terça-feira, 28 de fevereiro de 2017

Começam as comemorações dos 50 anos da Shounen Jump


O Shoujo Café não é sobre shounen, mas não pude ignorar essa notícia.  A Shounen Jump, a mais importante das antologias de mangá do Japão, completará 50 anos em 2018.  Eu realmente não sabia que ela só tinha 50 anos, imaginava que a Jump tivesse sido fundada nos anos 1950 e seria contemporânea da Ribon e da Nakayoshi.  A Jump foi fundada em 1968 e era quinzenal, passando depois ao formato atual, que é semanal.


Enfim, segundo o site Animeland, teremos várias exposições comemorativas este ano e no ano que vem.  Imagino que muita coisa mais.  Em julho abrirá a primeira exposição chamada de Vol. 1 e abordará a fundação da revista até os anos 1980.  Em 2018, seguirão as exposições Vol. 2 e 3.  O site francês não tinha mais detalhes.  Logo, outro site deve publicar alguma coisa.


Falando em Jump, o site Goboiano publicou um artigo intitulado "Anime is Changing to Focus on Female Fans to Survive" (Os animes estão mudando para focar na audiência feminina e se salvar) que deu a informação de que em 2012, anos do 45º aniversário da revista, os editores fizeram uma pesquisa e descobriram que 50% dos assinantes da publicação eram mulheres.  Também do mesmo ano era a pesquisa sobre quem são os leitores das séries mais importantes da Jump e as leitores mulheres representavam dentro do público leitor:
  1. Haikyuu!! – 66.8% 
  2. Gintama – 63.8% 
  3. Katekyo Hitman Reborn – 62.4% 
  4. Kuroko’s Basketball – 56.9% 
  5. One Piece – 51.8% 
  6. Bleach – 50.7% 

Enfim, falar da Jump é falar de algo do interesse das mulheres e é necessário estar atenta às mudanças da publicação ao longo dos anos para atender as expectativas dessas consumidoras.  O que significa isso?  Mais bishounen, mais queerbating e, essencialmente, o mesmo tipo de história, porque, bem, se elas não gostassem, estariam lendo outras coisas.  Importante, também, é lembrar que animes da Jump foram fundamentais para a expansão do mercado de mangá no Brasil.  Cavaleiros do Zodíaco, Dragon Ball e Naruto, esta tríade, especialmente, ajudaram a consolidar os mangás no Brasil, formar leitores, impulsionar eventos e tudo mais.  Seria interessante que os eventos sobre anime e mangá no Brasil celebrassem os 50 anos da Jumpa, também.

GOSTOU?

3 pessoas comentaram:

Este comentário foi removido pelo autor.
Este comentário foi removido pelo autor.

Olá. Quando vi o título da postagem, estranhei a data. Lendo, descobri que, afinal, a Shonen Jump começou bem cedo as comemorações de seu aniversário.

Achei muito interessante essa pesquisa sobre a presença das mulheres entre o público de títulos shonen. Da mesma forma, acharia legal saber a proporção de público masculino entre títulos shojo. Eu particularmente gosto muito de alguns shojo e tem autoras que sempre vou querer saber o que andam fazendo.

Acho que essa pesquisa e essas análises podem indicar, no futuro, uma mudança de paradigmas de mercado. Seriam mudanças na forma de criar um produto final, focando mais no grande público, não tanto em nichos ou segmentações. Aí talvez diminuísse o fan service erotizado e alguns autores fossem forçados a pensar mais no conteúdo das histórias.

Ótima postagem. Estou indicando no G+ e no Twitter.

Tudo de bom!

Related Posts with Thumbnails