quinta-feira, 4 de julho de 2019

Algumas palavras sobre a etnicidade da Pequena Sereia


Eu deveria estar terminando a resenha do primeiro volume da Rosa de Versalhes, mas decidi dar uma paradinha e comentar a escolha de uma atriz negra (Halle Bailey) para o papel de Ariel no live action da Pequena Sereia.  Se vocês leem meus posts sobre essas adaptações da Disney, vocês devem saber que por mim não precisavam fazer nenhum deles.  Gosto dos desenhos e eles me bastam.  Acredito que é uma grande falta de imaginação ficar refazendo o que já foi feito quando há tantas histórias por contar, mas tudo pelo dinheiro.  Eu mesma venho pagando para assistir todos esses novos filmes no cinema e devo assistir ao Rei Leão nos próximos dias.  Dito isso, fiquem cientes que não sou entusiasta desses novos filmes, mas adoraria ver os musicais da Broadway derivados das animações.

Estabelecido isso, vamos ao ponto.  Você pode não ter gostado da escalação de uma atriz negra para ser Ariel?  Sim, isso é absolutamente legítimo, o problema é como você externa essa questão.  Por exemplo, vamos buscar uma forma elegante e neutra de colocar a coisa "Eu entendo a importância da REPRESENTATIVIDADE, mas eu gostaria que a Ariel fosse parecida com a do desenho original.".  Pronto, você não passa por racista.  Agora, vejam que curioso, no musical da Broadway, uma atriz de origem asiática interpretou a Ariel e foi lindo, apesar dos racistas fazerem escândalo.  Sim, este é o aspecto mais importante, mesmo que você não tenha parado para refletir.  Por isso, de forma alguma venha tentar justificar as coisas nessas bases "E se a Mulan fosse loira, você iria gostar?".  


Diana Huey foi a primeira Ariel asiática na Broadway.
Mulan é um ser humano e uma personagem historicamente localizada.  Ainda que possa ter sido uma criação ficcional, pois está com os dois pés bem firmes no mito da donzela guerreira, sabemos que ela é chinesa, que se travestiu de homem e passou vários anos lutando contra os hunos, descoberta, foi condecorada pelo imperador, mas preferiu voltar para a casa de seus pais.  Por qual motivo, salvo se fosse em uma versão totalmente livre de Mulan, com um elenco multirracial e sem compromisso histórico, seria necessário colocar uma protagonista caucasiana? Fora, claro, que sereias são criaturas míticas e, não, seres humanos.

Também não fica bem vir com explicações mitológicas "As sereias eram filhas de Tritão, um deus grego, logo, elas não poderiam ser negras.".  Um... Quem era Tritão na mitologia grega?  Ele era filho dos deuses que representavam o mar,  Poseidon e Amphitrite, com o passar do tempo, sua imagem evoluiu para aquela que conhecemos (*e que está na animação da Disney*), metade homem, metade peixe e os seus filhos e filhas passaram a ser representados dessa forma, também.  Agora, vejam uma descrição dos tritões feita por Pausânias, no século II a.C:
"Os Tritões têm a seguinte aparência. Nas cabeças deles, crescem pelos como os dos sapos do pântano, não só na cor, mas também na impossibilidade de separar um cabelo do outro. O resto do corpo é áspero com escamas finas, assim como o sob os ouvidos eles têm guelras e nariz de homem, mas a boca é mais larga e os dentes são animalescos, seus olhos me parecem azuis, e eles têm mãos, dedos e unhas como as conchas do murex. Sob o peito e a barriga há uma cauda como a de um golfinho em vez de um pé. "
Igualzinho o do desenho da Disney, não é?  Mas eram os tritões, de ambos os sexos, sereias?  Não.  As sereias gregas eram uma mistura de mulher com aves de rapina.  A iconografia não deixa dúvidas.  O problema é que em língua portuguesa, acredito que no italiano é da mesma forma, temos uma palavra só para coisas que são distintas em outras línguas.  A Pequena Sereia é uma "mermaid" (donzela do mar), não uma "siren", aí se remetendo a uma outra categoria de ser da mitologia grega. Voltando, várias culturas tem "mermaids" e/ou "mermen", criaturas marinhas que podem, ou não, ser metade humanos, metade peixes.  


Sapos do Pântano (Pelophylax ridibundus) têm pelos?  Mas, de
qualquer forma, para seguir a "mitologia grega", essa
deveria ser a cor dos cabelos de Ariel.  Topam?
De resto, quem publicou a primeira versão de A Pequena Sereia foi Hans Christian Andersen, em 1837 .  Neste caso, ao que parece, não havia conto similar anterior, salvo pela existência dos tais seres marinhos em várias culturas diferentes.  Estabelecido isso, é feio tentar justificar a resistência a uma Ariel negra, asiática, marciana, whatever usando a mitologia grega como argumento.  Vamos lá, é mais elegante, e pode encobrir muitas  motivações que deveriam ser inconfessáveis, simplesmente dizer que preferia que fosse como no desenho.  

