quarta-feira, 24 de janeiro de 2018

Alguns comentários sobre as indicações ao Oscar

Lady Bird não foi ignorado.
Ontem, saíram as indicações ao 90ª Cerimônia do Oscar.  Alguns pontos positivos a destacar, "Lady Bird - É hora de voar"  e "Corra" não foram esquecidos, nem seus diretores, Greta Gerwig e Jordan Peele.  Gerwig, aliás, foi lembrada duas vezes, porque foi indicada por roteiro original.  O The Mary Sue reclamou que "Mudbound", não sei como será o nome dele em português, foi esquecido pelo Oscar, especialmente, na categoria melhor filme e direção... Bem, indicaram um negro e uma mulher na categoria "melhor diretor", logo, seria impossível, que outra mulher, ainda por cima negra. A Academia já está se esforçando muito este ano para seus padrões, que são muito limitados.

Só que “Mudbound” recebeu cinco indicações, o que é muita coisa para um filme esquecido e em categorias importantes, inclusive uma pioneira em fotografia para Rachel Morrison.  Acreditam que NUNCA uma mulher foi indicada por melhor fotografia?  Deve ser por falta de competência... Só pode... A diretora de "Mudbound", Dee Rees, está indicada por roteiro adaptado.  Dupla indicação seria pedir demais, como pontuei, a academia já está sendo muito benigna este ano com as "minorias"... 

Greta Gerwig é somente a quinta indicada e não deve levar.

The Mary Sue reclamou, também, que Logan foi lembrado em roteiro adaptado e que somente histórias sobre homens contam, que não lembraram Mulher Maravilha.  Olha, lembraram das mulheres, olha Lady Bird, aí!  Fora que assisti aos dois, e nenhum do dois merecia salvo em aspectos técnicos, talvez. Agora, me ofende mais do que Logan em roteiro adaptado ver Dunkirk, um filme mais furado que queijo suíço, para oito prêmios.  Merecia indicações técnicas, mas melhor filme e diretor é só por ser o Nolan, né?  Queria que Spielberg tivesse a mesma complacência da academia, mas ele é marcado por ter feito cinemão até hoje.  Para receber teve que apelar com A Lista de Schindler...   


Voltando ao ponto principal, se Dunkirk merece indicação em melhor direção, a diretora de Mulher Maravilha, Patty Jenkins, também merecia e com mais méritos, PORÉM já tinham cumprido a cota de mulheres e veja que em 90 anos, SOMENTE cinco foram indicadas e a única que ganhou, não merecia.  Uma mulher, para ser indicada, precisa fazer um trabalho espetacular e torcer e/ou rezar muito para ser notada, ou ter a sorte de cair no gosto dos reacionários em um ano de competidores medíocres.  Sim, eu nunca vou considerar a vitória de  Kathryn Bigelow um avanço em relação a igualdade de gênero.  Representatividade, sim, avanço DE VERDADE para as mulheres que fazem cinema, não.  Guerra ao Terror é problemático em tantos aspectos que nem sei... 

Kono Sekai no Katasumi ni.
E animação?  Poderoso ChefinhoTouro Ferdinando?  Sério, gente?  Aliás, o diretor de Ferdinando é brasileiro, sabiam?  Carlos Saldanha.  Enfim, o Manga Mag fez um texto sobre isso.   Havia CINCO longas japoneses pré-indicados:  Kono Sekai no Katasumi ni  (この世界の片隅に), Koe no Katachi  (聲の形), Mary to Majo no Hana (メアリと魔女の花), Hirune Hime: Shiranai Watashi no Monogatari (ひるね姫 〜知らないワタシの物語〜) e Gekijouban Sword Art Online ~Ordinal Scale~ (劇場版 ソードアート・オンライン -オーディナル・スケール-).  Só uma coisa a dizer: o Oscar é a festa do cinema americano.  Não tentem ver qualquer lógica para  além disso.  Mas que deem para Coco, que merece, e melhor canção, também, por favor.

De resto, estou louca para assistir "A Trama Fantasma", “Três anúncios para um crime”, "Mudbound" e "Lady Bird".  "O Destino de uma Nação", também, mas está no cinema e acho que somente depois, salvo se semana que vem ainda estiver passando em Brasília.  E tenho que tomar vergonha e ver "Corra", não vi no cinema, porque, bem, não sou fã do gênero, mas tudio o que eu li e ouvi é tão positivo e instigante (*ao contrário de "Mãe", por exemplo*), que acho que tentarei fazer isso hoje.  O filme está no HD deste computador. De resto, se vocês clicarem sobre os filmes com link, cairão nas resenhas que eu fiz.

