quarta-feira, 31 de dezembro de 2014

Retrospectiva 2014 e desejos de Ano Novo


2014 não foi um ano fácil para mim, não fosse a minha Júlia, acho que teria sido bem pior.  Acredito que posso considerar o capotamento do meu carro como o ponto final dos problemas do período, mas o fato é que me sinto exaurida.  Meu marido esteve mais ou menos doente durante todo o período e, bem, o Shoujo Café sofreu as consequências.  Queria poder afirmar que houve menos posts, mas que houve ganho qualitativo, no entanto, se assim afirmasse, estaria mentindo.  O Shoujo Café foi um lugar menos interessante de se visitar este ano.  O curioso foi ver que nunca o blog foi tão visitado.  O culpado? O post do filme nigeriano sobre orixás.  De repente, deveria me especializar na temática...

Falando do nosso mercadinho de mangá, sim, no diminutivo mesmo, porque ele é pequeno, tímido, e parece congelado no tempo com velhas questões sendo retomadas de tempos em tempos... Só falta alguém exumar o dramalhão do espelhamento para que minha sensação de que o tempo é cíclico se consolide de uma vez por todas.  Com os relançamentos da JBC -  que parecem não estar rendendo o que o seu editor esperava (*Oh, dóóóóó!*), a sensação de dejà vu é ainda maior.  Mas, vamos lá... 


No que se refere aos shoujo e josei, o ano foi de Sailor Moon (美少女戦士セーラームーン). Não cabe aqui discutir o impacto da série, sua alta vendagem, a alegria dos fãs.  Nem o novo anime – que peca por uma baixa qualidade de animação em muitos momentos – nos emocionou tanto.  Qualquer outra obra anunciada, acabou perdendo um pouco do brilho por causa do arrasa-quarteirão tardiamente lançado em nosso país.  A Nova SAMPA e a NewPop fizeram seus anúncios.  Usagi Drop  (うさぎドロップ ) e Loveless  (ラブレス), duas cartas fortes, Croquis (クロッキー), outro BL.  Agora, para mim, o maior presente foi Azumanga Daioh, que não é shoujo, mas mora no meu coração.  De qualquer forma, Usagi Drop é o único josei a aparecer no Brasil em um bom tempo e, seja quais forem as minhas restrições ao título, trata-se de material de primeira linha.  Sem Sailor Moon na frente, teria sido o maior anúncio do mercado brasileiro em muito tempo.

Falando das duas grandes, agora, a JBC acertou em cheio com Sailor Moon, mas seu editor se esmera em ser antipático quando fala de shoujo mangá.  Concordo que a série de Naoko Takeuchi é sucesso, porque é Sailor Moon e ser shoujo é o de menos nesta equação, mas, pela lógica de certos sujeitos, ser shoujo iria pesar tão negativamente que as vendagens da série deveriam sofrer o dano.  De qualquer forma, a JBC anunciou, também, um shoujo “que não é chato” (*Sailor Moon não deve ser shoujo, né?*) este ano e, para completar a singularidade, é de autoria masculina.  Seu nome?  Tom Sawyer (トムソーヤ).  Meu povo, apesar do nome não é adaptação do clássico de Mark Twain, OK?  Imagino que alguma menção exista, mas não é adaptação, não.  De resto, anunciaram como bônus os gaiden de Sailor Moon... Bem, bem, alguém precisa me fazer acreditar de que lançar todo o material não fazia parte do contrato original. :P  Só que a JBC é aquela editora que quer convencer a gente de que relançamentos são novidade, então, deve estar valendo...  


A Panini conseguiu ser quase nula em 2014.  Finalmente, e sem alarde, ou respeito pelos consumidores, anunciou o cancelamento de Otomen (オトメン). Cancelar, OK, enrolar os consumidores por meses, mentir, empurrar com a barriga e dar notícia no Facebook em notinha mínima, é sacanagem.  Já a editora de mangás da empresa, Beth Kodama, foi erguida por alguns à posição de musa quando a Panini, que já tinha avisado que haveria um título de peso para 2015, anunciou Ao Haru Ride (アオハライド). Não aconselho que comecem a criar heróis ou heroínas onde eles e elas não existem. A decepção é certa.  Ah, sim!  A Panini anunciou um título menor – o que não quer dizer que não seja interessante e que tenha seu público – Conductor (コンダクター) .  Acho que houve um BL... Mas eu busquei o tópico e não encontrei.  De qualquer forma, foi um ano tímido.

