sábado, 23 de abril de 2016

A revista Sho-Comi traz mini dorama de 4-Gatsu no Kimi, Spica。 como brinde desta edição + resenha do primeiro capítulo deste mangá



Foi anunciado no Comic Natalie (*e está em vários outros sites*) a notícia de que a revista Sho-Comi trouxe como brinde um mini-dorama e um Movie Comic do mangá 4-Gatsu no Kimi, Spica。(4月の君、スピカ。), Spica, de Miwako Sugiyama.  Parece que em ambos os materiais, aparecem somente os três protagonistas, a menina Sei Saotome e seus amigos  Taiyou Udagawa e Midzuki Oodaka.  Os dubladores e os atores estão listados no CN e o Shoujo Lovers trouxe suas fotos com a identificação dos atores e atrizes.  Achei os dubladores bem mais bonitos que o elenco do dorama.  

De qualquer forma, depois de ler a notícia e o resumo do mangá no Bakaupdates fiquei curiosa.  Como assim a protagonista acaba indo fazer o colegial em uma escola “teológica”?  Há escolas religiosas no Japão.  Maria-sama ga Miteru  (マリア様がみてる)  gira todo em torno do colégio católico onde estudam as meninas.  Lendo/assistindo Marimite descobri que havia escolas religiosas budistas, também, porque há uma menina da terceira temporada (*acho*) que se matriculou errado no colégio de freiras, ela deveria ter entrado para o colégio budista.  Só que nenhuma escola gerida por religiosos é uma escola teológica.  Instituições assim são, normalmente, institutos superiores.  Lá fui eu atrás do mangá.  Interrompi a resenha do primeiro volume de Gekkan Shoujo Nozaki-kun (月刊少女野崎くん) e li o primeiro capítulo.  Seguem minhas impressões.


Sei Saotome é uma garota esforçada, mas que não funciona bem sobre pressão.  Para piorar, é muito azarada.  O que isso quer dizer?  Bem, nos exames de admissão no colegial, ela não consegue passar para a única escola que a qual se candidatara.  Isso gera consternação na família, muito preocupada em como vão encarar a vizinhança.  O pai teme que ela se torne um NEET.  A família fica apreensiva, comentando do medo de que a menina se suicide.  Afinal, ela não acrescentou mais opções no seu teste de admissão, porque acreditava que iria passar e não queria onerar a família.  Não entendo desses exames de admissão, acreditava que em Tokyo, você fazia o exame para as escolas públicas e a classificação é que definiria para qual escola você iria.  De qualquer forma, a irmã caçula da heroína tranquiliza os pais dizendo que Sei nunca se mararia por ser covarde demais...  

Arrasada, a menina tenta de novo e não consegue entrar para a segunda escola dos seus sonhos, mas há uma segunda opção...  Trata-se de uma escola muito exigente, tanto, que há poucos candidatos para ela.  De novo, é difícil entender, afinal, imagino que escolas muito exigentes, que treinam seus alunos e alunas com exames exaustivos seriam disputadas.  Há algo de muito estranho nessa história... Sei vai buscar os livros escolares e se espanta com a quantidade absurda de material.  Daria para os três anos de um colégio comum!  Na volta para casa, lutando com tanto peso, ela se envolve em um acidente com um rapaz.  Ele atropela seus livros com a bicicleta, é grosseiro e reclama que arranhou sua bike nova.


No primeiro dia, logo após a cerimônia de admissão, há um exame para os calouros.  Sei é a menor nota da turma e o professor orientador diz na frente de todos que ela rebaixou a sala inteira no ranking da escola.  Humilhada e arrasada, ela se esconde no telhado da escola e percebe que há uma estranha estrutura bem lá no alto.  

Ao final do dia, ela procura o exame com a nota vexatória e percebe que só pode ter esquecido lá em cima.  Ela corre para o telhado, procura e uma voz chama seu nome.  É um rapaz chamado Midzuki.  Ele achou sua prova e a convida a entrar no estranho prédio.  O rapaz é gentil – que provavelmente é um veterano – e explica que eles estão no observatório do clube de astronomia.  Ele mostra para Seo uma estrela chamada Spica e que quer dizer primavera, como seu nome.  Logo em seguida, quebrando o clima, chega Taiyou, o representante da turma de Sei e que já havia sido grosso com ela, antes mesmo de saberem que seriam colegas de classe.  Ele é candidato ao clube de astronomia e ridiculariza a menina.  Midzuki a defende.  Seo decide entrar para o clube, fascinada pela estrela e por Midzuki.   


Este é o primeiro capítulo de 4-Gatsu no Kimi, Spica。, o traço é bonitinho, mas não tem nada demais.  Está evidente que haverá uma relação de amizade entre os três e que isso deve salvar a menina – nossa garota comum mais padrão – da depressão.  Parece que Taiyou e Midzuki se conheciam a mais tempo, isso deve se explicar nos outros capítulos.  O triângulo amoroso é sugerido, daí deve rolar aquela coisa de o que é mais importante, “amor ou amizade”? Fora a questão da possível rivalidade dos meninos por Sei... Um deles parece ser o tipo bom moço e  o outro o imaturo.  Imagino que Taiyou tenha alguns esqueletos no armário e isso deve ajudar a justificar (*o injustificável*) o fato de ser arrogante e cruel com a protagonista.



É isso!  A propaganda do Comic Movie e do dorama estão aí em cima.

GOSTOU?

0 pessoas comentaram:

Related Posts with Thumbnails