domingo, 30 de setembro de 2018

Envelhecendo o Japão: os mangás ficam grisalhos - mas espirituosos - junto com os leitores


Um amigo me passou uma matéria do site da Reuters intitulada "Aging Japan: Manga comics turn gray - but spirited - along with readers" sobre  uma nova tendência entre os mangás, o foco nos idosos.  O gênero vem crescendo e, mais do que isso, se delimitando nos últimos anos.  As séries normalmente são publicadas em mangás josei e algumas conseguem fazer grande sucesso de público e crítica, como "Sanju Mariko".  Outras, acompanham a vida de uma personagem da juventude passando pela maturidade e chegando até a velhice, caso do sucesso “Kosaku Shima”.  O fato é que a sociedade japonesa está envelhecendo rápido e os velhos querem ler sobre eles e seus problemas, já os jovens, tem curiosidade sobre o que é o envelhecimento.  

Procurando imagens para o post, terminei tropeçando em outra matéria sobre o mesmo assunto intitulada "Elderly emerging as star characters in new manga genre".  Talvez a traduza, também.  Se quiserem a tradução, deixem registrado nos comentários, ou lá no Facebook do Shoujo Café, por favor. Enfim, será que teremos um filão de mangá geriátrico estável nos próximos anos?  Parece que sim.  Segue então a matéria traduzida.

Envelhecendo o Japão: os mangás ficam grisalhos - mas espirituosos - junto com os leitores

Kosaku Shima, de Kenshi Hirokane, ascendeu na carreira
corporativa e envelheceu ao longo dos anos.
TÓQUIO - A população envelhecida do Japão está mudando a aparência de seus amados mangás, produzindo um novo gênero no qual os idosos não são velhos dignos de pena, mas protagonistas fazendo descobertas, encontrando amigos e às vezes até fazendo sexo ardentemente.  A demanda por histórias focadas em idosos cresceu junto com seu público: 27,7% dos japoneses têm mais de 65 anos, acima dos 21,5% há apenas uma década.  Os editores dizem há leitores em todos os segmentos da sociedade, de aposentados à procura de histórias com as quais se identificar, até os jovens observando sua nação envelhecer, com uma crescente preocupação com seus anos finais.

"Diferentes problemas e preocupações sociais surgem em oposição a quando a sociedade é centrada em jovens, e mangás que mostram a realidade de uma sociedade em envelhecimento estão em alta tento com os leitores quanto com os escritores", disse Kaoru Endo, professor de sociologia da Universidade de Gakushuin, em Tóquio. .

Yuki Ozawa, criadora de Sanju Mariko.
O mangá, tanto impresso quanto digital, faturou 430 bilhões de ienes (US $ 3,81 bilhões) em 2017, de acordo com o Research Institute for Publications. Eles são onipresentes na vida cotidiana, aparecendo em todos os lugares, desde metrôs lotados até cafeterias e salas de espera.  Apesar de não existirem dados de público sobre a fatia do mercado de mangás com foco nos idosos, o gênero está claramente crescendo. Oito dos onze trabalhos mais populares, de acordo com especialistas do setor, começaram a ser publicados depois de 2014. Três foram em 2017 e 2018.

Yuki Ozawa, ilustradora de "Sanju Mariko" (傘寿まり子), série sobre uma viúva de 80 anos que foge de sua casa lotada de familiares para viver sozinha e escrever, acha que o escapismo também desempenha um grande papel.  “Quando você assiste a notícias sobre o envelhecimento, há tantos tópicos obscuros e sérios. Isso deixa as pessoas ansiosas ”, disse ela à Reuters.  "Há também muitas pessoas solteiras, que provavelmente nunca vão se casar e vão sempre morar sozinhas, e quando estão se sentindo tristes, leem Mariko e sentem como se tivessem visto um raio de luz", disse ela.

Cena de Sanju Mariko.
Praticamente nenhum tema escapou do mangá desde que o meio decolou há cerca de 50 anos. Houve até mangás sobre o terremoto e tsunami de 2011, incluindo o colapso de Fukushima.  Personagens idosos, no entanto, eram em sua maioria periféricos: uma avó amorosa, alguém precisando de cuidados de enfermagem, um sábio venerável.  O mangá que estrelado por idosos, como uma série dos anos 90 sobre uma banda de heavy metal envelhecida, nem sempre os tratava como pessoas normais.

“Os idosos estavam lá, mas com um elemento de surpresa. Ele pode ser um homem velho, mas ele é realmente esperto, um super-herói estranho ”, disse Natsuki Nagata, professor assistente de sociologia na Universidade de Hyogo de Educação de Professores, na cidade de Kobe. "Era como se eles fossem de uma espécie diferente."

