sábado, 2 de fevereiro de 2019

Persuasão teve versão mangá e eu nem tinha ficado sabendo!


A Jéssica Santos me perguntou se eu conhecia uma versão mangá de Persuasion, de Jane Austen.  Realmente, a mangá-ka Yoko Hanabusa, que tinha feito uma versão de Emma, adaptou o livro em um volume chamado Toki Fuserarete (説きふせられて).  O encadernado saiu em dezembro de 2017, bem em tempo para as comemorações dos 200 anos de morte de Jane Austen, deve ter saído em uma edição da revista Harlequin mais para o meio do ano.  Só que eu não tinha ficado sabendo!  Fui até conferir se não tinha sido publicado Northanger Abbey ou Mansfield Park, mas, ao que parece, foi somente Persuasão mesmo.  

A contracapa do mangá.
Hanabusa não faz um trabalho espetacular nos seus Harlequin, sim, o material baseado em Jane Austen está nesse balaio da Ohzora, mas, de qualquer forma, é meio que obrigatório para mim comprar esse mangá.  Estou postando amostras do mangá que estavam disponíveis em um site.  Imagino que se a autora usou algum modelo para a o mangá, deve ter sido a versão da ITV de 2007 com Sally Hawkins e Rupert Penry-Jones, mas como Hanabusa não é novinha, talvez possa ter usado referências visuais do filme de 1995 com Amanda Root e Ciarán Hinds, que é bem superior.  Curiosamente, foi o único livro completo de Jane Austen que não foi usado na novel na Orgulho & Paixão.

Um dia ela rejeitou o amor de sua vida.
Para quem não conhece, Persuasão foi o último romance completo de Jane Austen e publicado no ano seguinte a sua morte, já em 1818.  A protagonista desse livro é Anne Elliot, a filha do meio de um baronete inglês e já passada da idade de casar.  Ela tem 27 anos, idade avançada para os padrões da época e é a mocinha mais madura dentre as criadas por Jane Austen.  Anne mora com o pai e a irmã mais velha que gastam mais do que possuem e são obrigados, por causa das dívidas, a mudar de vida.  

Endividados.
Anne que tenta economizar o mais que pode para o bem da família e é desprezada pelos dois, poderia ter se casado com um jovem militar, Frederick Wentworth, mas aconselhada por uma vizinha, Lady Russel, que ocupava o lugar de sua mãe já falecida, recomenda que o rejeite por ele ser pobre.  Só que quando a situação financeira deles está apertada, o Wentworth retorna capitão da Marinha e rico.  Será possível desfazer o que foi feito no passado?  Será que Wentworth ainda a ama?

Capa da revista Harlequin que publicou Persuasão.
Persuasão tem mais personagens e subtramas, claro, Anne Elliot tem uma irmã caçula casada, há as moças que se interessam pelo capitão.  Conheço gente que gosta mais do Capitão Wentworth do que de Mr. Darcy.  Ele, aliás, é o único self made man, isto é, o sujeito que vence pelos seus próprios esforços, dos livros de Jane Austen. Inclusive a cidade de Bath, um balneário, onde Austen chegou a residir, é uma dessas personagens.  Enfim, comprei o volume de Persuasão, não poderia deixá-lo fora de minha coleção.  Um dia, faço resenha dos dois filmes de Persuasão e da série mais longa da BBC de 1971.  aliás, ainda estou devendo Emma 2009, não pensem que esqueci do meu projeto.

GOSTOU?

0 pessoas comentaram:

Related Posts with Thumbnails