domingo, 21 de junho de 2020

A História da Estátua de Luís XVI em Louisville: Nada a ver com colonialismo, mas uma homenagem pelo apoio à independência dos EUA


Ontem, quando escrevi meu texto sobre a derrubada das estátuas e que me rendeu inclusive acusações de racismo e de ser indiretamente partidária do nazismo, vejam só, esqueci de falar da estátua de Luís XVI que foi mutilada na cidade de Louisville, no Kentucky, durante as manifestações do #BlacklivesMatter, ou #BLM, como está escrito no pedestal.  Antes mesmo da questão das estátuas, tinha comentado o #BLM, porque as pessoas não podem acreditar que essas manifestações estão acontecendo à toa.  Uma das pichações da estátua era "No Justice, No Peace" (*Sem Justiça, Sem Paz*).  o estopim foi o assassinato de George Floyd, mas ele é somente uma vida perdida para o racismo estrutural que legitima a violência policial.

Enfim, voltando, Louisville foi fundada em 1778 em homenagem ao marido de Maria Antonieta, não por qualquer razão colonial francesa, mas porque a França tinha enviado tropas e apoiado a guerra de independência das Treze Colônias.  Enfim, encontrei um artigo bem acessível sobre a história desta estátua no site Louisville e decidi traduzi-lo. Corrijo as imprecisões históricas com notas.  As ilustrações foram escolhidas por mim.  Como ele é de vários anos atrás e, por isso mesmo, não cita diretamente os acontecimentos recentes. Segue o texto:

Rei Luís XVI da França: O cara cujo francês causa o silencioso "S" em "Louisville" [1]

A estátua intacta.
A estátua do rei Louis (“Loo-ee”), 16 de França, que fica do lado de fora do Tribunal do Condado de Jefferson, no centro de Louisville, completou 175 anos em 2004 e marcou seu 40º ano em Louisville, em 2007.

Esta representação em mármore do homônimo de Louisville foi encomendada pela filha do rei, Marie-Therese, e originalmente apresentada na década de 1820 em Montpellier, França, 36 anos após sua decapitação. Maria Teresa era filha do rei Luís XVI da França e Maria Antonieta da Áustria, que se casaram para combinar seus impérios.[2] O relacionamento deles é o tema do recente filme de Sofia Coppola, “Marie Antoinette”.

A estátua nos arquivos de Montpellier.
A estátua, com 3,7 metros de altura e pesando 9 toneladas, chegou a Louisville em 1967 como um presente do prefeito de Montpellier, François Delmas, depois de passar mais de meio século armazenada (ou seja, a estátua estava em armazenamento, não Prefeito Delmas).[3] Louisville e Montpellier tornaram-se cidades irmãs cerca de onze anos antes, e a escultura Achille-Joseph Valois, então com 138 anos, foi apresentada ao prefeito de Louisville, Kenneth Schmied, como um presente de amizade entre as duas cidades.

O rei Luís XVI não é considerado um homem brilhante pelos historiadores. No entanto, sua ajuda foi fundamental na Revolução Americana. Em 1778, ele chegou a um acordo com Ben Franklin para enviar assistência aos incipientes Estados Unidos. Esse apoio, na forma de suprimentos e soldados, ajudou a garantir a independência da América.

Foto da estátua sendo desencaixotada em Louisville.
Uma forma de agradecimento a Louis naquele mesmo ano foi a nomeação de um assentamento da Virgínia em sua homenagem. A cidade de Louisville ("Loo-ee-vill") foi oficialmente fundada pela Assembléia Legislativa da Virgínia em 1780 e tornou-se parte de Kentucky, agora estado da comunidade, em 1797.

Infelizmente, os gastos exorbitantes pelos quais os americanos estavam tão agradecidos não tiveram a mesma resposta na França e contribuíram para os graves problemas financeiros que Louis enfrentava em casa.

Quando as reformas varreram o governo francês no final da década de 1780, Louis apoiou as mudanças, mas as coisas mudaram rápido demais para que ele acompanhasse. Ele e sua família foram pegos no fogo cruzado e tentaram escapar do país em 1791. Capturados, foram confinados em sua casa enquanto o governo francês interino condenou Louis por conspiração e cortou sua cabeça. Seu segundo filho, Louis-Charles de France, duque de Normandia, subiu ao trono, tornando-se o rei Luís no dia 17.[4]

Luís XVII nunca assumiu o trono.
Os irmãos mais novos de Luís 16 também se tornaram reis após a Revolução Francesa, Luís 18 e Carlos 10.


[1] Piada com o fato do "s", que é mudo em francês, ter permanecido mudo na pronúncia do nome da cidade nos EUA.
[2] Não houve união de impérios, era somente uma aliança política.  Maria Antonieta teve que abdicar de seus direitos ao trono ao ir se casar na França.
[3] O trocadilho com o prefeito se perdeu na tradução, mas por qual motivo a estátua ficou lacrada?  Outro site explica: "A Segunda Revolução Francesa [Revolução de Julho, em 1830] colocou em risco a estátua. Foi colocado em uma base militar para proteção, depois foi para a Universidade de Montpellier e, finalmente, acabou no porão de armazenamento dos arquivos municipais." e continua dizendo que a estátua foi localizada em 1899 com alguns danos, sendo mantida guardada até 1966, quando foi remetida para os EUA.
[4] O jovem Luís XVII nunca subiu ao trono.  O menino foi reconhecido como rei pelos monarquistas, mas morreu no Templo, a última prisão da família real.  Pouco depois da execução de seu pai, ele foi retirado de sua mãe para ser educado como um bom cidadão por um sapateiro.  O menino foi usado para testemunhar contra a própria mãe no julgamento que a condenou e que acusou Maria Antonieta de incesto.  Luís XVII morreu de tuberculose com 10 anos de idade.

GOSTOU?

1 pessoas comentaram:

Achei curioso a França de Luis XVI apoiar George Washington futuro presidente dos EUA.
Luis mal sabia que tava apoiando o país que se tornaria a 1ª república presidencialista do mundo. Li que o 1º mandato de Washington foi de 1789 a 1793. Qual era a forma de governo dos EUA de 1776 a 1789? algum conselho revolucionário ?

Related Posts with Thumbnails