segunda-feira, 23 de abril de 2018

Autor de Rurouni Kenshin está perdoado e passa bem. Seu mangá será retomado em junho.


Precisava fazer esse post, não porque a notícia me surpreenda, isto é, que o mangá Rurouni Kenshin: Meiji Kenkaku Romantan: Hokkaidou Hen (るろうに剣心 -明治剣客浪漫譚- 北海道編) será retomado na Jump SQ. Foi bem rápido, afinal, Nobuhiro Watsuki foi preso em novembro passado por possuir material pedófilo em casa. Sim, material com meninas de verdade, algumas aparentando menos de 10 anos. E ele assumiu tudo e foi punido com uma pena muito, muito leve, uma multa de 200 mil ienes, algo que não chega nem aos 6 mil reais. Pensem no quão irrisório é isso para um homem tão rico.  O que era a maior punição até agora? O mangá suspenso. Bem, não é mais.  Segundo o ANN, a editora, a Shueisha, alega que seria um desrespeito com os fãs deixar o mangá em hiato e que o autor se encontra arrependido e vem refletindo e se penitenciando pelo que fez. Agora, duas coisas a comentar.

O primeiro fator é óbvio, o econômico. Este ano, a JUMP original completa meio século é Rurouni Kenshin é uma de suas obras mais bem sucedidas. Mangá histórico que dialoga muito bem com a cultura pop nipônica e Norte americana, foi sucesso no mundo inteiro.  Colocar a obra na geladeira  afinal, Watsuki estava empenhado em uma continuação quando do escândalo,  representa grande prejuízo financeiro.

De resto, e este é o segundo ponto, eu sempre rio  comigo mesma quando alguém vem falar da carreira destruída de um homem famoso - artista, cantor, politico etc. - devido a algum crime ou escândalo sexual. A opressão das mulheres atravessa sociedades e culturas, simples desse jeito, daí, a classe dos homens se protege e raramente algum deles efetivamente é  ostracizado.  No caso do Japão  assim como em tantos outros países, as leis que protegem as meninas dos abusos sexuais são frouxas.  A carreira de um homem, os lucros de uma empresa, são mais importantes do que impor punição mais séria a quem alimenta a indústria da pornografia infantil e juvenil, que não  raro se entrelaça com a escravidão e o trafico de pessoas. Violência pura e simples. E o Japão é o país com a idade de consentimento mais baixa entre os paises desenvolvidos, 13 anos.  No Brasil, é 14. 

Para quem  não entende o que eu estou pontuando, a lei, e isso varia de país para país, estabelece que uma pessoa não teria discernimento para manter relações sexuais antes de uma idade X. Não adianta o que o menor diga, pouco importa o que o adulto envolvido alegue, é estupro.  Este é um um tema sensível, especialmente, em nosso momento atual, porque tanto os conservadores, quando setores expressivos das esquerdas, muitas vezes demandam que a idade de consentimento seja ampliada. O objetivo, alegam ambos, é proteger os menores e coibir a violência. De minha parte, pelo menos no Brasil, eu sempre afirmo que, ainda que considere 14 anos muito cedo para alguém fazer sexo, eu deixaria como está em respeito ao direito de escolha dos jovens, afinal, parece quase regra querer infantilizar os adolescentes, e, também, aos responsáveis que tem o dever de zelar por eles. Fora isso, ainda que um maior de idade faça sexo com alguém de 14 anos, pode ser enquadrado por outros crimes, caso os cometa, desde o estupro de fato, porque este não deixa de existir, até oferecer drogas  bebidas alcoólicas, expor o menor à pornografia etc. a lista é  longa.

Mas é isso, Nobuhiro Watsuki está perdoadíssimo. Segundo a editora, por vontade dos fãs. Afinal  ele não fez nada de grave. E, sim, quem está cobrando entrevista com a esposa dele, que pode ser cúmplice, ou não, digo o seguinte, ainda não vi entrevista com o próprio, isto é, para mim esse tipo de historinha é mais uma tentativa de desviar o foco do criminoso e culpabilidade mulheres. Afinal, um homem feliz no casamento não precisaria desse tipo de coisa  não é?

GOSTOU?

3 pessoas comentaram:

Deixa eu fazer um mea-culpa aqui, por ter buscado uma entrevista da Kaoru KUROSAKI sobre o assunto. Quando ela veio ao Brasil, eu tive a impressão de que, por mais que ela tivesse alguns trabalhos relacionados ao marido, ela tinha uma carreira independente dele.
Não imagino que ela fosse cúmplice (até porque, ser cúmplice numa coisas dessas é bem triste), mas essa prisão atrapalhou o trabalho dela como roteirista. Creio que ela deve ter pensado muito se voltaria a esse trabalho.
Bom, de minha parte, apesar de gostar muito de Samurai X, não tenho intenções de pegar para ler esse arco.

Como uma opinião leiga sobre as leis do Japão, não sei se o fato do país capitalizar muito em temas sexuais e pornografia tem algo a ver com a punição branda, mas, o histórico de país tradicional e sexualmente enrustido nunca passou um bom sentimento sobre como eles tratam esses temas. Alguns chamam ser liberal, eu considero inconsequência, pra dizer o mínimo. Outros países têm punições mais rigorosas. Diabos, estamos num mundo onde mesmo Stan Lee é processado por assédio, ninguém devia ser imune a punição rigorosa quando justificada.

A violência sexual é uma vergonha e algo lamentável em qualquer parte do mundo, mas, me surpreende um país tão avançado em tecnologia, em promoção de saúde e acessibilidade aos deficientes ter tanta despreocupação com uma questão como essa!
Mais uma vez o capitalismo mostrando que a vida só tem valor enquanto mercadoria do consumo de alguém..E mulheres ainda hoje como mercadoria descartável.

Related Posts with Thumbnails