quinta-feira, 9 de janeiro de 2020

Comentando o volume #1 de Kase-san e...: duas meninas descobrindo amor de uma forma muito delicads


Ontem, terminei a leitura do primeiro encadernado do mangá Kase-san e... (加瀬さんシリーズ) de Hiromi Takashima, um dos mais elogiados mangás yuri dos últimos anos.  Fiquei conhecendo a série por causa do OAV, do mangá chamado Your Light ~Kase-san and Morning Glories~ (キミノヒカリ ~あさがおと加瀬さん。~, Kimi no Hikari ~Asagao to Kase-san.~), lançado em 2017.  A animação cobre exatamente o primeiro volume que tem exatamente o mesmo nome.


Antes de comentar o volume, um resumo:  Yui Yamada é aluna do segundo ano, tímida e um tanto desastrada, e pertence ao clube de horticultura.  Um dia, ela conversa com Kase, uma aluna de uma turma vizinha, um tanto tomboy e estrela do clube de atletismo.  Yamada descobre que Kase estava aguando o canteiro de Glória-da-manhã (Ipomoea purpurea) da escola.  E fica surpresa.  As duas acabam se tornando amigas e Yamada se apaixona por Kase, mesmo se recriminando pelo fato de alimentar sentimentos por outra menina.  Já Kase, o objeto do desejo de Yamada, também gosta dela, mas tem receio de revelar seus sentimentos.  


Todos os capítulos do mangá de Hiromi Takashima começam com "Kase-san e" alguma coisa, no primeiro volume temos as glórias-da-manhã, a bicicleta, a canção de amor etc.  A autora até brinca com isso dizendo que o editor ficava perguntando qual era o título do mangá, afinal.  Ao que parece, quando a série começou em 2010, a ideia era de um one-shot e a autora explica que ela pensa cada capítulo do mangá, pelo menos no caso do primeiro volumes, dessa forma.  


Ainda assim, vemos um início, as duas meninas se conhecendo, passamos por algumas etapas do seu relacionamento, conforme vão se conhecendo melhor, até que, no último capítulo, elas finalmente se beijam.  Sabemos mais de Yamada do que de Kase, porque vemos a história a partir dos olhos dela.  Não sei se nos volumes seguintes, a autora permite que o ponto de vista seja o de Kase em algum momento.  Por exemplo, em cada capítulo, Yamada explica quem é Kase, ainda que com algumas mudanças, ela é a garota da classe ao lado, é muito tomboy, mas muito legal e faz parte da equipe de corrida.   

Gostei muito do primeiro volume, bem fofinho, simpático, um slice of life leve que, ainda assim,  conseguiu discutir algumas questões sérias. Uma delas, a da heteronormatividade compulsória. Yamada se apaixona primeiro, ou ficamos sabendo antes do interesse dela. A menina se recriminar por desejar uma outra garota. Não é certo, não é normal, mas não consegue se afastar de Kase-san. Quando ela tenta, mais por ciúme, pois Kase é muito popular, e  imaturidade, a amiga vai atrás dela e a resgata de uma situação de humilhação.  A tímida Yamada parece só ter duas amigas, Kase, que se torna sua namorada,  e Mikawacchi, que é altamente barulhenta e super protetora.


O outro tema é o do desejo. Kase-san e... não é um mangá assexuado. Ambas as meninas tem desejo. Ainda que Yamada não entenda bem o que está acontecendo, ela olha para Kase e deseja, também, o corpo da amiga. Isso é ruim? Não, é parte da vida. Provavelmente, Yamada não tinha se apercebido de sua sexualidade até encontrar Kase, essa amiga tão bonita, segura e cheia de vida.


Outra coisa legal desse primeiro volume, é estabelecer que pessoas diferentes pode  ter objetivos diferentes. Yamada deseja ser capaz de terminar a maratona escolar, ela que não é atleta, aceita os conselhos e o treinamento de Kase. Já a amiga, quer ser a melhor corredora possível, ela quer ser uma atleta profissional.  É interessante, também,  como a autora desmonta uma premissa sexista. Os garotos passam a correr a maratona escolar junto com as meninas, eles são melhores por serem homens, logo Kase não teria chance. Não é bem assim...


A primeira série com as duas meninas foi publicada na revista Wings e isso me surpreendeu, porque esta publicação é muito conhecida por seus mangás de fantasia, ficção científica e temática BL.  De qualquer forma, parece que Kase-san foi a série mais importante da Wings na sua época.  O nome de cada volume segue a mesma estrutura do primeiro "Kase-san e" Bento (2), Shortcake (3), Avental (4) e a Florada das Cerejeiras Menos... (5).

O traço do mangá é competente e bonitinho. Nada revolucionário, até porque se ancora nos estereótipos para construir as duas meninas. Yamada é pequenininha, tem seios pequenos  gentil, já kawaii, enfim. Kase é alta, fisicamente forte, tem um busto avantajado para a média dos shoujo mangá. A série original terminou, mas, agora, temos as duas amigas na faculdade. Yamada estudando agronomia, Kase, educação física, ou algo assim.


Eis um mangá que seria interessante ter no Brasil. É um júri acessível, romântico, que deve desenvolver algum erotismo, mas nada agressivo. Kase e Yamada estão no mesmo ritmo, ninguém se impõe, há respeito mútuo e muita delicadeza e humor na forma como as duas e conhecem e passam a se relacionar. Enfim, eu li a edição da Seven Seas (*em papel e digital*),  mas há scanlations disponíveis.

GOSTOU?

1 pessoas comentaram:

Ótima recomendação. Vou procurar correndo.

Related Posts with Thumbnails