terça-feira, 7 de março de 2017

Minako Morita comemora 40 anos de carreira


O Comic Natalie (*vi primeiro no ANN*) noticiou que começaram as celebrações dos 40 anos de carreira de Minako Morita, artista que produziu alguns shoujo mangá icônicos dos anos 1980.  A mangá-ka estreou aos 17 anos, na revista LaLa, com a série Miki & Uti (みき&ユーティ).  O sucesso veio na década seguinte com séries como Cipher (サイファ), que se passava em Nova York e tinha como protagonistas rapazes gêmeos que fingiam ser a mesma pessoa, alternando-se na escola, principalmente, enquanto seguiam sua carreira artística.  A série teve um OAV.  O que me surpreendeu em Cipher – que saiu nos EUA – foi a arte da autora, como ela captou bem a moda da época e o fato dela desenhar personagens negras de forma crível e não estereotipada.


Narita produziu, também, uma importante série de ficção científica, Alien Street (エイリアン通り/Alien Toori), e os dois primeiros brindes da revista Melody, onde a autora publica no momento, são recordando esta série e Cipher.  A edição atual da Melody traz uma cópia do pôster original de Alien Street publicado em 1984.  


A próxima edição da revista trará um pôster de Cipher e o primeiro capítulo do mangá encartado.  Fora isso, está previsto um evento homenageando Minako Narita, mas não há data ainda.  O mangá atual da autora se chama Hana Yori mo Hana no Gotoku (花よりも花の如く) e gira em torno do tradicional teatro Noh.

GOSTOU?

1 pessoas comentaram:

Tenho uma fascinação por este manga. O traço é muito bom e me levou a comprar o primeiro volume do manga. Tem até ótimas referências musicais, como Cocteau twins. E esse esquema gemeos fashionable semelhança. Certa vez vi o ova do Cipher numa fita do BAC. Mas é um Holy grail pra mim arranjar ele em arquivo.

Related Posts with Thumbnails