sábado, 5 de setembro de 2015

Japoneses listam os 25 mangás que mais os traumatizaram



Vi o resultado da pesquisa no Sankaku Complex (*NSFW*+18*), mas não há dados sobre quantos votaram, idade, proporção de homens e mulheres na página original.  Agora, há uma presença equilibrada de material mais recente e clássicos, então, acredito que os votantes tinham idade bem abrangente.  Ainda assim, com Life de Suenobu Keiko aparecendo em sétima posição, não poderia deixar de postar.  E há um josei listado, também, a série de ficção científica pós-apocalíptica 7SEEDS de Yumi Tamura, ainda em andamento.

Eu li Life até onde consegui scanlations e comprava a edição americana. Gosto do mangá, ainda que o ache longo demais, estendendo questões que poderiam ser resolvidas antes. Entendo que o trauma dois japoneses derive dele ser um apanhado de medos e experiências que alguns deles devem ter passado (*bullying, assédio sexual, ameaças de gangues, sexting, abuso por parte dos pais, violência sexual etc.*), porque não acredito que ninguém tenha passado por tudo o que a protagonista sofreu.  Por isso mesmo, deve invocar todos os traumas do período escolar do japonês ou japonesa médio e, sim, Suenobu Keiko pega muito, muito, muito pesado.

Imagem feliz de Life.
De resto, a lista – até onde conheço os títulos e há vários que nunca ouvi falar – é bem abrangente e cheia de material capaz de causar grande impacto nos leitores, começando já com Gen Pés Descalços (Hadashi no Gen) e fechando o top 5 com Devilman.  Foi meio chocante falar em Go Nagai na minha sessão de comunicações nas 3as Jornadas e ninguém conhecer esse homem... É isso!  Segue a lista:

1. Hadashi no Gen (Keiji Nakazawa)
2. Drifting Classroom (Kazuo Umezu)
3. Hell Teacher Nube (Sho Makura/Takeshi Okano)
4. Phoenix (Osamu Tezuka)
5. Devilman (Go Nagai)
6. Ushijima the Loan Shark (Shohei Manabe)
7. Life (Keiko Suenobu)
8. Uzumaki (Junji Ito)
9. Zashiki Onna (Mochizuki Minetaro)
10. Ichi the Killer (Hideo Yamamoto)

Cena de Devilman.
11. Dragon Head (Mochizuki Minetaro)
12. Gantz (Hiroya Oku)
13. Kyoufu Shinbun (Jiro Tsunoda)
14. Narutaru aka Shadow Star (Mohiro Kitoh)
15. Oyasumi Punpun (Inio Asano)
16. 7 Seeds (Yumi Tamura)
17. Fuan no Tane (Masaaki Nakayama)
18. Himizu (Minoru Furuya)
19. Arigato (Yamamoto)
20. Monster (Naoki Urusawa)
21. Cat Soup (Nekojiru)
22. Happy People (Eisho Shaku)
23. Sakura no Uta (Tetsu Adachi)
24. Eko Eko Azarak (Shinichi Koga)
25. Kanbyusesu no Kuji (Fujiko F Fujio)

Dorama de Life.
Para quem se interessar, Life tem dorama.  E, sim, vale a pena assisti-lo, porque ele é competente e poupa você das barrigas e deslizes do mangá.  Se quiserem uma Suenobu Keiko mais enxuta, mas com a tradução/versão horrorosa da JBC, Limit está em nossas bancas e, logo, Vitamin, que é a primeira versão de Life em 1 volume e é muito boa.

GOSTOU?

2 pessoas comentaram:

Olha, Devilman é obrigatório. Recomendo a leitura imediata, sempre. :)

E eu estou comprando Limit. A Keiko Suenobu e uma das duas autoras de shoujo que lancem o que lancem aqui no Brasil eu compro. ;)

Trauma eu tenho do Junji Ito. Não leio mais nada dele. Qualquer coisa dele me incomoda muito.
Comecei a ler há algum tempo atrás "I Am a Hero", do Kengo Hanazawa, e achei bem incômodo também.
Sabemos que tem coisa bem pesada nos mangas, e apesar de Life ser pesado sim, ele acaba tendo no final um caráter até educativo.
Já outras obras são muito perturbadoras, muitas sem nenhuma reflexão, e parecem só serem feitas pela satisfação em incomodar, sei lá.

Related Posts with Thumbnails