domingo, 29 de dezembro de 2019

Finalmente comentado o Caso Porta dos Fundos


Dia 17, comecei a escrever um texto sobre a polêmica em torno do especial do Porta dos Fundos na Netflix.  Parei o texto, fiquei fazendo comentários aleatórios no Facebook, no Twitter, mas não formalizei nada qui.  O tempo passou.  Pois bem, na véspera de Natal, enquanto estava vindo de Brasília para o Rio, houve um atentado ao estúdio do grupo, que fica no bairro do Humaitá, Zona Sul da cidade do Rio de Janeiro.  O local tem muitas câmeras de segurança, já identificaram a placa do automóvel, então, a polícia só não pega os três sujeitos, se não quiser.  Ninguém se feriu, o segurança não foi atingido e ainda evitou que o prédio incendiasse, e, sim, o que aconteceu foi crime, provavelmente, motivado por motivos religiosos, assim como o ocorrido com os cartunistas a Charlie Hebdo.

No dia 26, um grupo intitulado Comando de Insurgência Popular Nacionalista, tendo ao fundo o símbolo do Integralismo, nosso partido fascista tupiniquim, assumiu o tal atentado.  Para quem não sabe, o lema do Integralismo é "Deus, Pátria e Família".  Para ser integralista, você precisa se assumir cristão, não há alternativa.  "Ah, mas quem faz isso não é cristão!"  Olha, hoje, e no Rio de Janeiro parece uma praga, há traficantes que se assumem cristãos e cometem atentados contra terreiros de umbanda e candomblé.  Aliás, esse atentado ao porta dos fundos é fichinha diante dos ataques que as religiões afro-brasileiras vem sofrendo faz anos e não somente no Rio de Janeiro.  Fora que há milicianos que se afirmam cristãos e são recebidos nas diversas igrejas com a maior deferência.  Não há como tapar o sol com a peneira, melhor discutir por qual motivo esse povo se acha cristão e como chegamos a este ponto de promiscuidade.  De resto, o discurso dos caras no vídeo me pareceu meio estranho, mais para os jargões tradicionais da esquerda do que para os normalmente utilizados pela direita.  Pode ser uma fraude?  Pode.  Se assim for, os caras precisam ser punidos, também.  Agora, o que não pode ser esquecido é que nenhuma autoridade (*prefeito, governador, presidente, ministro da justiça*) se pronunciou.  Típico caso em que funciona a máxima "Quem cala, consente.".  E eu diria mais, no momento em que vivemos, QUEM CALA, APROVA.


O atentado.
Independentemente dos canalhas do vídeo serem, ou não, os responsáveis pelo atentado, ainda que a polícia não considere terrorismo, porque a lei, que é da época do governo Dilma, parece sob medida somente para quem está na rua protestando. O caso, como não poderia deixar de ser, repercutiu midiaticamente no mundo inteiro.  E foi como terrorismo mesmo.  A imagem de nosso país, outrora associada à gente simpática, carnaval, futebol, mulheres bonitas (*e prostituição*), está mudando.  Passaremos a ser vistos como intolerantes religiosos, hipócritas, partidários das teorias da conspiração, desrespeitosos com os direitos humanos, destruidores do meio ambiente, racistas e homofóbicos.  E, como cheguei ao ponto da homofobia, não pensem que o que incomodou realmente nesse especial do Porta dos Fundos foi outra coisa, senão o fato de Jesus ser gay.

Antes de prosseguir, vamos explicar o que é o Porta dos Fundos.  Trata-se de um canal de comédia surgido em 2012 e que veicula regularmente vídeos na internet.  A inspiração do Porta dos Fundos formado por vários artistas (Antonio Tabet, Fábio Porchat, Gregório Duvivier, João Vicente de Castro, Júlia Rabello, Letícia Lima, Luis Lobianco, Marcos Veras, Marcus Majella, Rafael Infante etc.) foi grupo inglês Monty Python, que eu amo, mas, de certa maneira, o Porta não consegue ir muito além da escatologia rasteira que permeia boa parte do humor brasileiro.  É até bom pontuar isso, porque quando decidi escrever o texto, tinha acabado de ler um artigo do site feminista americano The Mary Sue sobre o especial. 


