sexta-feira, 23 de dezembro de 2016

Comentando Yuri!!! on ICE, um dos melhores animes do ano


Ontem, chegou ao final o anime Yuri!!! On ICE (ユーリ!!! on ICE) e eu imagino que não tenha decepcionado seus fãs.  A série sobre patinação artística, que começou com um tom humorístico bem marcado, tornou-se cada vez mais dramática, emocionante e terna.  Boa parte da ação era verossímil e tivemos uma gama de personagens, algumas muito bem construídas, que foram evoluindo ao longo dos capítulos.  E quando falo “bem construídas”, não quero dizer que tivemos personagens superficiais, mas que algumas personagens tiveram muito pouco tempo em tela, é o preço do formato favorito dos dias de hoje, são poucos capítulos e não se pode esperar um Ace Wo Nere (エースをねらえ!) em um formato tão exíguo.

Foram só míseros 12 capítulos, pouca coisa, mas o “see you in the next level” no encerramento soou como um anúncio de segunda temporada, ou especial, ou...  E um dos patinadores ausentes da final do Grand Prix, acho que o coreano, disse que encontraria com os melhores na copa dos quatro continentes, além disso, Viktor vai retomar a carreira e Yurio está certo de que irá enfrentar Yuri de novo no futuro.  Com tanta simpatia e uma audiência tão apaixonada, como não se aproveitar isso oferecendo mais anime, um mangá, e muitos produtos?  Figures!  Eu quero figures!  A graça é que as/os fãs da série começaram a ver produtos de Yuri!!! on ICE nos lugares mais inusitados.

A cada novo capítulo, os fanarts se multiplicavam.
Para quem não sabe, o anime Yuri!!! On ICE acompanha o patinador artístico (figure skater) Yuri Katsuki, uma grande promessa da patinação nipônica, tendo como ponto de partida o seu fiasco no Grand Prix.  Inseguro, ansioso, Yuri tem 23 anos e acumula frustrações.  Só que sua vida começa a mudar quando o multi-campeão russo Victor Nikiforov se oferece para ser seu treinador.  Viktor decide tirar um ano sabático e acompanhar Yuri com o compromisso de que o rapaz irá vencer o Grand Prix.  

Ao longo de 12 dramáticos episódios, Yuri vai crescendo aos nossos olhos, amadurecendo emocionalmente e ele e Viktor terminam por ir além da relação mestre-aprendiz.  Sim, eles não se casam no final, como muita gente desejava e eu não levava fé mesmo, mas não vejo como alguém possa negar que os dois se tornaram parceiros e amantes.  Fora isso, não caímos em estereótipos prontos, como os tradicionais seme-uke, aos meus olhos Viktor e Yuri pareciam dois caras normais, um mais maduro e ciente da sua orientação sexual, outro ainda incerto do que o desejo era de fato.  Aliás, amor e desejo tiveram papel importante no desenvolvimento de Yuri como patinador, na sua técnica, na sua segurança como atleta e ser humano.


Um dos momentos mais ternos.
Uma das polêmicas é se o anime seria um "gay bait", ou não.  Aprendi o termo este ano, acho, e o termo se aplica àquelas relações em produtos midiáticos – anime, séries de TV, mangá etc. – nas quais a produção oferece um aparente casal homo para que as pessoas possam torcer, só para, ao longo do tempo, a gente descubra que era tudo “coisa da nossa cabeça”.  Não consigo ver uma situação “gay bait” em Yuri!!! On Ice, vejo um romance que nasce e amadurece diante dos nossos olhos.  Fora isso, há revelações e surpresas que apontam para um sentimento nascido vários meses antes... 

Houve beijo?  Bem, a maioria viu um beijo no episódio #7, o mais espetacular de todos junto, talvez, com este último.  Fora isso, tivemos afetividade, respeito, uma relação sólida entre os dois protagonistas.  Viktor é um amorzinho.  Yuri começa tímido e vai nos surpreendendo a cada episódio, deixa de ser um garoto assustado e se torna um homem.  É o russo quem desperta nele a vontade de lutar, de mostrar o seu valor.  Viktor acredita em Yuri mesmo antes do japonês acreditar em si mesmo.  Raramente, eu vi isso em um anime e não estou falando de casais homoafetivos, mas de casais em geral.


