sábado, 3 de junho de 2017

Filme sobre affair do último Czar da Rússia acusado de blasfêmia

Michalina Olszanska foi comparada a uma rata.
Eu tropecei por acaso com a notícia do New York Times, e é um negócio tão engraçado e, ao mesmo tempo, terrível para a gente não comentar.  Enfim, Nicolau II (1868-1918), antes de ter se tornado Czar, antes mesmo de se casar com a Princesa Alix (*depois  chamada de Alexandra Feodorovna*), teve um caso rumoroso e público com uma das maiores bailarinas da época, Matilda Kshesinskaya.  O caso começou em 1890, e o filme Mathilda, que será lançado em outubro, mostrará não somente o  romance, mas o triângulo amoroso entre a bailarina (Michalina Olszanska), o príncipe (Lars Eidinger) e o Code Vorontsov (Danila Kozlovsky).  OK?  Dêem uma olhada no lindíssimo trailer, para quem curte esse tipo de filme, claro, aí embaixo:


Filme histórico, baseado em abundantes fontes de época, visual lindo, tudo OK?  Não.  A Rússia, hoje, é terreno fértil para toda a sorte de conservadorismo e obscurantismo religioso.  Daí, mesmo com o endosso do ministro da cultura do país, segundo o New York Times, o filme do diretor e roteirista Aleksey Uchitel enfrenta forte resistência da Igreja Ortodoxa.  Vários religiosos, alguns da mais alta hierarquia, já exigiram a censura do filme acusado de blasfêmia.  Sim, sim, há leis de blasfêmia na Rússia, um blogueiro foi condenado por estar jogando Pokemon Go em uma igreja dia desses.  No caso do filme, ele ofenderia a imagem do último Czar, canonizado em 2000, e, portanto, santo, com sua vulgaridade e trama carregada de sensualidade.

Natalia Poklonskaya, linda e louca.
Há quem acrescente, também, objeções à escolha do elenco.  E foi nesse momento que eu olhei para a foto da procuradora Natalia Poklonskaya, que, agora, ao que parece, é deputada da Duma (*Parlamento russo*), e pensei "De onde conheço essa doida?".  Sim, porque ela argumenta, para além da blasfêmia, que a protagonista do filme não é bonita o suficiente (*Oi????*), que não representaria a "beleza russa", nas palavras da própria, a  atriz seria "(...) repugnante e feia, tanto em sentido físico como em outros; de modo algum bela do ponto de vista dos padrões clássicos europeus e russos de beleza; sendo parecida com um rato ou uma ratazana ".  

A verdadeira Matilda Kshesinskaya.  Morreu aos 99 anos em Paris.
Sério, gente, e parece que essa moça que abalou a internet e conquistou o coração dos japoneses... Ah, ainda não lembraram?  Ela é aquela oficial ucraniana que passou para o lado dos russos e fascinou os japoneses que a homenagearam com vários fanarts (*Ex.: 1-2-3*).  Enfim, ela mostrou-se uma fanática religiosa e acusa quem pode se russofobia, blasfêmia, ou, neste caso, de não ser bonita o suficiente, segundo o Calvert Journal.  Ela também desgostou do protagonista, ela acusa o alemão Lars Eidinger de ser um ator de filmes pornográficos e não fazer justiça a Nicolau II.  Não sei a parte da pornografia, parece que o moço nunca esteve metido nesse tipo de filme, mas ele efetivamente - e isso não foi citado - é muito velho para ser Nicolau nessa fase de sua vida.  O príncipe tinha 22 anos, o ator tem 41 e aparenta essa idade.  Fora que Eidinger efetivamente não é tão bonito quanto Nicolau, mas arranjar alguém bonito como ele seria difícil...  De qualquer forma, essa Natalia Poklonskaya parece uma alucinada.

O ator que faz o Nicolau não me parece tão bonito
quanto Danila Kozlovsky, o Conde Vorontsov.
 
Terminando, acho que o filme estréia.  A sorte do diretor é que ele é um fiel apoiador do regime, do tipo que assina manifesto dando suporte às ações do governo Putin.  De qualquer forma, parece uma produção luxuosa e merce uma olhadinha.  Fora o barraco bom demais para a gente não comentar.

GOSTOU?

0 pessoas comentaram:

Related Posts with Thumbnails