quinta-feira, 10 de janeiro de 2019

Todas as Resenhas de 2018: Novelas (*Porque nunca escrevi tanto sobre elas*)


Este iria ser o último post com os links das resenhas do ano, mas tinha tanta coisa sobre novela, que decidi deixar coisa para depois.  E nem tudo aqui é resenha, há uns textos aleatórios que tocam em telenovela, junto com mangá, com temas diversos, enfim.  Foram muitos posts, porque acompanhei por alto Deus Salve o Rei e O Tempo Não Para,  Sinhá Moça, uma das minhas novelas favoritas, foi exibida no Viva e ainda tivemos Orgulho & Paixão.  Culpa de Jane Austen esses textos todos.  Infelizmente, quando a novela Jesus estreou, não consegui acompanhar a trama e não fiz resenha nem do primeiro capítulo.  Merecia pelo menos alguns comentários.


Poucas vezes uma novela me fez passar tanta raiva
 a ponto de decidir que não veria mais nada dela.
A grande decepção do ano, para mim, foi Deus Salve o Rei. Apocalipse eu já sabia que não daria certo, então, nem me dei ao trabalho de comentar.  Eu realmente achava que poderia sair algo de bom do projeto, mas, com o tempo, a trama não andava, girava em círculos, dependendo de mini-quadros de humor.  O Rei, Afonso, decidiu-se muito rápido pela camponesa que não queria ser rainha e ficou boa parte da trama com uma cara de depressão profunda.  E, claro, ao invés de culparem direção de elenco e autor, preferiram descer a lenha na Bruna Marquezine... OK... 

A gota d'água para mim foi quando Afonso disse que largou o trono na mão do incompetente do imão, porque sabia que ele tinha potencial para ser rei.  Não, não foi, ele queria ficar com a ruiva camponesa e que se dane seu povo.  A partir daí, não escrevi mais sobre a trama e me recusei a assistir qualquer cena.  Da novela pseudo-medieval, os posts foram os seguintes: Comentando os primeiros capítulos de Deus Salve o ReiNovelando Urgente: Só para esclarecer que Latim demorou para ser língua morta e Deus Salve o Rei é ruim MESMO.


Se a Selena fosse a protagonista, até
que poderia ter sido interessante.
O Tempo Não Para rendeu até um Shoujocast, vejam só!  Foi a responsável pelo retorno do podcast.  Os primeiros capítulos foram promissores, mas o calcanhar de Aquiles já estava lá, exposto.  No meu primeiro texto, já tinha colocado o problema e não deu outra.  Fora, claro, um racismo mal resolvido e a incoerência na construção de D. Sabino, parecia uma versão esquizofrênica do Barão de Araruna de Sinhá Moça.  Mas textos da novela foram os seguintes: Algumas palavrinhas sobre a primeira semana da novela O Tempo não Para, O Tempo Não Para, a Depreciação da Escola Pública e a Discussão do Homeshooling no STF.  Sei que falei de O Tempo Não Para em outros posts, vão aparecer na lista, de qualquer forma, a novela tinha potencial, se daria melhor como um seriado, e acabou se esvaziando e andando em círculos.


Esse primeiro capítulo foi tão legal...
Mas a novela terminou se perdendo.
O xodó do ano foi Orgulho & Paixão.  Eu sei que a adaptação dos livros de Jane Austen foi livre demais para algumas pessoas, houve gente dando mil xiliques (*e reclamando que não estava igual ao FILME*), sendo hipócrita (*sabe, liberal na economia, conservador nos costumes e com ZERO conhecimento de História, a disciplina mesmo*) mas acredito que o saldo foi positivo no final.  Além disso, devo dizer que a novela inventou um dos meus casais favoritos da teledramaturgia brasileiro, Luccino e Otávio.  E eles vieram na hora certa e com uma delicadeza que eu não esperava.  Este ano, duvido que eles seriam possíveis. Foram uma das poucas coisas realmente boas de 2018.  