Viktor, o sedutor.
A terceira personagem importante de Yuri!!! On ICE é o jovem Yuri Plisetsky, um rapaz de 15 anos, promessa da patinação russa e que, no início, parece ser o nosso tsundere de plantão.  Na verdade, Yurio, como os amigos japoneses passaram a chamá-lo, admira profundamente Viktor, quer seguir-lhe os passos e sonha em tê-lo como treinador. Ser preterido pelo outro Yuri, a quem despreza pela sua fragilidade emocional, é um duro golpe.   Com o tempo, no entanto, Yurio passa a admirar Yuri e, do seu jeito, vê-lo como um competidor de valor e um amigo.  Yurio é simplesmente um patinador espetacular que parece querer amadurecer mais cedo do que o necessário e precisa ser lapidado.  Ao final da série, ele parece pronto, apesar da sua tenra idade.

Aliás, todos os patinadores que aparecem na série tem algo que nos encanta, seduz, ou sei lá, pela forma simpática e interessante como nos foram apresentados.  O seriado usou, também, de um marketing inteligente atraindo para a audiência patinadores famosos da atualidade e já aposentados como Johnny Weir, Evgenia Medvedeva, Denis Ten, Evgeni Plushenko e Masato Kimura.  Eu não acompanho patinação com a frequência que gostaria, mas eu bati os olhos em Viktor e vi Plushenko.  O próprio super-campeão russo fez um cosplay de Viktor em uma foto no Twitter.  Eu quase gritei!


Evgeni Plushenko e Kenji Miyamoto
"fazendo cosplay" de Yuri!!! on ICE.
Obviamente, a patinação no gelo foi quase apresentada com um esporte gay.  Há vários homossexuais patinadores, Johnny Weir foi um dos mais famosos, que viram na patinação uma válvula de escape em ambientes muito repressores.  É justo e válido, mas a patinação não é necessariamente um esporte gay, assim como o balé não é uma arte gay, mas são espaços nos quais vários homossexuais conseguem espaço para se expressar.  Desde a Olimpíada de Sochi, pelo menos, há muita discussão sobre homofobia dentro da patinação masculina ou em duplas (*1-2-3-4*). todos esses aspectos foram enfocados de certa forma no seriado que foi dirigido e roteirizado por mulheres.  

Sayo Yamamoto, a diretora e Mitsurou Kubo, a roteirista, trouxeram para o anime discussões contemporâneas sobre aceitação, identidade, força de vontade, companheirismo, desejo, que se articularam muito bem nas diversas tramas das personagens.  Eu queria mais animes de esporte assim, com adultos, ou quase adultos, queria, também, um anime de patinação com mulheres patinadoras.  Seria exigir demais?  Patinação é um dos esportes mais populares do Japão e isso vale tanto o masculino, quanto para o feminino.  Fora isso, há vários mangás shoujo/josei sobre patinação que poderiam virar anime.  Sara, irmã do patinador italiano (*Michele Crispino, que eu achei o mais chato dos patinadores*) e, também, patinadora, me deixou ainda mais desejosa disso.
  
Sara (morena) e a russa inspirada em Ashley Wagner, uma patinadora de verdade.
Será que a próxima temporada vai trazer alguma surpresa nesse sentido?  O fato é que Yuri!!! On ICE foi feliz em quase todos os aspectos e trouxe o ex-patinador Stéphane Lambiel interpretando a si mesmo no último episódio.  Aliás, segure seu coração para assistir o duelo final entre Yuri e Yurio, além do embate entre o protagonista e seu treinador amado, Viktor.  Vamos esperar e torcer.

De resto, falando em animação, o seriado teve altos e baixos.  Os três primeiros episódios tiveram uma animação de altíssima qualidade.  Depois, a qualidade da animação permaneceu regular com alguma oscilação (*havia quadros muito ruins mesmo*).  O último capítulo primou pelo character design muito perfeito e que teve como intuito mostrar a intensidade emocional das personagens.  A animação, no entanto, foi somente OK em alguns momentos.  

Como não amar Yurio?
E as roupas que ele usa...
Em termos de roteiro e desempenho dos dubladores, o ápice continua sendo o episódio 7, o mais perfeito de todos, mas o último episódio foi muito mais espetacular no quesito animação.  Outro aspecto importante de Yuri!!! On ICE foi a música inspirada de Taro Umebayashi e Taku Matsushiba.  Já a coreografia dos patinadores ficou a cargo de Kenji Miyamoto.  E, sim, esta parte foi fundamental em vários momentos.

Homofobia pode afastar algumas pessoas de Yuri!!! On ICE, mas espero que a maioria veja a série como ela é: um anime de esportes como não se via faz muito tempo, uma história muito bem contada, com personagens psicologicamente interessantes e que crescem ao longo da narrativa.  Pudera ter mais animes intensos como Yuri!!! On ICE todas as temporadas para assistir.  Séries que conseguem me fazer correr atrás dos episódios, desejar revê-los, me emocionar, enfim,tudo aquilo que a maioria dos animes não consegue fazer.


