sábado, 20 de outubro de 2018

O Nome da Rosa, de Umberto Eco, será adaptado para a TV


O Nome da Rosa foi um dos meus filmes favoritos quando estava na adolescência.  Assisti ao filme de 1986 em VHS quando estava no ensino médio.  Já o livro, que foi publicado na Itália em 1980, acredito que li pela primeira vez quando estava no começa da faculdade, acho que com 17 anos, se muito.  
Capa original.
A história geral é a mesma.  Norte da Itália, 1327, o monge William de Baskerville e seu tutelado, Adso, filho de um nobre alemão, param em um mosteiro cluniacense e acabam envolvidos na resolução de uma série de assassinatos que envolviam segredos sórdidos e uma biblioteca famosa pelos seus muitos livros e exemplares raros.  Além dos crimes e do mistério que o frade inglês terá que resolver, ainda temos a descoberta do primeiro amor por Adso, que narra idoso a história, as querelas envolvendo a questão da pobreza para os franciscanos, acusações de bruxarias, a chegada de um inquisidor, Bernardo Gui, e discussões sobre se o riso e o humor são aceitáveis, ou não, para um cristão, especialmente, um religioso. 
Christian Slater como Adso e
Sean Connery comoWilliam de Baskerville.
O Nome da Rosa é um dos casos raros em que tanto o filme derivado, quanto o livro original, são muito bons, ainda que fazendo opções diferentes, no caso a forma como o mistério no filme é resolvida diverge e muito do livro original.  Agora, algo que só percebi lendo o livro é que William de Baskerville é Sherlock Holmes, trata-se de uma homenagem de Umberto Eco.  E se Holmes vivesse na Idade Média?  William de Baskerville não usa cocaína, por exemplo, mas usa umas ervas que dão barato. Fora o Baskerville do nome, claro.  Já Adso não é outro senão Watson, ainda que na história narrada, seja somente um adolescente.  
Filmagens na Itália.
Umberto Eco também usa de um expediente divertido que é dizer que a história estava em um manuscrito encontrado por ele em um velho arquivo. O mesmo é feito em um livro anterior e também derivado de Sherlock Holmes, Uma Solução Sete por Cento, de Nicholas Mayer, o roteirista do melhor filme de Jornada nas Estrelas para o cinema, A Ira de Khan (*o original, claro*). Eu fiquei realmente empolgada com o anúncio e quando vi que Rupert Everett estava no elenco pensei que ele seria William de Baskerville. Só que ele será Bernardo Gui... William, que deveria ser interpretado por um inglês, terá por intérprete John Turturro. O ator é muito bom, mas não é como eu imagino a personagem. Só que Sean Connery também não era como no livro, enfim... O ator alemão Damien Hardung será Adso. Será uma minissérie em oito partes. O diretor se chama Giacomo Battiato.  Espero não me decepcionar, nem ficar no meio termo como no caso de Os Pilares da Terra.  Minha fonte principal foi o site Variety.  O teaser já saiu, está no Facebook, mas eu não sei carregar de lá.  Não encontrei no Youtube.

GOSTOU?

0 pessoas comentaram:

Related Posts with Thumbnails