Esse deus horroroso foi um dos fatores que me afastaram do especial.
A pessoa assistiu ao especial, que nem sabia que existia, por causa do escândalo feito no Brasil contra a Netflix e por achar que um filme com um Jesus gay poderia ser revolucionário, mas fica transparente ao longo dos parágrafos que a redatora achou o material bem mais ou menos (*salvo pelo detalhe de Cristo ser gay*) e ofensivo às minorias, inclusive aos homossexuais, com representações rasas e datadas.  Daí, para conseguir equilibrar, ela comenta meio constrangida algo como "vai que o humor brasileiro seja desse jeito?" ou "talvez, eu tenha perdido o sentido da piada por causa da tradução.".  Humor é cultural, diria mais, histórico, porque as piadas romanas talvez não façam sentido para nós hoje, e essa questão deveria ser minimamente sabida por quem cursou o ensino médio.  O problema é que ela não parece ter entendido errado, ou perdido o timing das piadas, o especial ficou aquém de outros que o grupo já fez.

Enfim, não vou entrar na discussão da qualidade do especial, vamos para outra questão, a da sexualidade de Cristo. O título do especia do Porta dos Fundos é tirado do filme A Última Tentação de Cristo, que é de 1988.  Não tinha bagagem para ver o filme na época, nem idade para tanto, mas lembro do escândalo, dos jovens que tinham assistido e comentavam horrorizados (*ou fingindo estar*).  Só fui assistir adulta, muitos anos depois e com a maturidade suficiente para entender o que estava assistindo.  Enfim, é um filme que eu adoro e que, na sua época, provocou uma grande polêmica e foi proibido em vários lugares por retratar um Cristo demasiadamente humano.  Tão humano, que ele quase se desviou da sua missão na Terra.  Era um Cristo que tinha libido, que se apaixona e se casa.  Quem coloca diante dele essas tentações, claro, é o Diabo que quer a todo custo impedir que Jesus cumpra com o projeto divino que é morrer pelos nossos pecados possibilitando a salvação da humanidade. No especial do Porta dos Fundos, a ideia é a mesma, Jesus não pode fugir da sua missão, o percurso é que é diferente, a qualidade do material, também.


Um Jesus que tinha desejo e dúvidas foi visto como ofensa.
Sim, acreditando que Jesus existiu, ou não, sendo cristão, ou não, a lógica interna da história está ao alcance de todos: Cristo precisava morrer e o Diabo, o vilão desse história, queria impedi-lo.  Em A Última Tentação de Cristo, a tentação era viver como um homem comum, ter esposa e filhos, cumprir um ciclo que a maioria dos humanos costuma viver.  E Jesus, a personagem, é homem, também, as pessoas não podem esquecer.  No deserto, ele teve fome e sede, ele chorou, ele teve medo, na cruz, ele sofreu.  Enfim, mas seria bom se a noias sobre uma possível sexualidade de Jesus tivessem ficado lá nos anos 1980, quando a sugestão de um Cristo casado com uma mulher causou tanto escândalo.  Mas não ficaram, porque como bem colocou Michel Foucault, o dispositivo da sexualidade é central para a nossa sociedade.  Falamos de sexo o tempo inteiro, mesmo quando não falamos, mesmo quando silenciamos.  

