domingo, 12 de agosto de 2018

Quais são as personagens mais odiosas dos desenhos animados? Os italianos fizeram uma lista.


A Sam Bonfim me passou uma matéria da revista Vanity Fair que listava (*a lista é longa*), as personagens mais odiosos dos desenhos animados.  Não é caso de ser vilão, veja bem, mas alguém que a gente odeia.  Daí, um protagonista chato, o melhor amigo irritante do herói/heroína, tudo está valendo.  Curiosamente, há muitas personagens de anime e de shoujo na lista.  Claro, praticamente tudo passou na Itália.  Tudo!  Dá até uma tristeza no coração... Mas, enfim, quem aparece nessa lista?

1. Naozumi Kamura de Kodomo no Omocha (こどものおもちゃ).  Na Itália, a série se chama Rossana e a Kamura tem por nome Charles.
2. Senhorita  Rottermeier de Heide (アルプスの少女ハイジ Alps no Shoujo Heidi).  Este passou no Brasil.  O SBT, na época TVS, repetiu várias vezes, um clássico.  A Senhorita Rottermeier fazia as vezes de vilã da história.  E era uma vilã muito malvada, claro.


3. Elisa e Neil de Candy Candy  (キャンディ・キャンディ).  Maus feito a peste.  Candy Candy passou no Brasil, mas somente os primeiros 28, 30 capítulos.  A série original tem 114 e a dupla fez muito mais maldades com a heroína do que vimos por aqui.  Não raro, Candy dava uma surra em Neil e a gente gostava.
4. Treinador Daimon Matsugorou de Attacker You! (アタッカーYOU!).  Shoujo anime de vôlei, na Itália é chamado de Mila e Shiro due cuori nella pallavolo.  Para se ter uma idéia, o anime é se 1984-85 e foi exibido na Itália em 1986.  Passou, também, na Espanha, em Portugal, na Polônia e na França.  Em espanhol/português, a série teve por nome Joana e Sérgio.
5. Arimi Suzuki de Marmalade Boy (ママレード·ボーイ).  O anime não passou por aqui, mas tivemos o mangá... Na Itália, a série se chama Piccoli problemi di cuore.


6. Condessa Du Barry da Rosa de Versalhes (ベルサイユのばら).  Eu tenho pena da Du Barry... Ela foi bem demonizada na série, mas a persoangem histórica é interessante e foi morta na guilhotina por motivo nenhum.  Na Itália, a série foi lançada como Lady Oscar.  Os 12 episódios que saíram em VHS no Brasil, e que cobrem a parte em que a Du Barry aparece, tiveram o mesmo título.  A JBC anunciou o mangá no Brasil.  Imagino que saia em dezembro.  O preço, nem quero imaginar...
7. Nobita de Doraemon (ドラえもん).
8.  Shigeru Okido de Pokemon (ポケモン).  O nome da personagem na Itália, e se me lembro bem, aqui, no Brasil, igualmente, é Gary Oak.
9. Afrodite de Ochamegami Monogatari Korokoro Polon (おちゃめ神物語コロコロポロン).  Baseado em um mangá da revista Princess, a série reconta casos da mitologia grega tendo como protagonista Pollon, filha do deus Apolo.  Na Itália, seu título foi C'era una volta... Pollon.  Exibida entre 1982-83, passou na Itália em 1984.
10. Pica-Pau.  Sim, aquele que ainda passa no Brasil... 
11.  Sr.ª Knopp de Toppo Topo Gigio - Yume Miru Toppo Gigio (トッポジージョ - 夢見るトッポジージョ).  Topo Gigio foi criado pela italiana Maria Perego, em 1959.  Virou animação no Japão, em 1988.  O nome, na Itália, Bentornato Topo Gigio.

12. Marilla Cuthbert de Anne of Green Gables (赤毛のアン/Akage no An), a série de 1979.  Na Itália, chamou-se Anna dai capelli rossi.  Atualmente, é possível ver a série Anne with an E, um live action, que revisita o mesmo livro da autora  Lucy Maud Montgomery.
13. Hikaru Hibino de Hime-chan no ribbon (姫ちゃんのリボン).  Na Itália, a persoangem se chamou Ilaria e a série tem por nome Un fiocco per sognare, un fiocco per cambiare.
14. Goro Otaki de Detective Conan (名探偵 コナン/Meitantei Conan).
15. Tia Polly de Pollyana (愛少女ポリアンナ物語 /Ai Shoujo Pollyanna Monogatari).
16. Dan Kean de Wakakusa Monogatari Nan to Jo Sensei (若草物語ナンとジョー先生).  Continuação de Little Women baseado no livro Jo's Boys and How They Turned Out, da mesma autora,  Louisa May Alcott.   O título italiano é Una classe di monelli per Jo.


17. Julia Rutledge Pendleton de Papai Pernilongo (私のあしながおじさん/Watashi No Ashinaga Ojisan).  Em italiano, Papà Gambalunga.  Coloquei o nome em português, porque me lembro de ter assistido ao filme de 1955 com  Fred Astaire e Leslie Caron.  
18. Condessa Polignac da Rosa de Versalhes (ベルサイユのばら).   Uma das vilãs da Rosa de Versalhes, no anime, seu tom vilanesco é multiplicado, exerceu péssima influência sobre a Rainha Maria Antonieta.  Teve que fugir da França para não morrer na guilhotina.  
19. Kei Tsuchiya de Marmalade Boy (ママレード·ボーイ).  O anime não passou por aqui, mas tivemos o mangá... Na Itália, a série se chama Piccoli problemi di cuore. Kei, na versão italiana, foi chamado de Alessandro.


