domingo, 19 de julho de 2015

Criador de Rurouni Kenshin expressa sua paixão por Palmito em entrevista ao jornal O Globo


Nobuhiro Watsuki, pai de Rurouni Kenshin (るろうに剣心), está ou estava no Brasil esses dias.  Foi uma palestra no Rio e outra em São Paulo e uma entrevista foi publicada no jornal O Globo.  Ela começa com uma breve apreentação: “Nasci em Nagaoka, na província de Niigata, há 45 anos. Desde criança gostava dos quadrinhos japoneses, e amava desenhar. Ainda no colégio, participei de um concurso promovido por uma editora de mangás e venci. Aos 24, comecei a publicar periodicamente e não parei mais. Já são 21 anos na profissão”.

Não vou reproduzi-la aqui, basta seguir o link, mas ela é interessante e foge do lugar comum, talvez, pela inteligência e bom humor do mangá-ka.  Ele tenta explicar o sucesso do mangá em seu país e fora dele, fala que pensou em uma espada de lâmina invertida e que uma assim foi encontrada, comenta que sua esposa (Kaoru Kurosaki) passou parte da infância no Brasil e dá-lhe crédito em suas obras, mais ainda, fala de sua paixão por palmito. :)

Enfim, eu gosto de Kenshin.  Acho uma obra divertida e interessante nas suas negociações com a História, os comics (*Marvel, DC, e outros...*) e a cultura pop japonesa.  Tem seus defeitinhos que se ligam mais às convenções das antologias japonesas, mas é um material legal e que pode, sim, apresentar tanto o (shounen) mangá para meninos e meninas pré-adolescentes e adolescentes, quanto aguçar o interesse pela história do Japão.  Dá uma lida na entrevista, vale a pena.  Kenshin foi publicado duas vezes pela JBC e o anime exibido nas TVs do Brasil com o nome de Samurai X.  A série produziu ainda OAVs, filme animado para o cinema e filmes live action.

GOSTOU?

0 pessoas comentaram:

Related Posts with Thumbnails