sábado, 14 de abril de 2018

Wotakoi: é Difícil Amar um Otaku! (Wotaku ni Koi wa Muzukashii): Primeiras Impressões


Dia 13 de abril estreou o tão esperado anime baseado no mangá Wotaku ni Koi wa Muzukashii (ヲタクに恋は難しい), da mangá-ka Fujita.  A série começou a ser publicado no pixiv em 2014.  Depois, em novembro de 2015, a série se mudou para a revista Comic POOL, da editora Ichijinsha.  Quando falei dela a primeira vez, comentei que tinha cheiro de anime, coisa que acabou se confirmando, a série de TV foi anunciada quando o volume #4 estava para ser lançado.  Como esta resenha é de impressões gerais de um único episódio, não irei me prolongar.

A protagonista cabeça de vento versão adulta.
Wotakoi, como será doravante chamado, tem como protagonista uma mulher de 26 anos chamada de Narumi Momose, ela leva uma vida “secreta”, pois é fujoshi (*fão de mangás BL/YAOI*) e fanzineira.  Quando seus hobbies são descobertos na empresa que trabalha, ela perde o namorado e termina por se demitir.  Na nova companhia, ela espera não cometer gafe alguma e continuar nas sombras, ao mesmo tempo que deseja ter amigos e amigas que compartilhem seus gostos.  Parece ser a típica protagonista cabeça de vento, só que adulta.  Pelo menos no primeiro capítulo ela parece bem divertida.

No seu primeiro dia de trabalho, Momose reencontra um colega dos tempos de primário e ginásio, Kento Itou.  Ele, ao contrário de Momose, é um otaku de games e não esconde seu hobby.  A gente até pode ser levado a refletir sobre o grau de tolerância com o comportamento otaku nos homens, ou que certos tipos de otaku são mais tolerados que outros. É acompanhar a série e ver se a questão é discutida, ou não.  No Brasil, e acredito que não só, certos hobbies são vistos como sintoma de infantilização (*um psicólogo me disse isso uma vez*), daí, existe o estigma, mas há, também, toda uma complacência com os homens. Eles podem manter um pouco do garoto vivo dentro deles.  Já as mulheres, "elas amadurecem mais rápido" (*não vou discutir a afirmativa agora*), e precisam largar essas "coisas de criança", o mais rápido possível.  

Adorei o Itou, mas ele fuma demais.
A gente sabe que todo mundo lê mangá no Japão, mas ser um otaku vai além do simplesmente ler um mangá ou outro.  Envolve um engajamento que uma mulher adulta, dona de casa, mãe, whatever, não pode ter.  Uma mulher com hobbies talvez seja uma namorada, esposa, menos desejável e uma mãe rotulada de irresponsável.  Estou devaneando, vamos ver como a série discute e se discute a questão. Voltando para Itou, ele é competente e não parece permitir que seu hobby interfira em suas obrigações, já Momose, bem, há pelo menos duas cenas apontando para o contrário.  Logo de cara, acabamos descobrindo rápido que Itou e Momose não estão se reencontrando na empresa, mas que frequentam os mesmos espaços otaku, como o Comiket.  Itou gosta de Momose e quer namorar com ela, mas a moça tem preconceito contra otaku.  Ela quer um namorado “normal”, mas, ao que parece, gente “normal” tem baixa tolerância com os otaku.  

Os dois passam o episódio inteiro flertando, quer dizer, Itou a está cortejando o tempo inteiro, observando de longe e de perto, já que eles saem para beber.  Detalhe, ela bebe mais que ele e o Sora News publicou uma matéria ontem mostrando que pesquisas no Japão apontam que os dois grupos que mais consomem bebidas alcoólicas no país são os homens velhos e as mulheres jovens.  Narumi Momose confirma a regra.  O primeiro episódio termina com um épico pedido de namoro colocado em termos otaku muito claros e que, bem, é um tanto irrecusável.