20. Milady de D'Artagnan e os Três Mosqueteiros  (アニメ三銃士/Anime Sanjushi).  A imagem que está na matéria não é a do desenho dos cachorrinhos.  Parece que é a da animação de 1987-89.  
21. Papa-Léguas.  Sim, o que passou aqui, no Brasil.
22. Cicatriz de The Animals of Farthing Wood (BBC, 1993-95), em italiano, Le avventure del bosco piccolo.  Ela passou no Brasil, na TV Cultura com o nome de Os Animais do Bosque dos Vinténs.  Usei o nome brasileiro da personagem.  Eu não assisti este desenho, mas há vídeos dele no Youtube.
23. Índio Joe de Tom Sawyer no Bouken (トム・ソーヤーの冒険).  Anime de 1981 baseado no livro de Mark Twain. Na Itália, Le avventure di Tom Sawyer ou, simplesmente, Tom Story.
24. Rezo de Slayers (スレイヤーズ).  Adversário da protagonista, Lina Inverse.  Parte da série foi exibida no Brasil pela Band.  O título em italiano era Slayers Revolution - Un incantesimo dischiuso tra i petali del tempo.


25. Zirconia de Sailor Moon SuperS (美少女戦士セーラームーン ).  Foi exibido na Itália como Sailor Moon e il mistero dei sogni.
26. Mr. X de Tiger Mask  (タイガー・マスク).  Talvez tenha passado no Brasil, é uma série de 1969-1971.  Na Itália, L'Uomo Tigre.
27. Darkness de Peter Pan no Bouken ( ピーターパンの冒険).  Série de 1989.  Simplesmente Peter Pan, na Itália.  Já me avisaram que foi exibido no programa da Xuxa nos anos 1990.

Da lista de 27 personagens, 24 são personagens de anime.  Eu não marquei como shoujo o material da Nippon Animation, coloquei em azul para diferenciar, embora muita gente queira rotular alguns deles como tal.  Simplesmente, são animes derivados de clássicos da literatura infanto-juvenil ocidental.  

Clássicos são clássicos.
E para quem está estranhando que "só tem coisa do século passado", o fandom italiano existe faz muito tempo.  Muitos dos animes dos anos 1980 demoravam, se muito, um ano para serem exibidos na Itália.  Não sei a idade do jornalista, mas desconfio que foi criança nos anos 1980 e, talvez, adolescente nos anos 1990.  Talvez tenha idade próxima da minha.  Mas há outro ponto, alguns animes, como A Rosa de Versalhes, são reexibidos com frequência no país, mesmo os mais jovens tem contato com eles.  Resumindo, pode ser a lista feita por gente velha, ou por gente que reconhece a qualidade de certos materiais.  Clássicos não são clássicos à toa.  Qualquer lista decente que se faça no Japão teria Candy Candy e Heide, por exemplo.  Já A Rosa de Versalhes fez muitíssimo sucesso na Itália e é um clássico local, por assim dizer.

GOSTOU?

3 pessoas comentaram:

Eu noto especialmente que em todos os personagens da lista, o maior número é de mulheres. Como se ser odioso fosse uma peculiaridade feminina ... Ainda assim, há uma quantidade real de personagens masculinos que são tão odiosos ou até mesmo maquiavélicos. (Desculpe por meus erros de ortografia, eu sou francês.)

14 persoangens masculinas, se contei bem, acho que dá quase meio a meio.

Nossa, tem umas indicações insanas.
2. Senhorita Rottermeier de Heide
Ela fez mal para a Heidi, mas não por mal, estava apenas tentando dar a educação que era normal para a época e que ela conhecia. Quem agiu como vilã de verdade foi a tia dela arrastando ela para Frankfurt contra a vontade, praticamente um sequestro.

6. Condessa Du Barry da Rosa de Versalhes
Senti saudades da Du Barry desde que ela saiu da história até o fim. Ela fez nada demais, nada demais além de ser mais "rainha" que a Antonieta em seu próprio palácio.

12. Marilla Cuthbert de Anne of Green Gables
Por favor alguém me explique isso!

16. Dan Kean de Wakakusa Monogatari Nan to Jo Sensei
Só um garoto com maus hábitos de ter sido forçado a sobreviver nas ruas, desde o início ele deixou claro que não era "vilão".

17. Julia Rutledge Pendleton de Papai Pernilongo
Júlia não, por favor! Ela foi a personagem que me surpreendeu em Long Legs, ela nunca, em momento nenhum desrespeitou a Judy ou fez qualquer mal para ela, muito pelo contrário. Ela logo notou algo de estranho na Judy, foi conferir, descobriu os segredos ela e ficou calada, sem mudar de atitude. A origem dela pode fazer pensar que é uma personagem esnobe, mas não é.

Related Posts with Thumbnails