segunda-feira, 14 de janeiro de 2019

Jornal do Shoujo Café: Mafalda Feminista, Casamentos Infantis, Xuxa envelheceu e passa muito bem e outras notícias da semana



Não sei se o jornal entrará no ar hoje ainda.  Corri muito esse domingo e não tive tempo de sentar no computador, quando consegui, a conexão estava tão podre que nem adiantava postar nada.  OK, tentarei ser breve, mas o jornal só entra na segunda mesmo:

Esse quadrinho é fantástico.
1. Mafalda ganha nova compilação totalmente dedicada ao feminismo.  Mafalda, a garotinha contestadora criada pelo cartunista argentino Quino,  foi criada em 1962 e passou a ser publicada regularmente a partir de 1964.  O desenhista interrompeu a tira em  25 de Junho de 1973.  Mafalda fez poucas aparições depois disso. Em novembro passado foi lançada uma coletânea de todas as tirinhas com temática feminista de Mafalda com o título de "Mafalda: femenino singular".  É bom ressaltar que o feminismo aparece em alguns momentos em Mafalda, é possível organizar coletâneas temáticas diversas.  De qualquer forma, não vi e já quero muito!  É possível comprar no Amazon, o preço não está salgado, não.  Curioso é que aparece em pré-venda para fevereiro.

A deputada dando entrevista.
2. Carro da deputada Martha Rocha é alvo de tiros na Zona Norte do Rio.  Mais de 300 dias depois do assassinato político da vereadora Marielle, que vitimou, também, seu motorista, Anderson, nenhuma resolução.  Ontem, o carro da deputada Martha Rocha (PDT-RJ), delegada que foi a primeira mulher a comandar a polícia civil do Rio de Janeiro, foi perseguido e alvejado por vários tiros de fuzil.  Ela estava indo para a igreja, no bairro da Penha, com a mãe idosa e o motorista.  O carro era blindado, porque ela vinha recebendo várias ameaças.  O atirador estava mascarado e usava luvas (!!!), mas há quem insista que foi tentativa de latrocínio. A deputada, assim como Marielle, destacou-se a denúncia contra as milícias, ainda que por outros meios e usando de outras estratégias. No Rio, esse tipo de organização criminosa sempre teve fortes ligações com o poder e tem nas suas fileiras ex-policiais e membros de outras forças de segurança.  Quem quiser acreditar que foi uma tentativa de roubo, à vontade, eu prefiro acreditar em unicórnios.  Em tempo, quem matou Marielle?  Quem matou Anderson?  De resto, o novo governo do Rio já vem mostrando serviço, censurou uma apresentação na Casa  França-Brasil que falava sobre tortura durante a Ditadura Militar no Brasil.  Prioridades, vocês sabem.  

Rahaf recebeu asilo no Canadá.
3. Adolescente saudita foge de casamento forçado e consegue asilo no Canadá.  Desde o início da semana passada, acompanho o caso de Rahaf Mohammed al-Qunun, uma moça de 18 anos, de família abastada (*seu plano dependia disso, aliás*), que aproveitou-se das férias da família no Kuwait, para pegar um avião rumo à Austrália.  Seu objetivo era pedir asilo por motivos políticos.  Sim, obrigar uma mulher a se casar, ou um homem, enfim, deveria ser sempre caracterizado como crime contra os direitos humanos.  No entanto, apesar da história do casamento, algo que me parecia mais dramático para ela,muito mais, aliás, é que a moça havia apostatado da fé, isto é, rejeitado o Islã.  Não há consenso entre os especialistas em islamismo sobre o tema, mas em um país como a Arábia Saudita, isso certamente daria em morte.  E quem faz a justiça é o responsável pela mulher, no caso de Rahaf, seu pai.  Se ele a matasse, o Estado não iria interferir.

Pois bem, Rahaf ficou retida na Tailândia, onde o avião fez uma escala, se entrincheirou em um cômodo e usou a internet para contar sua história para o mundo.  Queria que os organismos da ONU a protegessem.  Havia a suspeita de que o governo da Tailândia iria entregá-la ao seu pai, ou a um responsável à pedido do Governo Saudita. Dias de impasse e a coisa parece ter terminado bem para ela.  Não foi para a Austrália, mas conseguiu asilo no Canadá. Acredito que foi até melhor, mas ela precisará estar atenta.  Governo que executa um jornalista em um consulado em país estrangeiro, não teria problema em eliminar uma adolescente no Canadá.  Engraçado é que tropecei no caso dessa moça no Twitter, havia um pessoal pedindo que o governo brasileiro lhe desse asilo, porque ela tinha se convertido ao Cristianismo.  Só por isso.  Eu até procurei, mas não achei essa informação sobre a moça.  Abandonar uma religião não implica em trocá-la pela outra.  Mas se alguém tiver uma fonte segura sobre a questão, eu agradeceria.  Queria linkar aqui, se fosse o caso.

No filme saudita O Sonho de Wadja, uma coleguinha da
protagonista é casada aos 12 anos.
4. Falando em casamentos forçados... Parece que a Arábia Saudita está discutindo impôr limites aos casamentos infantis.  Lembrando que, para a ONU, casamento infantil é qualquer um que envolva menores de 18 anos.  Acho complicado, porque se trata de uma teocracia e porque existe o precedente do próprio fundador da religião islâmica, seu casamento com Aisha, que, nas fontes tradicionais, tinha entre  sete e nove anos.  Parece que a ideia é que casamentos envolvendo menores de idade tenham que ser avaliados por um conselho de teólogos, ou seja, não bastaria o interesse das famílias.  Enfim, acredito que isso já é alguma coisa, especialmente, porque temos esses dois grandes obstáculos que citei.