Enfim, os textos sobre Orgulho & Paixão foram: Mais Chamadas de Orgulho & Paixão e Algumas Considerações sobre o (Pre)Conceito contra o Produto Nacional (*foi um dos textos mais importantes do ano sobre telenovela no blog, talvez, o mais importante), Comentando os dois primeiros Capítulos de Orgulho & PaixãoNovelando Urgente: Mais algumas considerações sobre Orgulho & Paixão e outras coisinhas mais (*Tempo de Amar e Sinhá Moça + Mangá + Orgulho & Preconceito/BBC/1995*), Espalhando a palavra de Jane Austen por aí: um pequeno causoMais um texto sobre Orgulho & Paixão. É muita coisa para comentar!Jane Austen era espetacular, mas não era escritora de ficção científica, não!Vamos falar de Sexo? Sobre as mudanças nas sensibilidades, o Recato das Novelas das Seis e como os Shoujo Barra Pesada sobreviveram Digitalmente (*Orgulho & Paixão, duas versões de Sinhá Moça, Tempo de Amar, mangá, história etc.*), Como os Primeiros japoneses passaram pelo Brasil ainda na época da Colônia, ou o que eu apendi assistindo a Novela Orgulho & PaixãoOrgulho & Paixão chegou ao capítulo #100 e vai bem, obrigada!Orgulho e Paixão e BL: Comentando o Amor de Luccino e OtávioAlgumas considerações sobre Orgulho e Paixão - Parte 1 (*não teve a 2*), Três notinhas sobre O Tempo Não Para e Orgulho e Paixão (*Ainda falo de Tempo de Amar no texto*), Divagações sobre Glass Mask (É mais uma desculpa para falar de Orgulho & Paixão, também*), "Orgulho e Paixão" faz disparar procura por livros de Jane Austen nas livrarias, Mais Orgulho e Paixão: Quem me surpreendeu positivamente na novelaNovelando: Meu Último texto sobre Orgulho & Paixão, porque promessa é DÍVIDA!,  BBC faz matéria sobre a novela Orgulho & Paixão (*Porque o último texto não foi o último*).  Ufa! Só Jane Austen mesmo para eu escrever tanto sobre uma  novela.  Acho que daria um livro e eu deixei alguma coisa de fora, é certeza.


Com seus erros e acertos, Orgulho & Paixão foi bem legal.
E houve Sinhá Moça, que me deliciou por alguns meses e me fez sonhar com uma bem-vinda repetição de O Direito de Amar, teve três textos para ela exclusivamente: Novelando: Hoje reestreia Sinhá MoçaNovelando com muito Atraso: Comentando Sinhá Moça (1986)Comentando Sinhá Moça pela última vez e mais umas palavrinhas sobre Algumas Tramas Atuais (*Orgulho & Paixão e O Tempo Não Para são citadas*).  Ainda está de pé a minha proposta de rever o filme dos anos 1950, desci o DVD da estante e acabei esquecendo de parar para olhar.  

De qualquer forma, eu fiquei muito grata pela reprise e tenho toda a novela gravada agora.  Minha memória, no geral, tinha visto a novela uma vez com 9 anos, estava funcionando bem.  Não lembrava de alguns detalhes, mas, em linhas gerais, tinha a trama toda na minha cabeça.  Pena que as novelas de época, não as que se assumem fantasia, como Cordel Encantado, que é deliciosa, tenham perdido tanto da sua densidade e cedido às sensibilidades modernas, onde não deveria, ou poderia.  Isso vale tanto para novelas globais, como para tramas bíblicas da Record.  É um negócio que me dá nos nervos.  

Talvez eu reveja todos os capítulos na
falta de alguma novela para assistir.
Até é bom comentar isso, porque alguém perguntou se eu iria assistir A Força de um Desejo, que o Viva anunciou para março, ou abril, mas já recuou e "dessanunciou" (*a palavra não existe, mas o paradigma está aí para ser usado*).  Daí, não sei por qual motivo, começou a pipocar cenas dessa novela no Youtube para mim.  Bem, eu não gosto de A Força de um Desejo, na minha memória, foi ali, que as novelas de época da Globo começaram a patinar nesses fundamentos que fizeram Escrava Isaura, Sinhá Moça, O Direito de Amar e tantas outras produções, como a minissérie Rabo de Saia, brilhar.  Hoje, certamente ela não seria exibida no mesmo horário por causa da violência e do sexo (*nada exagerado, mas vivemos em tempos "castos"*) Claro, se repetisse, eu provavelmente iria assistir, mas não sei se para tecer elogios.


Rever Sinhá Moça foi uma das melhores coisas do ano.
Nossa!  Acho que a maioria dos 170 posts do Shoujo Café falando sobre novela foram feitos este ano.  Olhando, deu muita, mas muita coisa mesmo.  E para quem acha que eu não deveria falar de telenovela, o segundo post mais visitado em todos os tempos do blog (*logo será o terceiro*) foi sobre novela.  Aliás, parece que para conseguir audiência bastaria falar de Candomblé, novela e Patrulha Canina.  Chega a ser ridículo, sabe?  Os posts mais legais que eu escrevo sobre mangá,, que demandam pesquisa e tempo, ou as resenhas de mangás e animes, acabam repercutindo muito pouco comparativamente.

GOSTOU?

1 pessoas comentaram:

Olá! Vim parar em um de seus textos sobre Orgulho e Paixão por recomendação e acabei lendo vários! Muito bem articulados, você descreveu bem pontos fortes e fracos da obra! Não concordo com tooodas as observações feitas mas em geral exprimiu bem várias opiniões que também compartilho!!! Pena eu só ter encontrado os textos agora, queria ter visto mais reviews assim na época mas não os encontrei ahaha... Mas fico feliz que os tenha feito!! :)

Não costumo ver novelas mas sou fã de Austen então acompanhei essa do início ao fim...De fato os autores podiam (deviam!) ter desenvolvido certas histórias e personagens de forma melhor, perderam várias oportunidades, mas como você disse o saldo foi positivo, no geral eu adorei!!! ^^ saudades do novelão

Related Posts with Thumbnails