Christophe Giacometti um dos destaques da série.
P.S.:Não sei o que houve.  O post aparece, depois desapareceu.  Estou de férias na casa dos meus pais e a conexão da Claro é horrorosa.  Parece que até na Aleppo sitiada é mais fácil usar a internet do que em São João de Meriti..

GOSTOU?

5 pessoas comentaram:

Nem sei o que dizer desse anime, faz tempo que eu não fico tão envolvida, ansiosa pra chegar o próximo episódio como em Yuri on Ice. Foi lindo, emocionante acompanhar o crescimento do Yuri profissionalmente e da relação dele com o Victor, que pra mim tá mais do que óbvio que há um romance ali e eles são um casal.

Fala-se em queebr bait pro anime, por que ele não assume explicitamente a relação romântica entre os dois (no ponto de vista de várias pessoas). A roteirista do anime Mitsurō Kubo, já chegou a afirmar em entrevista que o espectador pode ver Victor e Yuri como um casal, ou não, fica ao gosto do mesmo. Isso pra mim é uma falta de coragem em assumir a homossexualidade presente no anime, acho que é pra aquele espectador homofóbico não se sentir mal vendo o anime. Pelo menos não tivemos nenhum shipping heterossexual pra nenhum dois dois, logo a possibilidade de ser tudo fruto da nossa imaginação é quase nula.

Também esperava um beijo no final, o casório, mas acho que fica pro final da 2 temporada...
Enfim, adorei o anime e também estou na expectativa por figures!!!!! Adoraria uma do Victor e Yuri juntos.

Havia muito tempo - anos! - que não acompanhava uma série de anime. Li sua resenha sobre o primeiro episódio de Yuri on Ice! e fui atrás. Não me arrependi! Tornou-se um dos meus animes favoritos e toda quarta parava o que estava fazendo para assistir. É uma série que transborda ternura, do relacionamento do casal principal, até os laços que vão sendo construídos entre os personagens secundários. É tudo muito crível nos acontecimentos de Yuri on Ice!: não há um vilão, melodramas, mas conflitos cotidianos, sentimentos que estão no dia a dia das pessoas.
O relacionamento de Yuri e Viktor representa essa abordagem do anime: eles dão suporte um ao outro, se divertem juntos, ganham intimidade, amadurecem, se desentendem em certo momento, construindo uma relação muito verossímil. E não tem como não amar os dois, assim como não tem como amar Yurio, que cresce aos olhos do telespectador. Vi muitas pessoas torcendo para que ele se envolvesse com Otabek, mas gosto de pensar na amizade que os dois criaram.
Você destacou o episódio 7: eu não consigo pensar em qual foi o meu favorito, porque amei todos e cada um teve uma importância para a trama, revelou algo diferente. Enfim, estou apaixonada pela série e aguardo por esse "next level" prometido, seja ele uma segunda temporada ou especial. O que vier, ficarei imensamente feliz em ver. Enquanto isso, vou revendo a série pra matar as saudades.

Olá,
postando apenas para agradecer, pois foi aqui que li sobre o anime pela primeira vez, e as duas pessoas de antes já disseram tudo o que eu poderia dizer. Obrigada por falar sobre Yuri!!! on ice. ^^ O melhor anime que assisti desde muito tempo.

Obrigado pelo texto, Valéria.

Também descobri sobre esse anime por sua causa. Eu teria passado batido por ele, provavelmente, se não tivesse lido aqui.

Em relação a queerbaiting, meu medo era justamente no final tirarem do bolso algum interesse heterossexual para os dois no melhor estilo "vocês que estavam imaginando coisas", como comentaram. Mas já que não teve isso e ainda colocaram aquela cena linda dos dois na frente da igreja (para mim aquilo foi o casamento deles), já fico feliz.

Também achei o episódio 7 o melhor em matéria de construção de roteiro. Queria que o último fosse mais emocionante assim, mas ele não fez feio.

Acho que será feita uma segunda temporada, sim. Se fizeram de Free!, provavelmente farão dessem que me parece ter feito mais sucesso (mas é só impressão mesmo, não tenho dados).

E a Evgenia Medvedeva toda apaixonada pela série? Achei uma gracinha. Ela comentando toda feliz que só queria ver aquela (outra linda) cena no final dos dois dançando juntos... ^^

Aliás, não sabia dessa homofobia em relação a homossexuais. Bem triste isso.

Eu moro em Nova Iguaçu, na baixada, não acredito que a criadora desse blog amado está tão perto. Sou sua fã *_*

Related Posts with Thumbnails