Naila Amin foi obrigada a se casar pela família aos treze anos
para que seu "marido" de 26 pudesse vir para os EUA.
5. Já que o assunto são casamentos infantis, só cheguei a essa matéria sobre as mudanças na Arábia Saudita graças a outra sobre os EUA.  Para quem não sabe, 17 estados norte-americanos não tem idade limite para casamento. DEZESSETE.  Nos demais, a idade varia.  Esse é um aspecto e existe todo um movimento (*uma das coisas legais dos EUA são essas mobilizações civis*) para que idades mínimas sejam aprovadas Estado a Estado.  Mas a matéria era sobre o seguinte, a lei de imigração norte-americana, neste caso ela é nacional, permite que uma pessoa possa trazer seu conjunge para o país.  Dito isso, são frequentes os casos de homens adultos que trazem noivas menores de idade de países da Ásia, África, ou mesmo América Latina.  Em raros casos, é a mulher, e o caso citado foi de uma menina de família paquistanesa com 13 anos obrigada a assinar a petição para que seu marido  de 26 anos viesse para os EUA, a esposa.  

Pense no valor que um passaporte norte-americano tem.  O absurdo é  que agência governamental normalmente aprova e lava as mãos  em nome do respeito às tradições, costumes e tudo mais dos envolvidos.  Gente, será que se alguém argumentar que escravidão é lícito em seu país e, por isso, seu direito de ter escravos deve ser respeitado em qualquer lugar seria atendido?  Envolve homens, é crime contra a humanidade.  Agora, casar meninas, destruir-lhes o futuro, é aceitável em nome da cultura, ou da fé.  É  ótimo esse negócio.  E não pensem que não existe legislação rígida sobre idade de casamento nos EUA por pressão de islâmicos, ou hindus, isso existe, porque não atualizaram a  legislação e para atender aos interesses de grupos religiosos locais. Casamentos infantis nos EUA são incomuns, mas já foram muito mais disseminados (*Exemplo 1 - 2*).

Tudo normal... 
6. João Dória veta funcionamento da Delegacia da Mulher por 24 horas em SP. Era promessa de campanha dele. PROMESSA.  E vejam que houve uma explosão de feminicídios e tentativas de feminicídio em nosso país nos últimos meses.  E eu vejo essa notícia e, logo depois, esta aqui: Jovem tem ossos do rosto quebrados a golpes de pá pelo ex-namorado.  Não foi em São Paulo, foi no Rio, mas não faz diferença.  A violência contra as mulheres é amplamente disseminada.

Xuxa recebeu críticas por essa foto.
7. Deixem as mulheres envelhecer em paz.  Esta semana, uma foto de Xuxa, a eterna "Rainha dos Baixinhos", recebeu comentários cruéis, porque, bem, ela mostrava algo que é incontornável, ela envelheceu.  Ela tem 55 anos, está saudável, ativa, aparentemente feliz, mas isso não basta.  A nossa sociedade separou faz tempo a morte.  Os cemitérios foram tirados dos centros da cidade, dos fundos das igrejas.  Os velórios não são ais feitos em casa, salvo exceções.  Queremos a vida eterna.  Precisamos disso.  Para afastar a morte criou-se todo um comércio.  Gente lucra com isso.  E, claro, as mulheres precisam parecer jovens e desejáveis, isso é fundamental em qualquer fase da vida.  Xuxa parece não se importar muito com olhar alheio, isso parece incomodar muita gente, pois, como celebridade, ela precisa dar o exemplo.

Não sou fã de Xuxa, nunca fui. Eu gostava dos desenhos, mas admiro a coragem dela em vários aspectos.  Já escrevi sobre Xuxa no blog, acho que uma  única mesmo.  De qualquer forma, é curioso como até a velhice é explorada.  Dia desses, estava na moda ter cabelos brancos, mas não eram cabelos naturais, esses não servem, precisava ser pintado, retocado, produtos específicos e caros foram lançados.  Esse cabelo branco, que serve ao capitalismo, até é bem-vindo.  Enfim, só para efeito de comparação, um autor francês sei lá quem, ganhou notoriedade essa semana por dizer que ele, de 50 anos, não via como desejáveis mulheres da mesma idade.  Elas, nós, enfim, ão seríamos desejáveis, eles, sim. Seu corpo envelhecido e corpo enrugado são um bônus, as mulheres, lembram que elas não tem mais valor.  Isso é tocado no filme Minha Vida em Marte (*estou resenhando, eu assisti*), mas de forma superficial.  Ser mulher e não estar nem aí para o olhar masculino lhe torna um incomodo, uma ameaça.  Bom quando a vidraça é a Xuxa, porque ela tem recursos para lutar e ajudar as pessoas a repensarem certas questões.

Vale a pena dar uma olhadinha.
8. Documentário mostra a luta de mulheres nordestinas contra o machismo.  Ele está disponível no Youtube.  Basta assistir e espalhar por aí.

GOSTOU?

0 pessoas comentaram:

Related Posts with Thumbnails