domingo, 11 de junho de 2017

Quais os mangás mais educativos? Os Japoneses fizeram um top 10.


Existe um programa de televisão no Japão chamado School Kakumei! (スクール革命!).  Quem assistiu Utena, sabe que “kakumei” (革命) é revolução em japonês.  ^_^ Enfim, este programa se inspirou em um projeto fantástico da Fundação Japão, que eu comentei ano passado, de organizar listas dos mangás que poderiam proporcionar maiores possibilidades de educação para seus leitores e leitoras.  Por exemplo, quem leu Nodame Cantabile (のだめカンタービレ) certamente aprendeu muita coisa sobre música erudita, orquestra, enfim, vocês entendem.  Até ler Nodame, achava que o piano era parte da orquestra e não é.  O violino é o instrumento chefe.  Daí, este programa de TV parece que chamou umas celebridades para fechar um ranking dos mangás mais educativos.  Um top 10 do que eles chamaram de Motto mo Gakushuu Dekita Manga Ranking (もっとも学習できた漫画ランキング).  A amiga Sam Himura me passou o link e eu fui traduzir.  Em primeiro lugar, A Rosa de Versalhes. :D  Segue a lista:

1. Versailles no Bara (ベルサイユのばら)
2. Black Jack (ブラック・ジャック)
3. Hi Izuru Tokoro no Tenshi  (日出処の天子)
4. Doraemon (ドラえもん)
5. Master Keaton (MASTERキートン)
6. Kiseijuu (寄生獣), também conhecido como Parasyte (?).
7. Moyashimon (もやしもん)
8. Uchuu Kyoudai  (宇宙兄弟)
9. Slam Dunk   (スラムダンク)
10. Chihayafuru(ちはやふる)

Oscar e Maria Antonieta maduras
e em um traço posterior ao do mangá original.
Comentando um pouquinho a listinha, que eu achei deliciosa, afinal, olha os clássicos bem no topo!  E dois shoujo!  A Rosa de Versalhes foi o primeiro mangá histórico para meninas.  Mesmo com algumas imprecisões e liberdades, e Riyoko Ikeda já comentou muito sobre os problemas de sua obra prima, você aprende um montão de coisas sobre a Revolução Francesa e seus bastidores lendo A Rosa. Aliás, é até difícil para mim, claro, pensar a Revolução sem Oscar e André. ^_^  

Black Jack.
Black Jack é um clássico de Osamu Tezuka sobre um médico cheio de mistérios e sem licença, mas altamente capacitado e que cobra alto preço por seus atendimentos.  Em virtude de sua situação irregular e práticas pouco ortodoxas, ele vive tendo problemas com a polícia.  Tezuka era formado em medicina e colocou seus conhecimentos acadêmicos nesta obra, que é a sua mais longa.  Foi serializada entre 1973 e 1983.  Assim como A Rosa de Versalhes, teve várias adaptações.  Recebeu o primeiro Kodansha Manga Award na categoria shounen, em 1977.

O príncipe Shotoku de Yamagishi.
Hi Izuru Tokoro no Tenshi é um shoujo mangá revolucionário de  Ryoko Yamagishi que tem como protagonista o Príncipe Shotoku (574-622), o governante que trouxe o budismo para o Japão, é considerado santo por causa disso, e iniciou a importação ativa da cultura chinesa para o país.  No mangá, ele é cross-dresser, manipulador e tem poderes psíquicos.  Agora, tentem imaginar se você pega um herói nacional, um santo, e tenta fazer algo assim.  Censura na certa.  No Japão, virou um clássico.  Ah, sim!  Nunca teve anime, nem dorama.

Master Keaton.  Reconhcem o traço, não é?
O resto da lista traz mangás populares, a maioria com anime, dorama, filme, enfim, adaptações para outras mídias.  Em quarto lugar, Doraemon, crianças devem ter aprendido muito com a série.  Há mangás de esporte (Slam Dunk e Chihayafuru), científicos (Moyashimon e Uchuu Kyoudai), Master Keaton é multi tarefa (arqueologia, questões militares, enfim...).  Já Parasyte não sei o que dizer.  A idéia era de que esses mangás, pelo menos alguns deles, influenciaram na escolha profissional de algumas pessoas, em seu interesse por temas científicos e esportes.  Isso, aliás, é comum.  Quanta gente não se interessou pelo espaço e por engenharia por causa de Jornada nas Estrelas? 

GOSTOU?

0 pessoas comentaram:

Related Posts with Thumbnails