Há embates sobre a perpétua virgindade de Maria, trata-se de um divisor de águas entre católicos e a maioria dos protestantes/evangélicos até hoje, mas ao silenciarmos sobre a sexualidade de Jesus (*e nos textos bíblicos e canônicos temos ZERO informação sobre isso*), partimos do pressuposto que, sim, ele também é virgem.  É como crermos que toda personagem cujo tom de pele não é descrito é branco, ou que todo mundo é hetero até que o/a autor/a diga alguma coisa a respeito.  Pensando em termos históricos, dificilmente um judeu de trinta e poucos anos permaneceria solteiro.  Só que o Jesus dos textos que temos não é qualquer pessoa, ele é uma divindade (*é assim que a narrativa do Novo Testamento o apresenta*), está ciente da sua excepcionalidade desde muito tempo, seus pais (*Maria e José*) sabem que ele é alguém especial, então, é necessário dar um desconto nesse caso.  


Estreia do filme "A última tentação de Cristo" de Martin Scorsese -
Segurando terços, as religiosas da Legião de Maria da Igreja
Nossa Senhora da Glória rezam na porta do
Cine Largo do Machado / Ricardo Chvaicer 17/11/1988, O Globo.
Muita gente em nossos dias já digeriu uma possível relação entre Cristo e Maria Madalena, que pode, ou não, ser vista como uma ex-prostituta, vai do gosto do freguês.  Temos as especulações  surgidas a partir do Evangelho (*apócrifo*) de Maria Madalena.  Temos livros que se alimentam de teorias da conspiração como A Linhagem do Graal e o Código Da Vinci.  Uma relação entre Jesus e Maria Madalena tornou-se romântica, palatável, revolucionária, feminista, afinal, está tudo dentro da heteronormatividade.  Só que o Porta dos Fundos, como grupo de humor incendiário que é, decidiu pegar um nervo exposto, ao colocar Jesus como homossexual.  E criou-se essa tragédia toda.  Só por causa disso, aliás, é que há um abaixo-assinado com mais de 3 milhões de assinaturas (*quando olhei da última vez*) correndo na internet para que a Netflix tire o filme do ar e temos um juiz federal dizendo que vai processar a empresa e pedir indenização com base na legislação vigente que visa punir a intolerância religiosa, imagino eu.

Ser enganado pelo diabo e tentar fugir da sua missão (*afinal, tudo foi inspirado no filme que citei lá em cima*) passou batido.  O Deus-Pai, terrível e mau caráter, apresentado no especial, é irrelevante.  Agora, a questão da homossexualidade é uma ofensa sem tamanho.  Aliás, tomando um desvio, desculpem o texto desconexo, mas ele foi sendo escrito e modificado ao longo de vários dias, um dos mais importantes youtubers brasileiros, Cauê Moura, jogou mais lenha na fogueira ao postar um tweet infame, ele está no fundo da imagem abaixo.

Uma voz de sensatez, mas que não consegue ver que Cauê foi, também, homofóbico.
Fiquei sabendo do post desse importante influenciador digital através do canal de onde veio o print.  Trata-se de um Youtuber evangélico muito sensato e que já tinha feito um vídeo anterior sobre o especial do Porta dos Fundos.  Ele era novinho quando comecei a escrever, mas, enfim, o tempo passou.  Fazer o quê?  Enfim, vocês conseguem perceber o quão ofensivas são essas três linhas?  Não estou falando de ofensivo a Jesus, porque ele não precisa de gente para defendê-lo, se  você, cristão, der bom testemunho, já está no lucro, mas, sim, se você acredita que imaginar um Cristo gay é ofensa (*caso do youtuber que linkei*), o ataque é contra você, também, claro.  Veja, se consideramos algo uma ofensa, é uma ofensa, pelo menos, para a gente   Por isso, essa histeria com o Jesus gay.

 Agora, percebam o machismo da coisa e a homofobia que vem no mesmo pacote.  Para não ser gay, um homem precisa comer (*porque somos coisas mesmo*) mulheres, pelo menos três, menos que isso, você é gay.  Agora, pelo menos para mim está óbvio que nesse tweet do Cauê Moura ser gay é algo ruim, ou inferior a ser um hetero pegador.  A gente já conversou aqui sobre o machismo de esquerda ser tão machismo quanto o de direita, né?  E nem sei se se aplica "esquerda" ao moço, vamos trocar então por "progressista" e usar, ao invés de "direita", "conservador".  Melhorou?  Até onde sei, Cauê Moura não se desculpou com mulheres e gays pela piada grosseira, com os religiosos, não vai se desculpar mesmo.