GOSTOU?

4 pessoas comentaram:

Acho que essa é a primeira vez que conseguirei ver todos os indicados a melhor filme. Já assisti quatro: Corra!, Lady Bird - É Hora de Voar, Dunkirk e Me Chame pelo Seu Nome.

Começando com Corra!, que vi essa semana. Eu detesto filmes de terror, nunca vejo. Aliás, não gosto nem de ver os trailers. Mas falaram tanto desse filme que resolvi dar uma olhada. O que posso dizer é que o achei bem interessante. Como vi por aí (acho que foi no canal do youtube Acabou de Acabar), o diretor usa o racismo como forma de contar uma história de terror. Você se sente na pele do personagem. Ainda que nada racista seja dito escancaradamente na maior parte do tempo, as alusões a que os personagens fazem, certos comentários, são o que dão o tom dele e te fazem sentir tensão o tempo inteiro. Mas chegando no final, você repara que o diretor não pensou muito no que estava fazendo com o roteiro. Ele coloca certas situações que, chegando no fim, são completamente sem sentido. É um filme bom e merece ser reconhecido pela originalidade, mas acho que estão exagerando muito a qualidade dele.

Lady Bird eu fui ver pronto pra procurar defeitos. Fui baixar o filme e, olhando a caixa de comentários - nem sei por que ainda faço isso, apareceu uma mulher falando o seguinte:
"achei que seria tao superestimado quanto aquele lá de pedofilia mas é muito bom"
Quando li isso, pensei que ela estivesse falando de Spotlight, que lida diretamente com pedofilia. Mas não fazia sentido, porque é do ano retrasado. Até que me toquei: o "de pedofilia" no caso é Me Chame pelo Seu Nome! Acredita? Agora uma relação entre um rapaz de 17 anos e um de 24 é pedofilia! Eu até poderia apontar que o Armie Hammer foi muito mal escalado (ele não passa por alguém de 24 anos mesmo), ou que o filme nem fala a idade dos personagens, mas sei que esse tipo de gente veria defeito de qualquer forma por ser uma relação entre dois homens, então nem perco meu tempo.

Enfim, falando de Lady Bird, eu terminei o filme encantado. A personagem é divertidíssima. Só uma cena em que ela discute aborto com uma professora e solta uma frase completamente sem noção me ganhou absolutamente. Quando você vir, entenderá. Não darei spoilers aqui porque se não perde a graça. ^^ Tudo é tão bem encaixado no filme. E o roteiro foi muito melhor cuidado que Corra! O filme me lembrou muito a série Gilmore Girls, a que assisti inteira ano passado e da qual gosto bastante.

Dunkirk, eu já comentei aqui. Achei muito bem dirigido, mas não merecia estar em melhor filme de jeito nenhum.

Agora, o meu favorito: Me Chame pelo Seu Nome. Eu estava passeando pela Saraiva ano passado e vi a edição do romance em inglês. Pesquisando descobri que seria lançada a tradução em janeiro, mas o preço estava maior que a versão original (vai entender). Comprei em inglês mesmo.

E eu amei o livro. Além de uma história belíssima, é uma das obras mais bem escritas que eu já tive o prazer de ler. O autor é herdeiro de Proust e a narrativa, portanto, é fora do convencional. Você sabe que os personagens estão na Itália, sabe que é verão, mas o fluxo do tempo não é indicado. Ou melhor, ele é filtrado pelas impressões do protagonista, que narra a história em primeira pessoa. E o leitor é levado a acompanhar esse verão inteiro e a relação amorosa dos dois personagens. É uma delícia acompanhar os flertes, as conversas, as situações. Você realmente se sente na Itália.

E como é bom ver um filme adaptando tão bem um livro! O diretor também consegue fazer você se sentir em um verão italiano, dentro de uma casa em que a cultura é valorizada. Eu quero muito que ganhe melhor filme, mas não tem a menor chance. Já deram para Moonlight ano passado. Duvido que premiem outro longa com um protagonista gay. Além do que, como apontou uma crítica do El País, o filme é europeu demais, sensual demais:

‘Me Chame Pelo Seu Nome’, o filme para o qual o Oscar não está preparado
https://brasil.elpais.com/brasil/2018/01/17/cultura/1516227848_567076.html

Mas de qualquer forma, o filme tem recebido bastante atenção e elogios. O The Guardian o elegeu o melhor filme do ano passado:

The 50 top films of 2017: No 1 Call Me By Your Name
https://www.theguardian.com/film/2017/dec/22/the-50-top-films-of-2017-no-1-call-me-by-your-name?CMP=share_btn_fb