Não vou falar que 2015 será um fiasco, mas em se tratando de shoujo e josei no Brasil, BL, também, aliás, não vejo nada de muito animador no horizonte.  Ao Haru Ride merece fazer sucesso, espero que faça, mas não deve fazer com que a Panini crie uma política decente de lançamentos de shoujo no Brasil.  Pior ainda a JBC com Sailor Moon... A alta do dólar, e eu acredito no recuo da moeda estrangeira para menos de 2,30, pode dificultar ainda mais a vida dos fãs de mangá, seja aqueles que importam, seja os que compram o material aqui no Brasil.  Licenciamentos mais caros, preços das gráficas aumentando, e um pouco de ambição por parte das empresas... Vamos torcer para que eu esteja errada!


De boas notícias para mim, houve o lançamento do livro que ajudei a organizar com o Prof. Amaro Braga, Representações do Feminino nas Histórias em Quadrinhos.  Saiu pela EDUFAL, editora da Universidade Federal de Alagoas, mas a gráfica foi externa.  É meu primeiro livro, ainda que não seja solo.  Recebi a minha caixa no dia que estava viajando, por isso, não houve post formal.  Também não temos ainda uma tiragem decente, talvez, ano que vem para o evento que haverá em Leopoldina.  De qualquer forma, terei uns oito livros para vender aqui no site.  Voltando para casa, eu me organizo.  Se quiser saber o conteúdo,  há o índice neste post aqui.  O livro faz par com outro que já foi lançado, Questões de sexualidade nas histórias em quadrinhos. Acredito que seja de interesse para os fãs de quadrinhos e estudiosos em especial.

Desejo que o próximo ano traga não somente mais mangás para o Brasil, mas a possibilidade de acesso às boas obras por importação ou scanlations.  Falando por mim, queria ter mais tempo para ler mangás, assistir animes e doramas, seriados e ir ao cinema.  Preciso fazer mais resenhas para o blog.  Este ano foi uma pobreza só... Estou sonhando alto?  Não sei.  Espero que, ainda que eventualmente, possamos voltar com o Shoujocast.  Este é um desejo sincero, gostava de fazer o programa, era divertido demais.  Além disso, quero um Shoujo Café melhor no ano em que completa uma década no ar.  Alguém pode me ajudar com a template?  É ajuda mesmo, não posso remunerar ninguém no momento.  Queria começar o ano com a notícia de um novo anime da Rosa de Versalhes, ou de que o mangá finalmente será publicado nos EUA, ou, aqui, no Brasil.


De resto, que possamos ter um ano menos louco em 2015.  Este ano que está chegando ao fim foi pródigo em crueldades, em falta de espírito solidário, em mostrar o quão degradada é a nossa espécie humana. Que 2015 tenha mais papas Franciscos e Malalas e menos Boko Haram, Talebã, ISIS, Jair Bolsonaro...  Que seja um ano com menos assassinatos, com menos crimes de ódio motivados por homofobia, machismo e/ou misoginia, racismo, transfobia, etc.   Um ano com mais acolhimento aos necessitados, sejam eles e elas humanos como nós ou animais não-humanos.  Que projetos como os anunciados ontem, que confiscam direitos de órfãos, viúvas e doentes, sejam barrados no Congresso.  Espero não estar sonhando demais novamente... 

Pessoalmente, queria poder me divertir mais, ler mais, que meu marido melhorasse... Talvez, talvez, algumas coisas possam ser alcançadas.  Deixo a foto da minha filhinha, uma das minhas favoritas, e minha esperança de que o mundo seja melhor em 2015 para todas as meninas e meninos do mundo, e para nós, adultos, também.


É isso, Feliz 2015.  Obrigada por visitarem o Shoujo Café.  Sei que tenho vários tipos de leitores e leitoras, a maioria são fiéis, alguns, tornaram-se amigos e amigas de verdade.  Para tod@s os meus sinceros agradecimentos e votos de Ano Novo.