De resto, um colega de Facebook veio com aquele papo "o mundo está chato", hoje não deixariam Elizabeth Taylor ser Cleópatra.  Provavelmente, não deixariam mesmo, mas olha, eu que gosto desse tipo de filme considero esse Cleópatra insuportável.  É megalomaníaco e chato.  Agora, argumentar que a última faraó do Egito precisa ser negra, porque todos os egípcios eram negros (😆) é de uma ignorância histórica absurda.  
Cleópatra de Asterix com seu belo nariz.
Cleópatra era descendente de Ptolomeu, um general grego e a família praticava endogamia loucamente (*seguindo o  modelo egípcio, aliás*).  Ela poderia não ser branca para os padrões dos extremistas brancos, mas só seria considerada negra dentro da regra que divide a humanidade em dois grupos.  Cleópatra poderia ter minha cor de pele, por exemplo, ser mais clara, mais escura, enfim.  Agora, o que a iconografia aponta, e que Asterix retratou muito bem, é que ela tinha um nariz de respeito.  E isso, senhoras e senhores, a Lizzie Taylor não tinha! 

Terminando, ninguém precisa gostar de uma Ariel negra.  Você pode querer sua Ariel branca e ruiva (*com cabelo pintado, porque natural daquele jeito do desenho ninguém tem*), mas, por favor, não dê bandeira, não passe vergonha.  Menos, menos.  E eu torço para que A Pequena Sereia seja legal, porque Mulan com tudo que se tem falado do filme, provavelmente, não vai me agradar.  De resto, para mim, a melhor versão de A Pequena Sereia foi uma que passou na TV Educativa quando eu era criança.  Era um desenho russo super trágico com uma sereia loura de grandes olhos azuis.  Ela terminava morrendo no final, tornando-se espuma do mar para salvar o príncipe ingrato que a tomara como amante, mas não a queria por esposa.  Bem diferente da Disney, com certeza.

GOSTOU?

5 pessoas comentaram:

Nossa, lembro dessa versão russa, obrigada por me trazer esta recordação. Me deixou numa bad quando era criança haha fiquei super deprê por alguns dias que até me arrepio em lembrar. Mas era lindo!

E as sereias com cauda de peixe se me lembro bem eram as ninfas nereidas e oceânides, e na Grécia eles não tinham problemas com multiculturais na época das mitologias com o contato que tinham com a Ásia e o norte da África, como a cidade do desenho é Atlântida e a lenda da cidade é de origem mediterrânea então realmente ter negros na região não era nem um pouco estranho XD, talvez uma visão relativamente rara sim mas não era impossível, o que pode ser inconveniente é se colocarem mesmo a localização do Reino do príncipe na Dinamarca( na série animada e no filme dois isso fica mais ecidente), como parece ter sido feito nos desenhos, mas ainda é uma inconveniência que não justifica esse tipo de reclamação racista, em once upon a time mostra que as sereias conseguem até atravessar dimensões nadando no mar(outro universo live da disney) então pode existir até sereia de Júpiter e isso não fica esquisito e ninguém reclamaria então para que reclamar de uma simples localidade geográfica ou étnica da nossa própria raça(humana) para a escolha de um papel que com toda a certeza pode sim ser multi étnico sem problema nenhum?resumindo, os haters só estão fazendo balbúrdia de sempre, dar atenção é prejudicial para a nossa sanidade mental... seu post ficou ótimo como sempre só acho que o filme live actions do Aladdin ficou melhor em alguns pontos dos desenhos. Mas concordo que tem tantos outros contos do mundo todo que não adaptaram pra animação ainda é se o tivessem feito na época do renascimento da Disney ela estaria mais rica que agora e teria sido muito mais legal ver ainda naquela época contos de outras culturas adaptados... mas tudo a seu tempo, estão fazendo isso agora então antes tarde do que nunca

Exatamente minha impressão sobre a escolha da atriz!!! Professora Valéria sempre sensata. E gzuz!!! Eu me lembro dessa versão!!! Lembro que teve uma da Snow Queen que tbm era sinistra!

Tem algumas adaptações de anime também e da pequena sereia com ela loira sendo chamada de Marina na dublagem brasileira, uma até passou na manchete um outro anime de contos de fadas europeus em curtas que achei no YouTube com dublagem russa ela tinha cabelo lilás e usaram o nome da versão da Disney que ela não morre no final, é ainda teve a jeatleg Studios com mais uma pequena seria loira de olhos azuis chamada Marina, esse estúdio fechou as portas em 2000 com um filme que tão raro encontrar algo na internet sobre era uma outra adaptação do conto de origem da história de Valente da Disney anos antes da Disney adaptar, mas com final feliz, eu gosto desse último porque esse estúdio colocava obras de música clássica em seus filmes como música de fundo e ficava muito bom

Sim. Assim que vi o anúncio sobre a atriz que interpretaria Ariel e as reclamações me lembrei das descrições de textos antigos sobre sereias. O argumento de que pelo conto do Andersen ser dinamarquês, Ariel teria que parecer uma mulher dinamarquesa também não cola pq afinal a Disney tomou bastante liberdade ao adaptar esse conto, a cor da personagem seria o de menos.
Mas realmente acho que seria lindo se aproveitassem a escolha da atriz e fizessem uma versão da Pequena Sereia inspirada nas divindades aquáticas da mitologia africana. Poderia ficar incrível.

Related Posts with Thumbnails