Os terroristas?  Tenho cá minhas dúvidas, mas, também certezas:
houve atentado e há criminosos, além de instigadores.
Enfim, não assisti ao especial, vi o trailer, não achei grandes coisas.  Nesta altura da minha vida, salvo por foça da lei, ou do trabalho, só leio o que quero, só assisto o que me interessa. Gosto de algumas esquetes do Porta dos Fundos, mas não acredito que eles consigam sustentar 45 minutos de especial empilhando os quadros de 3 minutos de sempre.  Fora dos nichos de ódio, a maioria das coisas que li é que, comparado com outros especiais do grupo, todos sobre Jesus, aliás, este é o mais fraco de todos.  Meu marido ateu, que assistiu ao filme para marcar posição política, achou fraquíssimo, disse que conseguiu rir somente uma vez.  Um amigo brasileiro e gay que reside nos EUA, de berço batista, como eu, assistiu e queria poder receber seu tempo de volta.  Achou sem graça e rasteiro nas piadas.

Como considero as duas opiniões sensatas, eu passo, como não tenho tempo para jogar fora, e quero assistir tantas coisas e não encontro um espaço no meu cronograma, não iria parar para ver um material só para fazer uma resenha destacando problemas, ou qualidades, sei lá.  Preferi investir meus minutos no Choque de Cultura e recomendo muito que vocês deem uma olhada no último Carburador de Prata e nos extras.  Desculpe, mas eles, sim, sustentam 45 minutos, ou mais de especial sem problema.  E nada tenho contra o povo do Porta dos Fundos em particular, mas nem tudo o que eles fazem me faz rir, diferente do Monty Python, ou do Choque de Cultura, ou da Tatá Werneck.  Agora, recomendo muito o programa solo do Gregório Duvivier, que interpreta Jesus Cristo no especial, na HBO.  É fácil achar as temporadas no Youtube, são 30 ou mais minutos de um humor super inteligente e ácido.


A Última Tentação de Cristo inspirou o especial do Porta dos Fundos.
Desde o lançamento do especial, houve muito escândalo.  Todas as medidas tomadas para retirar o especial do ar, para taxar a Netflix, medidas partidas do meio evangélico e católico, mas apoiadas por setores muçulmanos (*os fundamentalistas e oportunistas sempre se unem nessas horas*), também, fracassaram.  Nenhum operador sério do direito apareceu na mídia para defender a censura.  O especial bateu recordes na plataforma de streaming, a Netflix já garantiu que o próximo especial irá sair.  Se tivesse ficado só nisso, eu diria "Está vendo, o que vocês conseguiram?".  Bastava não assistir, agora, o mundo inteiro conhece o Porta dos Fundos e o Meteoro, que é um canal maravilhoso, ainda fica insistindo na genialidade do especial em vários vídeos em cadeia.  Sim, gente, menos.  E veio o atentado.  Ato simbólico, mas que precisa ser punido, ou qual será o próximo passo?  Uma Charlie Hebdo promovida por cristofascistas?  Porque houve deputado pastor falando da tribuna do Congresso que todo grupo tem seus malucos, como sancionando um ato de intolerância religiosa para calar os humoristas.  Uma vergonha. 

Uma das coisas que os religiosos histéricos, os mesmos que votam contra os pobres, que acreditam que corrupto é sempre o outro, que não se importam com as crianças que morrem por bala perdida e fazem arminha com a mão, mais repetem é "queria ver brincar com Maomé", como que legitimando o uso da violência religiosa dos islâmicos radicais e suspirando que a gente pega muito leve.  Não duvido de mais nada nesse Brasil em que estamos vivendo hoje, mas acredito que antes de um atentado bem sucedido, talvez tenhamos que lidar com leis de blasfêmia.  Esses institutos jurídicos típicos dos regimes islâmicos, e que são largamente usados contra os cristãos (*vide o caso Asia Bibi, no Paquistão*). A ideia das leis de blasfêmia é supostamente proteger a fé de uma maioria.  Considero que isso já é um abuso, mas se formos observar o funcionamento desse tipo de legislação veremos que ele usado para constranger,  censurar e humilhar os que pensam diferente da suposta maioria. Não raro, mentiras são inventadas para punir desafetos e dissidentes religiosos.