Além disso, ele ganhou alguns prêmios importantes, como o Gotham Awards, de Nova York, que premia filmes independentes:

'Call Me By Your Name' leva o Gotham Awards, primeiro grande indicativo do Oscar
http://cultura.estadao.com.br/noticias/cinema,call-me-by-your-name-leva-o-gotham-awards-primeiro-grande-indicativo-do-oscar,70002099761

E ganhou também o LAFCA, dos críticos de Los Angeles:

Críticos de Los Angeles elegem ‘Me Chame Pelo Seu Nome’ como o Melhor Filme do ano
http://cinepop.com.br/criticos-de-los-angeles-elegem-me-chame-pelo-seu-nome-como-o-melhor-filme-do-ano-161091#.WlKYFJOjbRE.facebook

Vou deixar aqui mais duas críticas, uma do G1:

'Me chame pelo seu nome' mostra descoberta homossexual de forma tocante e sem melodrama; G1 já viu
https://g1.globo.com/pop-arte/cinema/oscar/2018/noticia/me-chame-pelo-seu-nome-mostra-descoberta-homossexual-de-forma-tocante-e-sem-melodrama-g1-ja-viu.ghtml

E uma que, apesar de ser da Veja, também gostei:

“Me Chame pelo Seu Nome”: tanta beleza que chega a dar vertigem
https://veja.abril.com.br/blog/isabela-boscov/me-chame-pelo-seu-nome/

Última parte:

Como não vai ganhar melhor filme, queria que levasse algum prêmio. Acho que o único que tem alguma chance é roteiro adaptado. Como comentei, a história é toda contada a partir da visão, das sensações do protagonista. Deve ter dado muito trabalho para conseguir passar isso para uma forma mais objetiva. E conseguiram.

E eu fiquei com dó do Timothée Chalamet. Ele tinha grandes chances de ganhar como melhor ator. Seria o mais jovem ganhador da história. A disputa ano passado era entre ele e o Daniel Day-Lewis. Era o que estava sendo falado. Aí o Gary Oldman apareceu e está levando tudo. Não podia esperar ano que vem? Rs

Porque como ele se entrega ao personagem! Como ele captou bem a essência do Elio! Você vê o ator dando entrevistas e o vê no filme, e fica surpreso. Ele conseguiu mudar completamente. trouxe todo o charme, inteligência e sensibilidade do personagem para a tela.

O amor do Elio e do Oliver surge de forma suave, é cheio de sutilezas. Eles sentem atração física imediata, mas o amor vai crescendo aos poucos, conforme eles percebem a inteligência, cultura, amor pela educação e pelo arte um do outro.

O filme e o livro são muito, muito bonitos, charmosos e elegantes. Próximo domingo vou no cinema novamente com uma amiga e mês que vem vou com um outro amigo.

Enfim, recomendo todos os quatro filmes, com atenção especial para Me Chame pelo Seu Nome, pelo qual já cultivo muito carinho. Se você tiver a oportunidade de ver no cinema, recomendo. A experiência sensorial é maravilhosa.

Ps: o filme também está concorrendo a melhor canção original, com Mistery of Love. Vou deixar o link também porque a música é uma graça (mas também não acho que leva, infelizmente):
https://www.youtube.com/watch?v=DCsyocpQyok

meus favoritos indicados ao Oscar são "Três Anúncios Para um Crime" (que eu acredito não tão fielmente que vencerá Best Picture) e "Lady Bird".
Detestei "Corra!" e não entendo todo esse auê em cima desse filme tão previsível. Poderiam colocar "Mãe!" no lugar dele, pelo menos tivessem a decência de dar uma indicação de Melhor Atriz Coadjuvante para Michelle Pfeiffer. Mas "Mãe!" é um filme a frente de seu tempo, a sociedade ainda tá tentando metabolizar\entender o que é "Mãe!". Só daqui uns 15, 25 anos que"Mãe!" será consagrado como um grande filme, vide o caso de "Laranja Mecânica".
Poderiam colocar "Eu, Tonya" no lugar de "Corra!" também, seria bem mais justo.
O Oscar é essa coisa tão tradicional, banal, genérica e enfadonha que eu não duvido nada que o filme puxa-saco de Hollywood desse ano possa vencer Best Picture, ele já tem o número máximo de indicações, então está a um passo disso.
Torcerei fielmente por "Três Anúncios Para um Crime" e "Lady Bird", esses filmes são vida! *-*

Related Posts with Thumbnails