quinta-feira, 14 de junho de 2018

Como os Primeiros japoneses passaram pelo Brasil ainda na época da Colônia, ou o que eu aprendi assistindo a novela Orgulho e Paixão


Acho que duas semanas atrás, estava assistindo a novela Orgulho e Paixão e apareceu uma nova personagem, uma médica japonesa.   Incomum, mas possível.  Daí,  moça diz que seu bisavô naufragou Sul (!!!) e que ele era médico.  Eu comecei a twittar que era esse tipo de “liberdade” era um absurdo, porque os primeiros japoneses chegaram ao Brasil muito depois, que o Shogunato não permitia esse tipo de coisa, blá, blá.  Para minha surpresa, a própria atriz que interpreta a personagem, Jacqueline Sato, me respondeu contando a história do Wakamiya-maru, um navio japonês que deu a volta ao mundo em 1793.  Sim, na época da colônia e, sim, ele passou pelo Brasil.  

Wakamiya-maru era um navio de carga japonês que, colhido por uma tempestade, saiu de sua rota (Ishinomaki para Edo/Tokyo) e terminou indo parar na ilha de Unalaska, em território russo.  Eles foram transferidos para a ilha de Irkutsk em 1793.  A Rússia, então governada por Catarina, a Grande, tentava estabelecer relações comerciais com o Japão. No entanto, o seu falecimento levou os marinheiros a ficarem em Irkutsk por sete anos antes de convocados para São Petersburgo, quando Alexandre I tornou-se czar.

Ilustração do Kankai Ibun.
Dos membros da tripulação que haviam sobrevivido, quatro desejavam voltar para casa e acompanharam Nikolai Petrovich Rezanov, enviado da Rússia para o Japão, a bordo do navio Nadezhda, que partiu em 1803 do porto de Kronstadt e seguiu para Copenhaguen (Dinamarca), Falmouth (Inglaterra), Santa Cruz (Ilhas Canárias, Espanha), Ilha de Santa Catarina (Brasil) e Nuku Hiva (Ilhas Marquesas, Oceano Pacífico do Sul), chegando em Nagasaki, em 06 de setembro de 1804.  De volta ao Japão, os marinheiros foram interrogados pelo estudioso Otsuki Gentaku e os relatos de suas viagens publicado como Kankai Ibun [環海 異 聞].

A viagem do navio Nadezhda foi a primeira circunavegação russa do mundo e juntamente com os quatro marinheiros japoneses os primeiros a fazer circunavegação global.  O Kankai Ibun [環海 異 聞] é um manuscrito ilustrado, escrito em 1806, por Otsuki Gentaku e relata, em seis volumes, o conto de uma viagem ao redor do mundo por uma companhia de 16 comerciantes japoneses. E parte desta história se passa no Brasil, em Santa Catarina. Essas informações vieram do site Nippo Brasília.

A médica Mariko.
Por essas eu outras, a gente precisa ter cuidado com o que fala por aí.  (*E eu fiquei com vergonha*) Há muita coisa que não sabemos e este tipo de informação não costuma estar nos livros didáticos, ou em materiais de referência mais comuns.  Como não sou especialista em imigração japonesa, eu não tinha a informação.  Ter estudado História não torna você especialista em tudo.  De resto, sempre podemos aprender com as mídias populares (*quadrinhos, cinema, telenovela etc.*).  Aliás, já defendi isso aqui várias vezes.  Fora isso, preciso elogiar a pesquisa feita pelo autor, Marcos Bernstein, que foi fundo atrás de uma informação como essa e a utilizou de forma coerente dentro de sua história.  

De resto, pergunto-me por qual motivo Fumi Yoshinaga não fez menção a esse acontecimento em Ōoku (大奥).  A autora comenta tanta coisa e esqueceu de um acontecimento tão importante... Será que ela não queria falar do navio, porque teria que colocar mulheres nele?  Enfim, muito chato...  E como assim não tem dorama, anime, filme sobre essa mega aventura?  Como assim?  Será que tem?

GOSTOU?

0 pessoas comentaram:

Related Posts with Thumbnails