sexta-feira, 2 de abril de 2021

Koi to Yobu ni wa Kimochi Warui está estreando agora e vou reforçar a memória de vocês sobre os motivos pelos quais não irei assistir

Está estreando esses dias, é um dos grandes lançamentos da temporada, o anime Koi to Yobu ni wa Kimochi Warui  (恋と呼ぶには気持ち悪い) e eu fui atrás do mangá e comentei no blog o que tinha lido quando anunciaram a adaptação.  Trata-se de uma série josei que é publicada na mesma revista de Wotakoi, depois de uma trajetória de sucesso em algum canal do Pixiv.  A premissa é totalmente clichê um sujeito se apaixona instantaneamente por uma mulher, ela o rejeita, ele não aceita um "não" como resposta.  Os problemas moram nos detalhes e estou fazendo este post para esclarecer os motivos para ter decidido não comentar o anime.

A série acompanha o "romance" de Amakusa Ryou, um solteiro, rico, super seletivo em relação às mulheres, bem sucedido, todo trabalhado no raio shoujoficador e com quase 30 anos, que se apaixona por uma adolescente do colegial, ela deve ter entre 16 e 17 anos, tímida e gentil, que o ajuda na estação de metrô.  O cara se apaixona por ela, descobre por acaso que ela é colega de turma de sua irmã caçula e passa a persegui-la, assediá-la, enchê-la de presentes.  É um assediador, enfim.  Mas a irmã do cara avisa a amiga que seu irmão nunca tinha se apaixonado, é um cara super seletivo e, bem, um tem traço de caráter muito importante para o sucesso no mundo corporativo, ele nunca desiste.

Basicamente, é uma série romantizando um assediador.  Não é um romance com grande diferença de idade entre os protagonistas, material que não me parece desagradável em si mesmo, porque toda a forma de abordagem do sujeito é péssima.  E ainda que algumas situações pareçam engraçadas, elas dialogam de forma leviana com uma realidade que é a de muitas meninas.  Eu não consigo ver como divertido um adulto perseguindo uma adolescente com o intuito, vejam bem, de transformá-la em sua namorada-esposa-whatever e fazer sexo com ela.  E a menina não rejeita o cara por ser tímida, ela o rejeita, porque é seu direito não aceitar manter um romance com um sujeito, porque ele a persegue e lhe oferece uma série de vantagens e compensações.  Mas, claro, o sujeito é bonito e é rico, duas cartas fortes dentro do material romântico produzido para mulheres.  Ela é uma louca ao rejeitar um príncipe desses!  

E, não, a tia Lela não está pedindo para você não assistir, eu estou explicando por qual motivo eu não irei assistir.  Também não estou dizendo que não deveria ter sido transformado em anime, ou o mangá deveria ser banido, não é nada disso.  Mangá feminino não precisa ser feminista, aliás, mangá é tão interessante exatamente por sua diversidade, mas, sim, é uma abordagem infeliz e que não colabora em nada para a reflexão sobre uma das formas mais comuns de violência contra as mulheres.  Obviamente, com tantos mangás legais para lançar por aqui, eu ficaria bem decepcionada se alguma editora preferisse lançar Koi to Yobu ni wa Kimochi Warui no Brasil. Dito isso, escolha ver, ou não, mas não me peça para comentar essa série.

2 pessoas comentaram:

Valeu pelo comentário. Parece ser horrível. Vi tanta gente falando do mangá/anime, mas tem tanta coisa melhor por aí... Eu, hein?

Eu gosto muito já ri ohores assistindo e lendo,quem não gosta é só não assistir né,fica a vontade de cada um

Related Posts with Thumbnails