segunda-feira, 26 de maio de 2014

Graças aos Japoneses, Frozen já é a quinta bilheteria da História


O Jornal O Globo publicou que, graças aos japoneses, Frozen se tornou a quinta maior bilheteria da história do cinema, tirando o posto do Homem de Ferro 3.  Até o momento, o filme rendeu US$ 1,2 bilhão no mundo e vem rendendo horrores no Japão, onde as pessoas têm ido assistir ao filme nas duas versões, dublado e legendado.  

Segundo o jornal, Frozen já é o quarto filme mais rentável no Japão, perdendo somente para A Viagem de Chihiro, Titanic e  Harry Potter e a Pedra Filosofal.  No entanto, já é quase certo que suplante Harry Potter.  Já no mundo, temos Avatar, Titanic, Os Vingadores, Harry Potter e as Relíquias da Morte - Parte 2 e Frozen.  Nada mal, não é?  Especialmente, quando há quem diga que filme protagonizado por mulheres não vende.  Se bem que deve ser somente uma exceção, tipo Sailor Moon aqui no Brasil, não é mesmo?

Ler essa notícia me fez lembrar que ainda não assisti Frozen... Na verdade, não vou ao cinema desde novembro passado. :(

GOSTOU?

8 pessoas comentaram:

Estou adorando ver Frozen arrebentar nas bilheterias!

O filme não é perfeito, tem vários furos no roteiro, mas é protagonizado por mulheres, dá a volta no conto do príncipe encantado, e tem uma das músicas mais legais numa cena empoderadora. ^_^

Frozen causou um encantamento tal, que a gente pensa que é algo revolucionário, mas se parar pra ver a história é mais simples do que a gente pensa. Mas lógico que umas mudanças ak, acolá, o tornam brilhante.
Amo o filme e interessante notar as diversas opiniões que se tem dele. Ou é feminista ou feminismo fake, ou uma apologia ao lesbianismo, de acordo com fundamentalistas é claro...ou algo raso que só fez sucesso porque hj em dia ninguém reconhece um bom filme de verdade...

Nota de Destaque: Frozen tem 2 diretores e um deles é uma mulher, a Srª Jenifer Lee.

Frozen pra mim merece todo o sucesso que faz, que continue a sua trajetória espetacular e traga mais filmes protagonizados por mulheres e empoderadores.

Ps: se interessar Valéria o BluRay já está a venda e o filme está disponível para aluguel em serviços on-demanand.O filme foi relançado no cinema lá nos EUA, quem sabe aqui né? Sonhar é bom e é de graça...

Concordo com a Kotsuki. O filme tem vários furos e eu particularmente detestei os papéis masculinos. Queria muito que Elza tivesse tido mais destaque que sua irmã. No entanto, o filme se paga pelo primeiro terço, onde a Elza ainda era saliente e a história se deixava empoderar. É uma pena que eles se percam no resto do filme e façam uma bagunça com o estabelecimento do que é amor fraternal e conjugal, pra, no final, dar uma remendada que não cola para quem está acompanhando o roteiro. Parece que o filme termina quando não deve e gasta muito tempo com cenas inúteis. Mas deve-se admitir, são as personagens mais carismáticas dos últimos tempos e o drama da Elza é muito digno e atual. As músicas até a metade também são muito boas. Amei o filme - até a metade

Vou acabar de dando Frozem de presente, Valéria :-)

Eu gostei de Frozen, mas achei mediano, não entendo essa fuzuê em cima, mas let it go.

Eu não sei o filme não conseguiu me cativar, achei o filme superficial, mas enfim talvez fosse o meu humor.

Frozen é bacana, mas é só isso. Eu curti o filme, já assisti umas 4 ou 5 vezes. Eu tenho uma prima de 6 anos e ela está obcecada pelo filme como todas as outras meninas, então acabo vendo o filme em português, inglês, em espanhol se ela descobrir como, ela ama.
Quando ela fala do filme, sempre fala da Elsa, ela está apaixonada pela Elsa, fascinada, uma garota, bonita, poderosa, é tudo que ela enxerga. A meu ver as meninas amam Frozen pq em Frozen o poder é todo delas, elas se identificam com a Ana e querem ser como a Elsa, livre, independente e forte, sem precisar da ajuda de ninguém.

E acho que é isso aí que também deixa o filme mediano, as personagens masculinas são todas repulsivas ou uns bananas inúteis (como o Kristoff), poderiam ter cortado o Kristoff e colocado um velhinho ou uma velhinha qualquer no lugar dele para servir de guia que não faria diferença nenhuma, o romance entre Ana e Kristoff no fim da história não cola, ele é um inútil e até o boneco de neve é mais útil do que ele (e acho que além do pai sumido é a única personagem masculina que presta, se bem que não dá pra colocar gênero em um boneco assexuado).

A música da trilha é bonita, mas eu acho irritante, os agudos da Idina Menzel são agudos demais e ela berra ao invés de cantar em alguns momentos na cena chave do filme.

Mas é aquilo, para um público tão carente de bons filmes, até mesmo um filme mediano serve, eu atribuo o sucesso do filme a isso mesmo, falta de bons filmes para as meninas. Tudo que elas têm atualmente são Little Poneys e o lixo da Disney Channel ensinando que bullying é divertido, que a aparência importa mais do que a inteligência, que mesmo novas elas precisam que os meninos sejam apaixonados por elas para fazerem tudo que elas mandam.

Related Posts with Thumbnails