dê tudo certo.

GOSTOU?

0 pessoas comentaram:

Related Posts with Thumbnails