sábado, 7 de novembro de 2015

Kageki Shoujo!! Precisa de scanlations urgente!


Nunca tinha ouvido falar de Kageki Shoujo!! (かげきしょうじょ!) até abrir ontem o Comic Natalie e ver a capinha do primeiro volume.  Fofa, bem fofinha, do tipo que grita shoujo sem que você nem precise folhear o mangá.  OK, eu defendo sempre que isso nada quer dizer e a notícia também comentava a trajetória confusa da série.  Vamos lá... 


O mangá de Kumiko Saiki estreou na revista seinen Jump Kai, que era voltada para o público jovem, assim, de forma bem genérica, e tinha no seu quadro gente como Tomoko Ninomiya, de Nodame Cantabile  (のだめカンタービレ), 87 Clockers (エイティセブン・クロッカーズ) saia lá.  Kageki Shoujo teve dois volumes publicados na Kai, mas a revista morreu (*e eu nem comentei isso?*) em 10 de outubro de 2014.  A maioria de suas séries foi para revistas seinen da Shueisha, mas Kageki Shoujo!! fechou com dois volumes.  As capas vocês podem ver aqui no post.


Enfim, mas a trajetória do mangá não acabou aí, em fevereiro deste ano, a série reestreou na revista shoujo Melody, a mesma que publica Ōoku (大奥), e seu primeiro volume foi lançado em 5 de novembro no Japão (*e eu encomendei... não resisti...*) com um comentário de Riyoko Ikeda, autora da Rosa de Versalhes (ベルサイユのばら).  E por qual motivo?


Bem, bem, Kageki Shoujo!! fala de um clube Takarazuka-like em um internato feminino e acompanha duas amigas, Narada Ai e Watanabe Sarasa.  As duas dividem o quarto e, apesar de muito diferentes, acabam se tornando amigas.  Aliás, a amizade das duas parece ser impulsionada pela rede de intrigas e perseguições.  As duas novatas querem entrar para o clube, que sendo muito seletivo e disputado, não oferece tantas vagas assim.  As que já pertencem ao clube não vêem as duas amigas com bons olhos, afinal, elas parecem competente e  Sarasa que se tornar uma estrela e interpretar Oscar-sama nos palcos.  Bingo!  Eis o motivo do comentário de Ikeda.


Eu só fiz esse resumo, por conta da review do site Okazu e a Erica (*deve ter sido redigido por ela*) dá mais detalhes.  O clube divide as candidatas da mesma forma que o Takarazuka, entre otokoyaku (*atrizes que interpretam os papéis masculinos*) e musumeyaku (*as que interpretam os papéis femininos*).  Sarasa é alta e canta bem, mas é ruim em todo o resto.  Pelas imagens do mangá que eu peguei, deve ser a garota bem humorada, expansiva e desastrada.  Já Narada é uma ex-idol que se aposentou por causa de um escândalo... Ela tem segredos!  E tem um namorado, apesar das colegas de escola intriguistas não acreditarem.


É isso.  Sem scanlations, mas na página da antiga Jump Kai é possível ver um capítulo do volume #2.  Tirei imagens de lá.  Fazia tempo que não tinha tanta vontade de ler um mangá e, bem, acabei pedindo o volume #1 versão shoujo.  Afinal, mangás que mudam de demografia, são retomados e seguem seu caminho tendem a ser interessantes.  Orange está aí para provar.

GOSTOU?

2 pessoas comentaram:

Mais um para a lista de mangás interessantes que nunca serão traduzidos, enquanto isso grupos só estou aguardando o próximo Naruto para dedicar atenção total.
Essa comunidade otako é muito injusta.

Tenho uma lista de mangas interessantes sugeridos pelo Shoujo Café, mas muitos não tem publicação em inglês, nem scan que seja. E infelizmente, essa lista só faz crescer.
Acho que vou ter que estudar francês e japonês mesmo. Só falta arranjar tempo.

Related Posts with Thumbnails