sexta-feira, 22 de dezembro de 2017

Nova série de Cutie Honey para comemorar os 50 anos de carreira de Go Nagai


Sou fã de Go Nagai. Não estou dizendo com isso que o homem seja um santo, feminista, ou coisas do gênero, mas que ele foi e é um gênio que fez muita diferença para a indústria de animes e mangás.  Alguns o acusam de ter inventado o fanservice com Harenchi Gakuen (ハレンチ学園).  O cara de pau nega.  Agora, não teríamos maravilhosas séries de robô gigantes - Mazinger Z (*e,consequentemente, não haveria Ichiro Mizuki cantando o tema deabertura*), Groizer X (*Aqui, chamado de O Pirata do Espaço*) - tampouco coisas como Sailor Moon  (美少女戦士セーラームーン) seriam possíveis sem uma Cutie Honey (キューティーハニー ), a primeira mahou shoujo guerreira e carregada de sensualidade.

Enfim, Cutie Honey é uma mahou shoujo que nasceu, como tantas dos anos 1960 e 1970, como anime. O mangá estreou no mesmo mês da animação, mas o anime já estava pronto para estrear. Reza  a lenda que encomendaram para Go Nagai um anime para o horário noturno de monstros, ou horror, e, no meio do caminho, disseram pra ele fazer uma mahou shoujo.  Ele fez... Era uma mahou shoujo adolescente, com fanservice, alguma nudez (*primeira vez que isso aparecia em uma transformação*) e monstros, claro!  A abertura da primeira série, a de 1973, é inesquecível e vem sendo  usada em toda nova produção de Cutie Honey.  


Enfim, para quem não sabe, Honey, a protagonista, acreditava ser  uma adolescente normal e estuda em um internato católico para meninas.  Um dia, seu pai, um renomado cientista, é assassinado e Honey termina por descobrir que é uma androide e que seu pai lhe deixou uma série de apetrechos poderosos (*ela é capaz de se transformar e se disfarçar, assim como Usagi, ou Angel de Hana no Ko Lun Lun*).  A partir daí, Honey continua estudando, mas age como uma super-heroína que busca vingança contra a organização que matou seu pai.  Percebem que além de mahou shoujo é ficção científica, também, né?

Se me lembro bem da animação original, duas professoras (*lésbicas*) sempre estavam tentando surpreender Honey em uma de suas escapadas para combater o crime.  É um negócio bem exagerado e desrespeitoso.  A Wikipedia fala que no primeiro mangá as colegas de escola eram apaixonadas por Honey, que isso não estava no anime (*eu, pelo menos, só lembro das professoras*), mas imagino que seja o akogare (*admiração exagerada, devoção*) de sempre.  Só que é Go Nagai, então, nunca se sabe, ou qualquer coisa se espera.


Honey já teve várias animações, as últimas emburreceram a protagonista e a colocaram no mesmo patamar da Usagi da primeira série de Sailor Moon, o que foi péssimo.  Honey não era brilhante,mas não era burra, também.  Nos  últimos tempos, tivemos versões live action de Cutie Honey, além dos vários mangás, sempre shounen, ou seinen.  Não aconselho Cutie Honey, inclusive o original, para quem se ofende com personagens femininas sexualizadas, porque você vai encontrar isso na série,a dos anos 1990 e início dos anos 2000 em especial.  É tipo, conviva com isso (*mesmo que faça a crítica, eu faço, também*), ou largue.  

Enfim, em 2018, teremos uma nova série animada com o objetivo de comemorar os 50 anos de carreira  de Go Nagai.  E, só para constar, teremos um filme de Mazinger Z, também.  Deve estar no mesmo pacote, ainda que Go Nagai já tivesse produzido material antes de 1967, mas,sei lá, ele bombou nesse ano. A  notícia sobre o novo Cutie Honey estava no Manga Mag.

GOSTOU?

0 pessoas comentaram:

Related Posts with Thumbnails