Uma idosa e uma jovem unidas pelo
amor ao BL.  Queria ler isso aqui.
Mas exemplos recentes, como "Metamorphose no Engawa" (メタモルフォーゼの縁側), de Kaori Tsurutani, trazem um toque mais humano.  Nessa história, uma viúva septuagenária e uma adolescente geek criam um laço por causa dos mangás BL, e terminam construindo uma amizade por meio de mensagens de texto, idas à cafés e eventos de fã de mangá. A Mariko de Ozawa pode ter 80 anos, mas a solidão que a leva a sair de casa é universal. Os personagens estão "sendo ilustrados de uma maneira que parece mais próxima da realidade", disse Tsurutani, 36, que contou que as lembranças de sua falecida avó deram forma ao seu trabalho.

Um Assunto Desafiador

Alguns mangás do gênero usam pura fantasia para atrair leitores, enquanto ainda tocam na realidade, muitas vezes sombria, dos problemas dos idosos.  Uma série apresenta um casal septuagenário se tornando pais, enquanto em outra uma mulher idosa e uma adolescente trocam de corpo.

Seventy Uizan (セブンティウイザン), já tinha
falado dele no blog.  Mulher grávida aos 70 anos.
"Certamente há muitos problemas sociais envolvendo os idosos, e eles são muito sérios", disse Ozawa, cuja Mariko não tem problemas de saúde e tem renda estável – algo incomum mesmo em uma nação com idosos vigorosos. "Mas escrever sobre isso significa que os leitores só prestarão atenção às questões sociais, e será um pouco deprimente."

Ilustrador Kenshi Hirokane, cuja série “Kosaku Shima” (課長島耕作) sobre um empresário é publicada desde 1983, mostra seu herói passando de chefe de seção para presidente de sua empresa de eletrônicos, envelhecendo realisticamente ao longo dos anos.  Hirokane, em 1995, também lançou “Like Shooting Stars in the Twilight,” (Tasogare Ryuuseigun/ 黄昏流星群) um dos primeiros mangás centrado no idoso. Um drama das vidas e amores das pessoas mais velhas, também incluia algumas cenas quentes de sexo.  "Eu queria escrever sobre homens e mulheres comuns tendo um amor comum", disse Hirokane, de 71 anos, sobre a série. "Os leitores querem tópicos próximos a eles."  A série premiada de Hirokane tem até agora 58 volumes.

Tasogare Ryuuseigun tem muito sexo, ou,
pelo menos, o Google me deu umas imagens
que eu não poderia colocar aqui.
“Conforme muitas pessoas envelhecem, perdem seus sonhos e esperanças, acham que não há mais nada que possam fazer. Não, não é nada disso - você ainda pode se apaixonar, você ainda pode fazer muitas coisas ", disse ele à Reuters em seu estúdio no oeste de Tóquio.

Com Grande Procura

Rikiya Kurimata, um vendedor da Tsutaya, uma das maiores cadeias de livrarias do Japão, disse que os leitores do gênero não têm uma demografia definida. Recentemente, eles vêm pedindo “mangá sobre idosos”, bem como títulos específicos.  "Acho que essa tendência não vai apenas continuar, mas crescer. A oferta ainda não atendeu à demanda ”, disse Kurimata. "No momento, não temos uma seção especial para o gênero, mas se as coisas continuarem assim, teremos que fazer uma."  Meio milhão de cópias de Sanju Mariko, impressas e digitais, foram vendidas desde sua estréia em 2016. O primeiro volume de Tsurutani passou por cinco impressões adicionais desde maio.

Mangá geriátrico: Um novo filão?
Atsuko Ito, 66, fazendeira do norte do Japão, diz que gostou da série de Hirokane pela forma como destacou os altos e baixos da vida.  "É como se a própria vida fosse atraída para lá, com coisas que todos nós experimentamos – e algumas que não temos – que me fazem ter empatia", acrescentou ela. “Então, às vezes, quando um personagem principal toma uma decisão, eu penso: 'Eu também posso fazer isso', e isso me dá coragem para minha vida diária.”

Esse senso de humanidade está no coração do sucesso do gênero, disse Endo.  “O que o mangá diz é que as pessoas são as mesmas por baixo – e isso ensina os jovens a não terem medo dos idosos ou do envelhecimento”, disse ela. "Todos nós temos os mesmos sentimentos, jovens ou velhos."

GOSTOU?

2 pessoas comentaram:

Excelente, tanto o texto quanto a tradução, se estiver disposta a traduzir o outro também...

Falando em tradução, espero que surja scan de algum destes quadrinhos, pois eles parecem muito interessantes. Interessante também pensar que embora a população global esteja envelhecendo bastante, a representatividade deles na industria do entretenimento como um todo é bem fraca. Ou pelo menos eu não consigo me lembrar de cabeça de nenhuma obra voltada para eles...

Mas, como dito no próprio texto "Praticamente nenhum tema escapou do mangá desde que o meio decolou há cerca de 50 anos.", ainda que este publico só esteja começando a ser explorado agora, não deixa de ser um mérito da mídia conseguir chegar até ele.

Enfim, obrigado por compartilhar, até mais!

Gostei muito do texto e tradução fico pensando se nosso mercado algum dia vai chegar a ter essa maturidade e se obras assim chegarão por essas bandas, me causou interesse, tbm gostaria de ler a outra matéria! Ganbatte Valéria! o/

Related Posts with Thumbnails