Koyanagi periga ser mais fujoshi do que a protagonista.
A terceira personagem importante do episódio é Hanako Koyanagi, a funcionária encarregada de apresentar o serviço na nova empresa para Momose.  Ela parece séria, profissional, segura de si, com um busto que a protagonista nunca terá e Momose termina descobrindo que ela também é uma otaku.  Ao que parece, nesta série eles e elas estão em todo lugar, ainda que as escondidas.  Assim, a protagonista realiza o sonho de ter uma BFF (Best Friend Forever) que compartilha seu hobby.  Koyanagi é uma famosa cosplayer e, claro, ninguém no trabalho sabe disso.  Quando descobre a identidade de Momose, ela fica emocionadíssima, afinal, ela é fã dos fanzines que ela faz.  Se entendi bem, são da série Sengoku Basara (戦国BASARA). 

A quarta personagem apresentada no episódio é Tarou Kabakura, que parece estar em uma posição de chefia em relação à Itou.  Das quatro personagens introduzidas no primeiro capítulo, ele é a que conhecemos menos.  Ele deve ser outro otaku, só que enrustido, de verdade.  Kabakura faz pouco caso do hobby de Itou e parece estar interessado em uma das moças.  Qual delas?  De qualquer forma, este quarteto aparece na abertura e no encerramento.  Ele deve fazer par com Koyanagi.

sobre Kabakura ainda sabemos pouco.
A série terá 11 episódios.  Será curta e o mangá ainda está em lançamento no Japão.  Não dei gargalhadas nesse primeiro episódio (*mas estava assistindo na rua e no tablet*), quando vi Kuragehime (海月姫), Genshiken  (げんしけん) e Gekkan Shoujo Nozaki-kun (月刊少女野崎くん), cheguei a chorar de rir ao longo da série.  Agora, o primeiro episódio de Wotakoi foi delicioso, com diálogos bem construídos e apresentando gente adulta e seus problemas, neste caso, com seus hobbies estigmatizados, ou pouco usuais, e os problemas para encontrar um par.  Acredito no potencial da série e que ela vai ser bem legal de se assistir.  Aliás, era o que eu esperava desde o seu anúncio.  E deve ser o único anime que eu assistirei nesta temporada.  Aliás, o último anime que assisti por completo foi Yuri!!! on ICE (ユーリ!!! on ICE) para você ter uma idéia.

Falando da animação, que está aos cuidados do A-1 Pictures (Sword Art Online, Blue Exorcist), ela é somente mediana.  Não houve momentos brilhantes, não chega a ser ruim, mas é bem mediana para os padrões de hoje.  Como é uma série de humor meio slice of life, não haverá grandes cenas de ação, não há necessidade de uma animação elaborada como em um Yuri!!! on ICE, a coisa não deve incomodar, mas já no primeiro episódio detectar uns frames meio feios, não é legal, não.  Só que estou mais interessada nas personagens e nos diálogos, eu posso relevar.  É como quando eu falo que pouco me importa as naves e computação gráfica das batalhas de Lenda dos Heróis Galácticos (銀河英雄伝説, Ginga Eiyuu Densetsu), que eu gosto da série pelas personagens e pela trama política, exatamente por isso, estou mantando distância da nova série.

Há mais duas personagens serão apresentadas ainda.
É isso.  A série promete ser muito legal.  Pontos altos, personagens, diálogos, detalhes otaku.  Ponto baixo, a animação de orçamento limitado.  De resto, eu acredito que esta série será anunciada no Brasil.  Tenho esse feeling faz tempo. eu acertei quando disse que haveria um anime de Wotakoi, não acertei? E ainda acredito que virá um dorama.  Outra coisa, para quem se interessar, tem scanlations e, com o anime, devem aparecer mais ainda.  Eu encomendei a edição norte americana.  Está em pré-venda, mas sai esta semana já o primeiro volume.

GOSTOU?

0 pessoas comentaram:

Related Posts with Thumbnails