GOSTOU?

6 pessoas comentaram:

As editoras nacionais realmente não apostam em shoujo e josei. Só nos medalhões, mas mesmo assim com lançamentos muitos esparsos. A periodicidade está um pesadelo. Kimi ni todoke deve estar trimestral ou quadrimestral a esta altura. Ao Haru Ride vai se encaixar como? Semestral?
O fato é que fica esse preconceito de que shoujo e josei não vendem bem, mas os caras nunca divulgam os números então fica essa coisa de "acredite em mim, eu sei o que estou falando". Eu vou acabar comprando tudo em inglês mesmo e dar uma banana pras editoras nacionais.
De resto, não vejo um 2015 melhor que 2014 em nenhum aspecto, infelizmente.

Desejo de coração que o nosso 2015 seja um ano de muita positividade e notícias boas! Que seja um ano de evolução, mas ainda assim um ano mais calmo... Muita felicidade para você, Valéria! Sucesso na vida e com o Shoujo Café! Beijão!

Realmente 2014 foi um ano terrível mesmo! Sinto-me até aliviado por ele estar acabando logo. Sobre Sailor Moon, vale lembrar que além da anime com qualidade capenga, a edição da JBC tá sendo muito criticada por causa da tradução bizarra que alguns ataques receberam (Rainbow Moon Heartache virou Disparo do Coração da Lua-Arco-Íris, escrito dessa forma mesmo!!!!), além de outras inconsistências , p.ex., as Irmãs Ayakashi viraram "Irmãs Sibilinas" (??????), Death Busters viraram Arautos da Destruição (!!!!) e Crystal Tokyo foi traduzido em alguns volumes como Tóquio Cristal (!!!!) e em outro como Tóquio de Cristal mesmo. Por causa disso, quase desisti de comprar a edição nacional de Sailor Moon, mas só não fiz isso pq com o dólar lá nas alturas ia ficar mto caro importar o mangá.

Esse 2014 foi um ano muito sofrido e eu não fico triste de o deixar pra trás.
E, Valéria, nem fale em possivelmente voltar com o ShoujoCast que meu coração não aguenta. Me fazia muito bem ouvir vocês três. Um podcast com elenco total ou majoritariamente feminino faz muita falta. Ainda mais falando de shoujo e afins. Seria ótimo ter vocês de volta, mesmo que com uma periodicidade mais flexível.
Enfim, divago. Desejo muita felicidade pra ti e pra sua família e que você consiga mais tempo livre pra si mesma. Abraço. :-)

Valéria, promeiramente Feliz Ano Novo!
Espero que esse momento se renove em coisas boas para vc. Meu ano não foi dos melhores e me identifiquei com vc.

Quanto aos assuntos abordados, vamos por partes: adoro o blog e embora ele tenha ficado meio "parado" não deixei de acessar, não tinha muitas esperanças no mundo shoujo mas Usagi Drop foi interessante. Eu ainda não estou empolgada com nada lançado, para colecionar. Exceto Azumanga mesmo.
Espero tbm um shoujocast gostava muito.

Fiquei interessada no livro também espero que você disponibilize gostaria de adquirir.

Obrigada!

Feliz 2015 para você e toda sua família, Valéria. :)
Sou leitora fiel do blog há uns 4-5 anos já e mesmo ele estando em ritmo mais lento, continua sendo uma excelente fonte de notícias e de matérias com qualidade, adoro suas resenhas de filmes, seriados, mangás. Já descobri muita coisa boa graças ao seu blog. :)
Quanto ao desanimo com o mercado nacional de mangás, acho que todos os fãs de shoujo compartilham dele. Principalmente aqueles que dependem das editoras nacionais. O mercado nacional parece que parou em 2012 no quesito shoujo. A Jbc anunciar o short stories de Sailor Moon me lembra do RElançamento de Rayearth pela mesma, querem que os fãs de shoujo simplesmente aceitem short stories e o sailor v para a cota de shoujo da editora.
No mais é torcer para o dólar baixar e correr para os scans.
Abraços,

Lady

Related Posts with Thumbnails