Asia Bibi, mulher cristã, condenada à morte por
blasfêmia no Paquistão.  Será o nosso futuro?
Nenhuma democracia do mundo que mereça seu nome tem leis de blasfêmia.  Agora, é esse o caminho que a gente quer?  Até o momento, a justiça julgou improcedentes todas as ações que tentavam enquadrar o especial do Porta dos Fundos em crime de intolerância religiosa, ou vilipêndio de símbolos de uma fé.  Jesus não é uma coisa, um símbolo privativo de uma única religião, mas, queria lembrar que a santa, que um bispo da universal chutou no ar na TV Record anos atrás, era.   A própria TV Record já foi condenada por disseminar ódio contra as religiões afro, mas em que o Porta dos Fundos dissemina ódio contra os cristãos em geral, ou algum grupo deles em particular?  Ou ainda aos muçulmanos que creem que Jesus seja o profeta Issa?

Se houvesse bom senso, os cristãos ofendidos teriam se mobilizado para não assistir ao programa e, não, para se impôr à sociedade como um todo.  Imagine se cada uma das 3 milhões de assinaturas fossem convertidas em doações para abrigos e asilos? E o que foi conseguido?  Viramos objeto de escárnio (*como se muitos de nós já não fossem*), alguns líderes religiosos instigaram a violência e a comemoraram depois de perpetrada.  Termino deixando uma passagem bíblica:
"Acautelai-vos, porém, dos falsos profetas, que vêm até vós vestidos como ovelhas, mas, interiormente, são lobos devoradores.Por seus frutos os conhecereis. Porventura colhem-se uvas dos espinheiros, ou figos dos abrolhos?Assim, toda a árvore boa produz bons frutos, e toda a árvore má produz frutos maus.Não pode a árvore boa dar maus frutos; nem a árvore má dar frutos bons.Toda a árvore que não dá bom fruto corta-se e lança-se no fogo.Portanto, pelos seus frutos os conhecereis.Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor! entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai, que está nos céus." (Mateus 7:15-21)
Há muita gente sendo enganada.  Há muita gente sendo guiada por cegos espirituais.  Há muita gente cobrando dos ímpios, no caso o povo do Porta dos Fundos, o comportamento dos crentes, mas, quando sua própria vida é examinada, seus frutos não condizem com o que deveria ser a árvore.  Jesus disse que era manso e humilde de coração.  (Mateus 11:29) Ele só se inquietou e se exaltou diante dos vendilhões do templo, ele só foi implacável com os que defraudavam os necessitados e os humildes.  Eu vejo muito pouca indignação no meio cristão em relação a essas questões, mas um esforço enorme para controlar a moral alheia e o que as pessoas fazem com seus afetos e orifícios.  Um pouco de reflexão, um pouco de testemunho, um pouco de amor ao próximo e menos violência.  Fora isso, espero que o crime seja punido e o único até agora foi o atentado.  De resto, desculpem por esse post enorme, meio Shoujo Café, meio púlpito de igreja.  Eu sou batista e tento ser cristã, mas lidar com essa loucura que se apossou do Brasil é muito difícil para mim.

GOSTOU?

1 pessoas comentaram:

Difícil para todos nós. É bom ler um pouco de sensatez nestes tempos estranhos, é bom saber o que um cristão de verdade pensa sobre esses absurdos, uma vez que ultimamente só os pseudo-cristãos têm se destacado por tudo o que têm feito de equivocado. Obrigada pelo post.

Related Posts with Thumbnails