quarta-feira, 26 de fevereiro de 2020

Andrew Davies explica (*explica nada*), porque Sanditon terminou como terminou


Sanditon foi a última adaptação para a TV de um material baseado em Jane Austen.  Como se tratava de uma obra inacabada, a autora deixou somente 11 capítulos com aparência de rascunho que seria aprimorado, coube à Andrew Davies e sua equipe escreverem a série da ITV usando o original como ponto de partida.  

O mocinho com barba por fazer e a mocinha descabelada.
Tenho profundo respeito por Andrew Davies, afinal, ele nos deu Orgulho & Preconceito (1995), Wives and Daughters (1999), Daniel Deronda (2002), Northanger Abbey (2007), Sense and Sensibility (2008) etc.  Se alguém sabe criar roteiro para TV em cima de clássicos é esse homem.  Só que, claro, você pode errar, especialmente, se perde noção de limite (*vejam o post em que ele fala sobre nudez e erotismo*) e tenta imitar modelos que até funcionam com material original, mas não são muito usuais na adaptação de clássicos.  Vejam o que ele diz:
"Eu não sei se você poderia perceber assistindo, mas estávamos contando com a obtenção de uma segunda temporada! Pensamos que, se juntássemos Charlotte e Sidney no final da primeira temporada, teríamos que criar uma nova heroína ou algo parecido na continuação.  Simpatizo com todo mundo que se sentiu chateado por Charlotte e Sidney não terem um final feliz. Embora finais felizes nem sempre aconteçam."
Sanditon é ruim e isso nada tem a ver com o mocinho que não se barbeia e a mocinha que não prende o cabelo ficarem, ou não, juntos.  Ontem mesmo, o Frock Flicks começou o trabalho de demolição do figurino, dos cabelos e até das danças (*sim, eu desconfiava de que estava TUDO errado*) exibidas na série.  Eu não recomendaria Sanditon para ninguém que realmente goste de Jane Austen, ou de séries de época.  Motivo? Bem, se é deboche, paródia, ou algo do gênero, meu coração é bem generoso, não é à toa que gosto tanto de Lost in Austen (2008) e Orgulho & Paixão.  

Se é para tirar a roupa de todos os homens,
 deveriam ter tirado do único que eu queria ver. 
Nem isso.
Tem gente até que me critica por causa disso, não que isso vá me abalar, claro.  Agora, quando você se propõe a fazer algo SÉRIO, eu espero receber um material adulto e bem executado.  E "adulto", aqui, nada tem a ver com sexo, nudez, ou o que seja, aliás, Sanditon tem muito a oferecer nesse campo.  E digo logo que se é para tirar a roupa de todos os homens, que tirassem do único sujeito que eu estava interessada.  Nem isso fizeram. 

Para não dizer que não gostei de
alguma coisa, gostei da Esther.
Voltando, Andrew Davies é maravilhoso, Sanditon pode ter sido somente uma derrapada, ou um sinal de que chegou a hora de se aposentar.  Sim, todo mundo precisa.  Ele tem um currículo maravilhoso, mas Sanditon já parecia ruim antes de estrear.  De resto, há petições por uma segunda temporada, parece que a esperança estava na audiência norte americana e não sei se correspondeu.  Eu quero que Sanditon fique morto e enterrado e que daqui um tempo alguém tente fazer de novo.  Querem saber por qual motivo desgostei tanto?  Ouça o podcast Café com Jane Austen.  Discutimos bastante a série por lá.  Por isso, inclusive, não fiz reviews no Shoujo Café.

GOSTOU?

0 pessoas comentaram:

Related Posts with Thumbnails