sábado, 1 de fevereiro de 2014

Exposição de quadrinhos coreanos sobre as “mulheres do conforto” na França desagrada o Governo Japonês


Segundo o ANN, durante o Festival de Angoulême, que acontece na França e é um dos mais importantes do mundo, está acontecendo uma exposição de 10 manhwa – quadrinhos coreanos – sobre as chamadas “mulheres do conforto”, isto é, meninas e mulheres obrigadas a prestarem serviços sexuais às tropas japonesas durante a ocupação (*a guerra na Ásia começou bem antes de 1939*) e a II Guerra Mundial.  Esse assunto é particularmente sensível e já falei sobre ele aqui no blog algumas vezes (*Exemplo*).  Os japoneses, antes de se tornarem vítimas incontestáveis das bombas nucleares norte americanas, cometeram crimes de guerra horrendos: massacres (*destaque para o Estupro de Nanquim*), uso de trabalho escravo e a prostituição forçada de mulheres.  Chineses e coreanos são as vítimas que mais esbravejam até hoje, porque com o fim da II Guerra os americanos acabaram meio que ignorando as compensações devidas em um contexto de Guerra Fria.

Enfim, o atual governo japonês, que é nacionalista, tende a negar ou diminuir os crimes de guerra.  No caso das “mulheres do conforto”, há um esforço muito grande nos últimos anos para convencer a opinião pública de que eram mulheres que se prostituíam livremente, ou que foi um mal necessário, mas que as mulheres eram compensadas.  Em alguns lugares, há a difamação das mulheres coreanas sob a alegação de que elas têm uma tendência natural à prostituição.  É um tema sensível e a posição do governo japonês é digna de reprovação. 


O ANN diz que os japoneses, através da sua Embaixada, exigiram a retirada da exposição.  A direção do Festival se negou a ceder.  Fora isso, ainda recusou-se a aceitar no evento um mangá que negava os crimes de guerra japoneses e dizia que as “mulheres do conforto” eram uma invenção.  

GOSTOU?

0 pessoas comentaram:

Related Posts with Thumbnails